Pular para o conteúdo principal

 PBH apresenta a exposição "Outras Habitabilidades", no Museu Casa Kubitschek
Foto: Tarcísio de Paula

PBH apresenta a exposição "Outras Habitabilidades", no Museu Casa Kubitschek

criado em 13/07/2021 - atualizado em 13/07/2021 | 11:34

A Secretaria Municipal de Cultura, a Fundação Municipal de Cultura e o Instituto Periférico lançam nesta quarta-feira, dia 14, a exposição “Outras Habitabilidades” no Museu Casa Kubitschek. A mostra, que integra a programação do projeto Pampulha Território Museus, conta com a curadoria de Carlos M. Teixeira e Marconi Drummond e tem a premissa de potencializar a integração do acervo mobiliário do Museu Casa Kubitschek com outros objetos de design e obras de arte, criando uma harmonia inclusiva na arquitetura residencial do espaço que reflita o diálogo entre o modo de morar modernista do museu com as diversas formas contemporâneas de habitar da Pampulha, de Belo Horizonte e do Brasil. 

 

A exposição funcionará atendendo a todos os protocolos de prevenção ao contágio pela Covid-19 determinados pela Prefeitura de Belo Horizonte, incluindo agendamento prévio e gratuito pelo pbh.gov.br/reaberturamuseus. As visitas podem ser feitas de quarta-feira a domingo, das 11h às 18h. 

 

Secretária Municipal de Cultura e presidenta interina da Fundação Municipal de Cultura, Fabíola Moulin ressalta a importância da nova exposição “Outras Habitabilidades” na Casa Kubitschek. “A exposição faz uma releitura da forma de morar modernista. É uma mostra inédita, que provoca uma reflexão interessante sobre o diálogo entre o tradicional e o contemporâneo no campo da arquitetura residencial”, ressalta. 

 

A exposição "Outras Habitabilidades" reforça a vocação do Museu Casa Kubitschek para ofertar ao público experiências reflexivas e sensíveis no campo da arquitetura residencial, do universo doméstico, do paisagismo e da história da Pampulha, de forma acessível, crítica e diversa. A mostra colabora, ainda, para ressaltar e valorizar os aspectos arquitetônicos e paisagísticos do museu, e também apresentar elementos que permitam perceber os contextos históricos, culturais e políticos que caracterizam o território da Pampulha. 

 

Dessa forma, “Outras Habitabilidades” estrutura-se em três pontos expositivos: a Camada Histórica, que apresenta o desenvolvimento urbanístico da região e valoriza os aspectos da arquitetura e do paisagismo do espaço; o Mobiliário Deslocado, que reorganiza os móveis e objetos pertencentes a D. Juracy Guerra, última moradora do imóvel, mantendo as denotações íntimas dos antigos habitantes do local, com o acréscimo de objetos representativos dos espaços domésticos brasileiros; e o Residentes Contemporâneos, que retrata outras manifestações arquitetônicas – tradicionais, inclusivas e populares - e evidencia  a integração entre arquitetura, paisagismo e artes visuais presentes no movimento modernista brasileiro. 

 

A exposição "Outras Habitabilidades" apresenta objetos de design, maquetes arquitetônicas e paisagísticas, obras de arte contemporânea, assim como acervos fotográficos e documentais do Museu Casa Kubitschek e os cedidos pela família Guerra e por outras instituições públicas e privadas. Estão presentes na mostra croquis de Oscar Niemeyer e obras de Paulo Werneck, Alfredo Volpi, Lúcio Costa, Vik Muniz, Fernando Lara, Nydia Montenegro, Ariel Ferreira, Lina Bo Bardi, Nino Cais, Angela Detanico e Rafael Lain, Coletivo Poro, entre outros. 

 

O Pampulha Território Museus é uma realização da Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura, e do Instituto Periférico. 

 

O Museu Casa Kubitschek  

 

O Museu Casa Kubitschek (MCK) integra o Conjunto Arquitetônico da Pampulha e tem como sede a casa modernista construída para ser residência de fim de semana do então prefeito Juscelino Kubitschek (1940- 1945). Marco da arquitetura moderna dos anos de 1940, a casa projetada por Oscar Niemeyer é cercada por exuberante jardim planejado pelo paisagista Roberto Burle Marx, em terreno de aproximadamente 3 mil m². 

 

O museu foi inaugurado em 2013, com o objetivo de oferecer ao público experiências reflexivas e sensíveis no campo do paisagismo, da arquitetura residencial, dos modos de morar e da história da Pampulha, por meio da realização das ações de aquisição, conservação, investigação e difusão de acervos referenciados no movimento modernista e na ocupação da região da Pampulha. 

 

“Outras Habitabilidades” sucede a exposição “Casa Kubitschek: uma invenção modernista do morar” que apresentou os móveis que compõem o acervo do museu, dispostos de acordo com a ambientação encontrada quando a casa era habitada pela família Guerra. A exposição foi aberta ao público em setembro de 2013, quando da inauguração do Museu Casa Kubitschek e permaneceu em cartaz até janeiro de 2021, totalizando 141.947 visitantes. 

 

Sobre o Pampulha Território Museus 

 

O Museu de Arte da Pampulha (MAP) e a Casa do Baile são reconhecidos pela Unesco como Patrimônio Cultural da Humanidade, e o Museu Casa Kubitschek é um importante ícone da arquitetura residencial modernista. Os três são unidades museais presentes na paisagem cultural do Conjunto Moderno da Pampulha. Ao reconhecer sua importância e representatividade para Belo Horizonte, o “Pampulha Território Museus”, lançado em dezembro de 2020, busca promover cada um desses espaços, valorizando suas vocações museológicas e sua relação com a cidade. 

 

Por meio da parceria entre a Fundação Municipal de Cultura e a OSC Instituto Periférico, selecionada por meio de edital, os museus recebem uma programação cultural inovadora, com exposições, atividades culturais e educativas, estimulando a participação ativa dos cidadãos.  Até dezembro de 2021, a iniciativa realizará 3 exposições, 20 atividades culturais, 48 atividades educativas, 10 projetos de design e 3 publicações.