Pular para o conteúdo principal

Arte feita pela Prefeitura
Foto: Arte/PBH

Prefeitura de Belo Horizonte reduz perdas de vacinas contra a Covid-19

criado em 09/08/2021 - atualizado em 09/08/2021 | 18:15

A Prefeitura de Belo Horizonte reduziu o índice de perda de vacinas contra a Covid-19 de 6,6% para 5,5% – a partir de um monitoramento criterioso das vacinas em relação às condições de armazenamento e aplicação e aos prazos de validade. Considerando o total de imunizantes recebidos pela Prefeitura, as perdas estão em torno de 0,042% para as perdas físicas e 5,458% para as perdas técnicas.  

 

A Secretaria Municipal de Saúde está verificando as comparações equivocadas de perdas de imunizantes entre municípios, considerando que para alguns são utilizados os dados de perdas físicas e para outros a perda geral (física e técnica). 

 

O município tem reforçado a orientação nos postos de vacinação e adotado medidas para reduzir ainda mais essas perdas. Entre as iniciativas está a opção por aplicar, no fim do dia, o imunizante AstraZeneca, com exceção de gestantes e puérperas. Como esta vacina pode ser usada até 48 horas após o frasco ser aberto, mesmo que haja sobra de imunizante, ele pode ser aplicado sem nenhum prejuízo para usuários no dia seguinte. 

 

É importante considerar que o quantitativo de perdas estabelecido pelo Plano Nacional de Imunização é de até 10%. O percentual de perdas físicas e técnicas de Belo Horizonte está dentro do quantitativo estabelecido pelo Ministério da Saúde. 

 

De acordo com o Ministério da Saúde, as perdas físicas são aquelas que ocorrem quando o imunobiológico ainda não teve sua embalagem aberta, ou seja, frascos fechados. Elas decorrem de problemas na armazenagem, como por exemplo, alteração de temperatura fora dos limites aceitáveis devido à queda de energia, acondicionamento, conservação, manipulação e transporte, quebra ou fissura de frasco, vencimento de validade, problemas de rotulagem e procedimento inadequado.  

 

Já as perdas técnicas ocorrem após a abertura do frasco para administração da vacina e ocorrem, em grande parte, devido ao curto prazo de validade após abertura do frasco. Outro fator que tem interferido no aumento do percentual de perdas é a inconsistência entre o número de doses descrito na bula e o número real que se consegue extrair do frasco. Essa situação ocorreu, por exemplo, em casos em que nos frascos deveria conter cinco doses e se conseguiu retirar apenas quatro doses. 

 

A Prefeitura seguirá mantendo o controle e a inspeção dos imunizantes para sempre garantir a segurança assistencial da população.