Pular para o conteúdo principal

Mulher mostra papel com instruções do curso de segurança do trabalho.
Foto: Divulgação PBH

PBH promove treinamentos sobre segurança de trabalho nas unidades de saúde

15/03/2019 | 16:14 | atualizado em 20/03/2019 | 15:46
Nos primeiros anos de trabalho como enfermeira, Vânia Regina Rodrigues se lembra de que agulhas e seringas eram esterilizadas em panela de pressão. “Naquela época, os riscos de acidentes de trabalho eram frequentes. Hoje, 26 anos depois, os acidentes reduziram muito”, conta. Uma das razões é porque houve melhoria na execução das atividades diárias da profissão com o uso de equipamentos de segurança, utensílios e adoção de procedimentos mais seguros, que minimizam o risco de acidente do trabalho para o profissional. 

 

Na Prefeitura de Belo Horizonte, cursos para contribuir com a redução de danos e com o resguardo de servidores que lidam na área da Saúde vêm sendo realizados, desde julho de 2018, pela Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão. O objetivo é tratar o tema segurança do trabalho para alertar e conscientizar os trabalhadores quanto às situações de risco durante o manuseio de material perfurocortante.

 

Segundo o gerente municipal de Segurança do Trabalho, Fabiano Martins Costa, que coordena as atividades, os cursos de segurança começaram com um projeto piloto na Regional Noroeste. “Havia um alto número de acidentes com o material perfurocortante nas unidades de saúde da região. Diante dessa realidade, nos empenhamos para realizar com esse grupo a primeira conversa, para orientar sobre como descartar os materiais perfurocortantes com segurança. Após o êxito no primeiro encontro, multiplicamos esse treinamento para todos os nossos profissionais de segurança que atuam nas pontas e estamos realizando as capacitações em todas as regionais da cidade”, explica Fabiano. 

 

Na Pampulha, já participaram da atividade 163 servidores, entre farmacêuticos, dentistas, técnicos e auxiliares de odontologia, enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem que trabalham nos centros de saúde Padre Tiago, Santa Rosa, Confisco, Serrano, Trevo, Ouro Preto, Dom Orione, Padre Joaquim Maia e CERSAM. Os profissionais se reuniram para um bate-papo sobre o tema e abordaram as práticas de cada setor, identificando as situações de risco e apontando estratégias de melhorias.

 

Antônio Lúcio da Silva trabalha como auxiliar de enfermagem no Centro de Saúde Dom Orione. Com 31 anos de experiência na profissão, ele acredita que a conscientização do profissional ajuda a diminuir os índices de acidentes no trabalho. “Por isso é importante conversar sobre os riscos e estar sempre atento aos procedimentos corretos”, ressalta Antônio. 

 

Para a gerente do Centro de Saúde Padre Tiago, Paula Lucchesi, as ações de conscientização devem ser constantes. “Essas rodas de conversa ajudam a criar uma cultura institucional de segurança e gerenciamento de risco que vai repercutir na prevenção de acidentes, na qualificação do processo de trabalho, no levantamento de necessidades para promover capacitações e em um maior conhecimento sobre os fluxos e as condutas a serem tomadas diante de cada evento”, afirma.

 

Técnica de Segurança do Trabalho da Subsecretaria de Gestão de Pessoas, Raquel Rocha Moura Fonseca, responsável pela condução da atividade nas unidades de saúde da Pampulha, ressalta que é fundamental que o profissional fique atento para os riscos em seu ambiente de trabalho. “É necessário que o trabalhador identifique os riscos aos quais está exposto e adote comportamentos seguros durante sua atividade laboral, a fim de evitar o adoecimento”, alerta. A meta é que até julho/2019 todos os profissionais da Saúde passem pelos treinamentos.

 

 

15/03/2019. Treinamento sobre segurança na unidades de saúde. Fotos: Divulgação/PBH