Pular para o conteúdo principal

Obras para contenção de enchentes na avenida Vilarinho
Foto: Divulgação PBH

Obras simultâneas são executadas pela PBH para prevenir enchentes na Vilarinho

30/11/2020 | 16:59 | atualizado em 30/11/2020 | 17:07

A Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap) está executando, simultaneamente, obras de grande porte para prevenção de enchentes na região de Venda Nova. No ano passado, foram iniciadas as intervenções de tratamento de fundo de vale e controle de cheias nos córregos Lareira e Marimbondo, afluentes do córrego do Nado, sendo a primeira etapa das obras. Estão sendo feitas redes de drenagem e interceptoras de esgoto, urbanização e construção de duas bacias. A expectativa é de que, ao regular as vazões dos córregos Marimbondo e Lareira, melhora-se a capacidade de escoamento do córrego Vilarinho. Nesta fase estão sendo investidos aproximadamente R$ 40 milhões, com recursos repassados pelo Programa de Aceleração do Crescimento e contrapartida do Fundo Municipal de Saneamento.

Também está em andamento a implantação de uma estrutura hidráulica de captação dos escoamentos superficiais no emboque do Ribeirão Isidoro, localizado na avenida Vilarinho com rua Doutor Álvaro Camargos e rua Maçom Ribeiro. Nesta segunda etapa está prevista a construção da caixa de captação – com área aproximada de 2.500 m² e volume da ordem de 10 mil m³ (10 milhões de litros) –, com investimento de aproximadamente R$ 10,5 milhões.

A Prefeitura está fazendo um trabalho que foi planejado tanto do ponto de vista de manutenção quando de infraestrutura, conforme explica o superintendente da Sudecap, Henrique Castilho. “Essa segunda fase, por exemplo, é como se fosse uma grande caixa d´água, um tipo de piscinão que vai captar água de chuva que vem sobre a pista alagando justamente nesse ponto e que voltará para o ribeirão do Isidoro. Quando os grandes reservatórios ficarem prontos, nós vamos conseguir armazenar e depois escoar, quando a chuva passar, um volume de aproximadamente 115 milhões de litros de água cada um, mas esta será uma terceira fase a ser feita”.

Na terceira etapa, serão feitos reservatórios profundos chamados de Nado I e Vilarinho II, cada um com uma capacidade prevista de 115 mil m³. Em setembro foi assinado um convênio entre a Prefeitura de Belo Horizonte e a Caixa Econômica Federal que garante recursos na ordem de R$ 200 milhões para obras nas bacias hidrográficas dos córregos Vilarinho, Nado e do Ribeirão Isidoro. Atualmente, o empreendimento encontra-se em fase de estudos e elaboração de projetos técnicos de engenharia para obras de micro e macrodrenagem, desapropriações, além de indenizações de benfeitorias e terrenos necessários para liberação de área para obras.