Pular para o conteúdo principal

Mais de 20 integrantes da oficina de liderança e feedback para direção escolar posam para foto.
Foto: Divulgação PBH

PBH realiza oficina de liderança e feedback para direção escolar

21/03/2019 | 19:43 | atualizado em 21/03/2019 | 19:43

Para dar continuidade ao Programa de Engajamento e Motivação dos Professores da Rede Municipal de Educação, a Prefeitura, por meio das secretarias de Planejamento, Orçamento e Gestão e de Educação, promoveu na terça-feira, dia 19 de março, a Oficina de Liderança – Formação e Prática. Voltada, inicialmente, para diretoras, diretores e coordenadores de 13 escolas municipais de Belo Horizonte, a atividade teve como objetivo a discussão do tema “Gestão de Pessoas” no contexto da administração pública e os formatos de feedback (retorno do líder em relação ao trabalho executado pelo funcionário) - possíveis e adequados para o universo escolar.

 

"São ações de formação em temáticas importantes relacionadas ao engajamento profissional. Foi um momento de refletirmos sobre propósito profissional, feedback, liderança e gestão de pessoas. A possibilidade de termos  escolas vivenciando a reflexão sobre essas temáticas é inovador e pioneiro", disse a secretária Municipal de Educação, Ângela Dalben, sobre o encontro.

 

De acordo com a subsecretária municipal de Gestão de Pessoas, Fernanda Neves, o principal desafio dos servidores participantes do curso é o fato de estarem, temporariamente, na posição de direção que ocupam, o que gera impactos na relação com os pares.  “Diante desse cenário, trabalhamos sobre a importância de uma gestão democrática e da construção de relação de confiança no coletivo, base para uma cultura de feedback”, destacou.

 

Para falar sobre o assunto, a convidada foi Ianaira Neves, integrante do Instituto República, psicóloga organizacional formada pelas universidades Federal da Bahia (UFBA) e de Granada/Espanha e especialista em Educação Corporativa pela Universidade de São Paulo (USP).

 

Durante sua abordagem, Ianaira enfatizou a importância de um feedback correto e seus efeitos positivos, tanto para o líder quanto para o liderado. “Como você pode parar e sensibilizar o seu olhar quando você vai dar o retorno de um comportamento para alguém? Como é que eu posso olhar para aquele comportamento e ver a melhor forma da outra pessoa receber o que estou falando, para que cheguemos a um objetivo final? Esses foram alguns dos pontos levantados para reflexão dos participantes”, contou a psicóloga.

 

Segundo Ianaira, o feedback dado de maneira errada quebra a comunicação e a escuta e o liderado acaba não tendo o retorno desejado. “O que trouxemos hoje é como você deve estar sensível na hora de falar com o outro a respeito de suas atitudes. Por isso, iniciamos nossa conversa sobre como nós recebemos e escutamos um feedback para depois tratarmos da forma como o repassamos”, explicou a especialista em Recursos Humanos. 

 

Para ela, o principal objetivo com a oficina é sensibilizar os profissionais. “O mais importante é quanto os diretores saíram da oficina sensibilizados no sentido de fortalecer uma relação de confiança dentro da escola, criando um ambiente melhor e mais agradável para o professor e impactando em uma educação mais positiva para o aluno”, considerou.

 

Participante da oficina, a diretora da Escola Municipal Padre Edeimar Massote, Janete Campos, afirmou que está confiante na aplicação mais correta das técnicas aprendidas. “Hoje ficou claro como posso utilizar na prática esse retorno. O feedback  adequado qualifica mais o trabalho e a nossa ideia é que chegue também lá na sala de aula, para que o professor tenha capacidade de dar um retorno positivo ao aluno. Isso será  transformador  e contribuirá para a cultura da paz,  do respeito e para o fortalecimento de relações mais horizontais e de reciprocidade em nossa comunidade escolar”, disse a diretora.

 

 

Programa

O Programa de Engajamento e Motivação dos Professores da Rede Municipal de Educação é uma ação pioneira da Prefeitura de Belo Horizonte, resultado de uma parceria com o Instituto República, organização de caráter apartidário e não corporativo que promove o investimento na valorização e qualificação de pessoas que trabalham nas esferas governamentais do Brasil.

 

A entidade criou, em 2018, a primeira residência em capital humano, cujo tema para a edição 2018/2019 é Engajamento e Incentivos não Financeiros no Setor Público. Belo Horizonte foi uma das cidades escolhidas para execução dessa proposta.

 

A ideia é que cada diretor de escola elabore um plano de atuação, de acordo com suas necessidades e especificidades, com o apoio metodológico dado pela Secretaria de Planejamento, por meio da Subsecretaria de Gestão de Pessoas. Além disso, foi elaborado, a partir de um workshop que contou com a participação de todos os diretores regionais, diretores e vices de 13 escolas, um plano geral de engajamento, contemplando um conjunto de ações comuns para o universo escolar. 

 

Esse plano trabalha o tema Liderança, que, segundo Fernanda Neves, é fundamental em qualquer programa de engajamento. “Ao longo do ano teremos atividades que atendam às demandas apresentadas pelo próprio grupo, como a criação de uma rede de trocas, cursos para formação de gestores e coaching, premiação de boas práticas, acolhimento de professores recém-nomeados e encontros de professores com a secretária de Educação”, disse Fernanda. Um projeto-piloto já foi iniciado na Escola Municipal Salgado Filho, situada no bairro Havaí. 


Últimas Notícias

Informativo sobre o Cornavírus em Belo Horizonte PBH publica homologação de resultado e pagamento a empreendedores culturais

Empreendedores culturais, de todas as regionais da cidade, receberão os recursos referentes aos projetos aprovados nesta edição.
 

01/06/2020 | 17:05
Grupo Galpão em "Eramos em bando" Grupo Galpão e Cine Cipó são algumas atrações do Circuito em Casa de junho

Entre os destaques da programação de junho ao longo desta semana está o Grupo Galpão, de 4 a 7 de junho.

01/06/2020 | 16:05