Pular para o conteúdo principal

Informativo sobre o Cornavírus em Belo Horizonte
Foto: Arte PBH

Prefeitura faz oficinas de máscaras com cidadãos em unidades de acolhimento

22/04/2020 | 18:03 | atualizado em 08/05/2020 | 17:26

A Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania está promovendo oficinas de confecção de máscaras de tecido nas unidades de acolhimento institucional. O curso inclui todo o processo de confecção, uso, manejo e higienização das máscaras para prevenção ao Coronavírus. A partir desta quarta-feira, o uso de máscaras passou a ser obrigatório em Belo Horizonte, como forma de evitar a propagação da Covid-19.

Já foram realizadas oficinas na unidade de acolhimento institucional para mulheres adultas, localizada no Bairro Copacabana, no Centro Pop Miguilim (Centro de Referência Especializado em Atendimento a Crianças e Adolescentes em Situação de Rua) e nos abrigos Pompéia (acolhimento de famílias) e Fábio Alves (público adulto).

O diretor de Proteção Social Especial da Subsecretaria de Assistência Social, Régis Spíndola, ressalta que o uso de máscaras é necessário para que haja uma barreira física, reduzindo a exposição e o risco de infecção pelo Coronavírus – que pode ser disseminado por gotículas suspensas no ar quando pessoas infectadas conversam, tossem ou espirram.

“Além da eficiência, a máscara é um equipamento simples, barato, de pouca complexidade na produção e um grande aliado no combate à propagação da Covid-19”, aponta. “A aplicação desta oficina proporciona maior conscientização sobre o cuidado individual e geral que as pessoas devem ter para a proteção e diminuição da propagação do vírus”, completa Régis Spíndola.

“As oficinas foram planejadas visando a extrema necessidade de proteção e cuidado com a saúde das pessoas, além de diminuir a ociosidade dos moradores e usuários, visto que neste período de isolamento social aumenta o tempo livre, e também para auxiliar na prevenção da disseminação do Coronavírus”, afirma Mirtes Pereira dos Santos, coordenadora do Abrigo Pompéia.

A produção das máscaras é artesanal, envolvendo costura manual e o uso de máquina. As oficinas estão sendo realizadas em pequenos grupos e com distância segura entre os participantes. Os produtos serão utilizados pelos usuários e profissionais que atuam nos equipamentos. O excedente poderá ser distribuído a outras unidades de acolhimento institucional da Prefeitura de Belo Horizonte. Ainda nesta semana está prevista a realização da atividade no Abrigo Granja de Freitas.

 

Uso obrigatório

Em Belo Horizonte passou a ser obrigatório o uso de máscaras ou cobertura sobre o nariz e boca em todos os espaços públicos, equipamentos de transporte público coletivo e estabelecimentos comerciais, industriais e de serviços. A regra foi estabelecida pelo Decreto 17.322, publicado na edição de 17 de abril do Diário Oficial do Município (DOM). A medida, por tempo indeterminado, é mais uma das adotadas pela Prefeitura para conter a proliferação do Coronavírus na capital.