Pular para o conteúdo principal

Paciente de hemodiálise acompanhado por uma técnica de saúde e uma professora.
Foto: Divulgação PBH

PBH forma turma de EJA para atender pacientes durante sessões de hemodiálise

10/01/2019 | 17:19 | atualizado em 11/01/2019 | 17:58
Você já imaginou poder estudar ao mesmo tempo em que realiza um tratamento de hemodiálise? Em Venda Nova isso é possível. A Secretaria Municipal de Educação, por meio da Diretoria de Educação da Regional Venda Nova e da Escola Municipal Padre Marzano Matias, formou duas turmas de Educação de Jovens e Adultos para atender pacientes do Centro de Nefrologia do Hospital Evangélico de Venda Nova. 

A ideia surgiu a partir de um pedido do Centro de Nefrologia do Hospital Evangélico de Venda Nova, ao perceber que grande parte dos pacientes não era alfabetizada. Um levantamento feito pela equipe multidisciplinar do Centro mostrou que, entre os pacientes atendidos, 330 não possuem o Ensino Fundamental completo e 48 são analfabetos. 

As aulas têm sido um alento na vida dos pacientes que ficam horas parados, ligados à máquina de hemodiálise. Eunice de Fátima Rodrigues, 64 anos, moradora do bairro Letícia, faz hemodiálise há cinco anos por conta de um problema renal causado pela hipertensão. Ela só pôde estudar até o 4º ano, e conta que ficou entusiasmada quando soube que poderia aprender enquanto fazia o tratamento. “Eu ficava quatro horas parada, sem ter nada para fazer. Com as aulas o tempo passa mais rápido e de uma forma descontraída”, disse. 

Ana Paula Andrade Rocha, gerente administrativa do Centro de Nefrologia do Hospital Evangélico, conta que tomou conhecimento de uma experiência similar no Maranhão e achou interessante implantar na unidade. Ela salienta que a Secretaria Municipal de Educação apoiou o projeto imediatamente. “Muitos pacientes não sabiam ler nem escrever o próprio nome. Esse projeto está sendo muito significativo para eles, é uma oportunidade única. Eles não podem ir à escola, mas a escola vem até eles”, falou Ana Paula.

Dos pacientes atendidos, 47 demonstraram interesse em concluir os estudos e, como cada um está em um nível de aprendizado, o material didático foi adaptado. Cada paciente assiste às aulas no dia do tratamento, durante as sessões de hemodiálise.

A coordenadora da Educação de Jovens e Adultos no Padre Marzano, Aliny Francisca, explica que os alunos estão muito interessados e o ambiente na sala de hemodiálise mudou com as aulas. “O depoimento deles é que antes o assunto da sala era a doença. E agora o assunto é a saúde, porque eles discutem os textos, se ajudam e contam também com ajuda da equipe médica e de enfermagem”, disse. 

Para 2019, está programada a ampliação do atendimento para seis turmas com capacidade para 150 interessados. 



Educação de Jovens e Adultos

A proposta da Educação de Jovens e Adultos (EJA) é garantir o direito a todos os cidadãos de iniciar, retomar ou concluir os estudos. Na Rede Municipal de Educação, a EJA é ofertada em escolas municipais de todas as regiões da cidade. 

Em 2018, a Educação de Jovens e Adultos atendeu mais de 12 mil estudantes, entre eles, mais de 1400 com idade superior a 60 anos. No total, foram cerca de 527 turmas de EJA, funcionando nos períodos da manhã, tarde e noite em 108 escolas municipais ou em 81 espaços não escolares, como centros comunitários, centros de convivência e Centro de Referência da Pessoa Idosa. 
 
 

10/01/2019. Educação de jovens e adultos beneficia pacientes de hemodiálise em Venda Nova. Fotos: Divulgação/PBH

Ouça este conteúdo

Últimas Notícias

PBH realiza reconstrução da rede de drenagem na avenida dos Andradas

Reconstrução da rede de drenagem na avenida dos Andradas gera economia e mais segurança à população.

16/01/2019 | 19:44
Fachada do BH Resolve, durante o dia. Sala Mineira do Empreendedor, no BH Resolve, vai oferecer serviços da Fecomércio

Desde 15/1, a Fecomércio MG vai oferecer seus serviços na Sala Mineira do Empreendedor, no BH Resolve.

15/01/2019 | 19:50