Pular para o conteúdo principal

Idosa colorindo um livro de colorir
Foto: Divulgação PBH

Movimento Gentileza leva entretenimento a idosos durante o período de quarentena

23/04/2020 | 17:10 | atualizado em 05/05/2020 | 17:35

Em tempos de isolamento social, os idosos residentes nas 28 Instituições Filantrópicas de Longa Permanência de Idosos (ILPIs) de Belo Horizonte e em 12 da Região Metropolitana terão, a partir da próxima semana, uma nova opção de lazer e entretenimento. A ação “Gentilezas para colorir” vai levar aos lares mais de 800 kits com cadernos de ilustração personalizados, caixas de lápis de cor, apontadores e borrachas.

A iniciativa é do Movimento Gentileza, coordenado pela voluntária social e primeira-dama do município, Ana Laender, e realizada com o apoio de parceiros, como o artista visual Fernando Perdigão, que voluntariamente criou 14 desenhos afetivos com temas ligados ao público da terceira idade. O resultado é um material simples e de fácil assimilação, que estimula a criatividade, a memória e a imaginação.

“Os idosos institucionalizados já sofrem um isolamento natural, devido às dificuldades de interação com o mundo exterior. Em meio ao momento que estamos todos enfrentando, buscamos uma alternativa de estarmos perto deles por meio do afeto, mantendo-os ativos a partir de uma prática que eles já conhecem e apreciam”, explica Ana Laender.

Ao todo, mais de 800 idosos serão beneficiados com a ação, levando em consideração apenas os institucionalizados que ainda têm a capacidade cognitiva preservada. No intuito de reforçar a segurança, todos os lares serão orientados a higienizar os kits no momento do recebimento, bem como terão dicas sobre o manuseio dos objetos.

 

Sobre o Movimento Gentileza

Em dois anos e meio de atuação em Belo Horizonte, o Movimento Gentileza trabalha com a realização e apoio a diversas ações que contribuem para uma cidade mais gentil com a cena urbana e os cidadãos, sempre em parceria com o poder público municipal e a iniciativa privada.

Idealizado e coordenado pela voluntária social e primeira-dama do município, Ana Laender, o Movimento é responsável por iniciativas dedicadas à inclusão social e cultural de crianças, jovens e idosos, bem como a requalificação do espaço urbano por meio da arte e ações de preservação da memória da cidade.