Pular para o conteúdo principal

Funcionários da Prefeitura durante manutenção de uma ponte
Foto: Divulgação PBH

Prefeitura faz manutenção em pontes, viadutos e túneis da cidade

24/06/2020 | 17:22 | atualizado em 03/07/2020 | 19:56

A Prefeitura de Belo Horizonte vai investir cerca de R$ 7,04 milhões na manutenção de equipamentos estruturais da capital, tais como pontes, viadutos, passarelas, túneis, trincheiras e outras estruturas da construção civil. Elas são projetadas com uma determinada vida útil e, para assegurar e prolongar esse tempo, precisam passar por processos contínuos de preservação. A Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap) assinou no mês passado a ordem de serviço para executar os serviços.

 

Procedimentos de monitoramento, inspeções, diagnósticos e manutenções preventivas e corretivas são adotados pela Sudecap. Serão realizados serviços de tratamento nos pilares, vigas, laje nas estruturas de concreto; tratamento ou substituição das superfícies metálicas, dos guarda-corpos e meios-fios; pintura de proteção geral; injeção de resina para tamponamento de vazamentos; execução de revestimentos especiais; recuperação de encontros e elaboração de projetos executivos quando necessários.

 

No momento estão sendo realizadas manutenções em viadutos na Linha Verde/MG10, próximos ao Hospital Risoleta Neves, os serviços de proteção no encabeçamento da ponte que fica na Estrada do Sanatório e no viaduto que atravessa a avenida Carlos Luz.

 

Essas obras são um serviço de característica continuada. O contrato tem duração inicial de um ano, podendo ser renovado por até 60 meses. “Possuímos uma tabela de intervenções por índice de deterioração que elenca através de notas os dados obtidos nas fichas de cadastro e vistoria. Essa tabela norteia o trabalho, mas a escolha vai além disso, envolve também o tráfego do local e outros parâmetros técnicos definidos. Esta manutenção preventiva e as vistorias rotineiras são necessárias para garantir a maior durabilidade e consequentemente redução de custos”, afirma o superintendente da Sudecap, Henrique Castilho.