Pular para o conteúdo principal

Arte feita pela PBH
Foto: Arte/PBH

PBH promove evento para soluções inovadoras em Artesanato, Design e Gastronomia

07/05/2021 | 13:05 | atualizado em 11/05/2021 | 14:09

A Prefeitura de Belo Horizonte, em parceria com a Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas), promove, entre os dias 17 e 24 de maio, o “Hackathon: Soluções para a Economia Criativa”. No âmbito da adesão de Belo Horizonte à Rede de Cidades Criativas da Unesco, o evento acontecerá de forma on-line, com a proposta de incentivar a criação de soluções inteligentes, inovadoras e tecnológicas para recuperar o setor criativo da capital mineira, no contexto de desafios impostos pela pandemia de Covid-19. 

 

A maratona Hackathon e os seminários temáticos serão organizados pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SMDE), pela Empresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte (Belotur) e pela Secretaria Municipal de Cultura (SMC), junto ao Departamento de Relações Internacionais da PUC Minas. O evento também conta com a participação da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), de cidades brasileiras e estrangeiras da Rede de Cidades Criativas da Unesco, entre outros. 

 

As inscrições do “Hackathon: Soluções para a Economia Criativa” estão abertas até 12 de maio - ou até que o limite de vagas seja atingido -, buscando mobilizar empreendedores, profissionais, estudantes e interessados nos setores da economia criativa, seja pessoa física ou jurídica, de Belo Horizonte. A inscrição deve ser feita neste link

 

Artesanato, Design e Gastronomia são as categorias da economia criativa para as quais os participantes da maratona deverão desenvolver ideias inovadoras. As equipes classificadas em primeiro lugar receberão o prêmio de R$ 4 mil; os times classificados em segundo lugar receberão R$ 2 mil; e os selecionados em terceiro lugar R$ 1 mil. 

 

De acordo com o diretor de Relações Internacionais da PBH, Hugo Salomão, o evento realizado pela parceria entre a PBH e a PUC Minas trará a oportunidade de conectar relevantes atores do setor criativo, nacionais e internacionais, para fomentar a criação de ideias inovadoras, desenvolver soluções práticas e adaptar iniciativas bem-sucedidas que conduzam à dinamização e ao reaquecimento econômico dos setores da economia criativa, tendo como base a Agenda 2030 das Nações Unidas. 

 

“Como ‘Cidade Criativa’ da Unesco, é necessário que Belo Horizonte desenvolva iniciativas de cooperação internacional junto a outras cidades da rede, bem como fomente o ecossistema criativo local. Nesse contexto, o Hackathon mobilizará redes e organismos internacionais, cidades brasileiras e estrangeiras, empresas, profissionais e estudantes de diferentes áreas, para trocarem conhecimento e desenvolverem soluções inovadoras para desafios da economia criativa. De acordo com a Unesco, é sobretudo no nível local que a criatividade é vivida e praticada diariamente. Estimular as indústrias criativas, promover a participação cidadã e cooperar com o setor privado e a sociedade civil são formas do poder público apoiar o crescimento urbano sustentável, com referência às principais agendas globais de desenvolvimento”, explica o diretor da PBH. 

 

A diretora de Projetos Estratégicos e Inovação da SMDE, Camilla Freitas, explica que a economia criativa, conjunto de negócios que geram valor econômico a partir do capital intelectual, cultural e criatividade, foi duramente afetada pela pandemia da Covid-19 em toda sua cadeia produtiva – da criação ao consumo. 

 

“A economia criativa foi duramente impactada no mundo inteiro pela pandemia de Covid-19, e em Belo Horizonte não foi diferente. O setor criativo, que em 2020 abrigava mais de 7,1 milhões de trabalhadores no Brasil, foi afetado em sua forma de subsistência e existência, já que grande parte dele, como os segmentos artístico e cultural, depende do encontro de pessoas, da presença em espaços fechados ou de aglomerações em toda sua cadeia produtiva: da criação ao consumo. De acordo com a Fundação Getúlio Vargas, 88,60% das micro e pequenas empresas e profissionais autônomos tiveram seu faturamento reduzido pela pandemia, e 63% do contingente total desse grupo não conseguem realizar as atividades em condições de isolamento social. Estima-se que o setor perdeu cerca de 458 mil empregos em 2020”, afirma. 


SERVIÇO
 

Inscrições: https://forms.gle/t8bvTX8MZV4icpjx5
 
Mais informações pelo email [email protected]  

 

Leia o edital do Hackathon neste link