Pular para o conteúdo principal

Cinco crianças brincando em parquinho no quintal de Umei
Foto: Divulgação/PBH

Obras de ampliação põem fim na lista de espera em Umei da regional Nordeste

03/09/2018 | 16:30 | atualizado em 11/12/2018 | 19:11
O segundo semestre iniciou com novidades na Umei Goiânia. A unidade, que recebe o nome do bairro onde está localizada, fica na rua José Arcanjo Santiago, 300. Inaugurada em 2014, a instituição passou a ser referência no local e, por isso, a demanda por vagas sempre foi grande. A situação ficou ainda mais complexa, quando a creche que funcionava ao lado foi desativada. Atendendo a demanda da comunidade, a Prefeitura de Belo Horizonte optou por assumir e reformular o espaço, que era cedido em comodato para a antiga creche. Com isso, a Prefeitura, além de melhorar a infraestrutura do imóvel, pode ampliar o número de vagas para as crianças da região.

A reforma do imóvel, incluindo área externa, refeitório, revisão hidráulica, elétrica e do telhado, revitalização dos banheiros, da cantina, das salas de aulas, da sala de professores e da sala multiuso, pintura interna, tanque e escovário, com fornecimento de material, mão de obra e equipamentos, representou um investimento de cerca de R$ 250 mil. As atividades no novo espaço começaram no dia 25 de junho de 2018 com duas turmas e já conta, atualmente, com seis turmas, atendendo 56 crianças em horário integral.

"As obras de adequação mexeram em toda a infraestrutura do antigo prédio e foram pensadas para o atendimento de crianças de 0 a 2 anos, público de maior procura. A nossa lista de demanda para essa idade era enorme e esse anexo solucionou o problema. Todos que aguardavam vagas foram atendidos e conseguimos receber outras crianças que nem estavam na lista, inclusive de bairros vizinhos, como o Maria Goretti e o Jardim Vitória", revela Michele Júnia de Freitas, diretora da Umei.

A professora Maria Glória de Figueiredo Reis destaca a questão social implícita na reforma do espaço. "Esse anexo foi tudo de bom para essa comunidade. O aumento de vagas é uma questão social, principalmente em uma comunidade com poucas opções de atendimento nessa faixa etária. A criança tem de estar em um espaço como esse, todo educativo. Não há melhor lugar para elas estarem, aprendendo com os professores e convivendo com outras crianças e adultos” afirma.
 

Mudanças aprovadas

A satisfação da comunidade é perceptível. De acordo com a coordenadora pedagógica, Deize de Oliveira, o envolvimento das famílias demonstra a importância dessa obra. "As famílias estão encantadas, primeiro pelas mudanças, porque aqui era completamente diferente. O espaço está muito acolhedor e as famílias confiantes na escola, no nosso trabalho. A gente percebe a satisfação de todos e o ganho que essa unidade representa para a comunidade. Os relatos são muito positivos e as famílias estão percebendo suas crianças muito felizes na escola. Isso é o mais importante", comenta a coordenadora.

Nayara Vieira Paiva Lima se diz surpresa com a transformação do imóvel. "Antes de inaugurar a Umei, a Bianca estudou nesse prédio que agora é o anexo, então eu conheci o que era antes. E o que fizeram aqui é inacreditável, tudo mudou, somente a escada da entrada permaneceu, mas mesmo ela está diferente, ganhou cor e corrimão. Não tem comparação com o que era antes, não tinha telhado e o atendimento é totalmente diferente. Aqui meus filhos têm tudo que precisam e para mim é a melhor escola que existe”, elogia a mãe dos alunos João Miguel, 2 anos, e Bianca Emanuelle, 5 anos.

Para os pais do pequeno Lorenzo, a infraestrutura e a organização do lugar são pontos que merecem ser destacados. "O anexo ficou muito bom por conta da acessibilidade. Meu filho tem dois anos e a escola é toda acessível a ele. As rampinhas, os banheiros, os brinquedos são mais adequados. Achei que a estrutura e a organização ficaram muito boas, com a separação dos pequeninhos, dos maiorezinhos. Ele já estudava na Umei, mas com a inauguração do anexo foi transferido e minha sobrinha de 2 anos conseguiu uma vaga em horário integral. A família esta muito satisfeita”, afirma Ana Karolina Magalhães Marçal. O marido, Alexandre Augusto Marçal, completa: "desde o início, quando o matriculamos o Lorenzo, a Umei Goiânia se tornou minha segunda família. Esse lugar tem me ajudado bastante com a educação e com a rotina do meu filho”, diz Alexandre.

Não foram somente as obras do anexo que agradaram a comunidade local. Em seu plano de obra anual, a diretora Michele Júnia discutiu com professores, funcionários e famílias o que poderia ser modificado para melhor atender as crianças da Umei Goânia. “O espaço que temos na Umei, onde estão agora as crianças de 3, 4 e 5 anos, é maravilhoso, mas, em tempo de chuva ou de muito sol, o local para as brincadeiras das crianças ficava limitado. Nesse ano, incluímos no plano de obras um toldo para a cobertura do pátio e iniciamos o segundo semestre com o pátio coberto. Com a mudança das crianças para o anexo, foi também possível fazer um videoteca e uma biblioteca, um grande ganho.”
 

03/09/2018. UMEI Goiânia. Fotos: PBH/Divulgação