Pular para o conteúdo principal

PBH apresenta resultados após os dois primeiros repasses às empresas de ônibus
Rodrigo Clemente/PBH

PBH apresenta balanço dos primeiros repasses de subsídios às empresas de ônibus

criado em 23/08/2022 - atualizado em 23/08/2022 | 17:37

Em reunião especial do Grupo de Trabalho Mobilidade, na Câmara Municipal, nesta terça-feira (23), a Prefeitura de Belo Horizonte fez um balanço do desempenho do sistema de transporte coletivo na cidade, após o repasse das duas primeiras parcelas do subsídio às empresas do setor. 

Ao lado do secretário municipal de Política Urbana, João Antônio Fleury, e do subprocurador-geral do Contencioso, Caio Perona, o superintendente de Mobilidade André Dantas fez uma exposição detalhada sobre o processo de monitoramento diário da operação, a fiscalização, verificação e validação do serviço prestado, e as ações da Prefeitura até agora. 

O relatório mostrou que 97% das linhas de ônibus que circulam em BH tiveram o quadro de horário ampliado nos dias úteis. Essa ampliação foi verificada em 95% das linhas aos sábados e em 98% aos domingos. Os resultados apurados superam a exigência da Lei 11.367/2022, resultante do acordo firmado entre a Prefeitura, a Câmara Municipal e as concessionárias. 

A legislação que autorizou o repasse de R$ 237,5 milhões às empresas, em 12 parcelas, determina, entre outras condicionantes, o congelamento das tarifas até março de 2023, e a realização de, no mínimo 21.708 viagens em dias úteis, sendo pelo menos 528 no período noturno, de 0h às 3h59. 

Quando o primeiro repasse às concessionárias foi feito, no dia 11 de julho, foram registradas 16.799 viagens. No dia seguinte, já foram contabilizadas 19.203 viagens. Um mês depois, no dia 11 de agosto, data do segundo repasse, o número de viagens saltou para 22.322. No mesmo período, a média diária de passageiros transportados passou de 913 mil para 984 mil. 

Contribuição dos usuários

Com a disponibilização do canal de comunicação com a população por meio do WhatsApp (31) 98472-5715, os usuários passaram a ter importante papel na melhoria do sistema. Todas as mais de 7,7 mil mensagens recebidas foram analisadas e respondidas. Diversas demandas já foram atendidas, tais como adequação do quadro de horários, superlotação e condições dos veículos. 

De acordo com o superintendente de Mobilidade, André Dantas, este é um trabalho em desenvolvimento e vários desafios terão que ser enfrentados e vencidos. "Mantemos o monitoramento do sistema, verificando o cumprimento das condicionantes, identificando e buscando soluções para os problemas. O nosso desafio maior será encontrarmos, em consenso com os vereadores e as concessionárias, meios para garantir a eficiência do transporte coletivo em BH no longo prazo”, conclui.