Pular para o conteúdo principal

Imagem em P&B do ator Paulo José, muito jovem, de terno, com prédios ao fundo. Cena do filme A Vida Provisória.
Foto: Divulgação

Mostra no MIS Cine Santa Tereza apresenta filmes produzidos na vigência do AI-5

13/12/2018 | 17:15 | atualizado em 18/12/2018 | 20:02

A Fundação Municipal de Cultura apresenta, entre os dias 13 a 21 de dezembro, no MIS Cine Santa Tereza, a “Mostra Cineclube Comum: Brasil 68”, com exibições comentadas de 12 filmes realizados no Brasil em torno do ano de 1968, quando foi decretado o Ato Institucional nº 5 (AI-5), expressão máxima de intolerância, autoritarismo e repressão da ditadura militar. As sessões têm entrada gratuita, mediante retirada de ingressos 30 minutos antes de cada sessão.

 

A mostra abre exatamente no dia 13 de dezembro, quando completam-se 50 anos da publicação do AI-5, que foi decisivo no cerceamento das liberdades na ditadura militar. À época, a gravidade da experiência histórica brasileira influenciou uma série de mudanças no cinema nacional: reformulação dos pressupostos do Cinema Novo, com a revisão das representações da experiência popular, como se pode ver em Garota de Ipanema (1967), de Leon Hirszman; intensificação das reflexões sobre a derrota política, como em O Bravo Guerreiro (1969), de Gustavo Dahl; surgimento do chamado Cinema Marginal, atravessado pelo desespero diante da repressão, do qual um dos expoentes é Meteorango Kid, um Herói Intergalático, de André Luiz Oliveira (1969); fortalecimento dos trânsitos entre vanguarda política e experimentalismo estético, como se pode perceber em Jardim das Espumas, de Luiz Rosemberg Filho (1970).

 

Todos esses títulos estão entre os 12 filmes selecionados que revelam a relação intrínseca entre a história do país e a arte cinematográfica, sendo que a mostra também aposta em filmes menos canônicos dessa época, com atenção especial às obras que só puderam ser exibidas muitos anos depois, devido à ação da censura. A programação inclui, ainda, o único longa do crítico e cineasta mineiro Maurício Gomes Leite, A Vida Provisória (1968), raramente exibido na cidade; Antes, o Verão (1968), de Gerson Tavares, recentemente redescoberto e restaurado; e Desesperato (1968), de Sergio Bernardes Filho, que teve sua circulação proibida pelo regime. Além disso, serão exibidos filmes raros produzidos por mulheres naquele momento, casos de Rosa Rosae (1968), da mineira Rosa Maria Antuña, e de A Entrevista (1967) e Meio-Dia (1969) de Helena Solberg.

 

A realização da mostra é do Cineclube Comum através do edital de seleção para uso dos espaços do Museu da Imagem e do Som de Belo Horizonte e todas as sessões serão comentadas por pesquisadores e pesquisadoras, críticos e críticas de cinema atuantes na cena belo-horizontina.

 

 

“Mostra Cineclube Comum: Brasil 68”

De 13 a 21 de dezembro

MIS Cine Santa Tereza

Rua Estrela do Sul, 89, Santa Tereza – Praça Duque de Caxias

ENTRADA GRATUITA

 

 

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

13/12 – QUINTA-FEIRA, ÀS 19H30

Rosa Rosae (Rosa Maria Antuña| Brasil | 1968 | 5 min)

Um mendigo faminto pede esmola a uma moça burguesa em seu jardim.  

A Vida Provisória (Maurício Gomes Leite | Brasil | 1968 | Drama | 8 min)

Um jornalista mineiro, radicado no Rio, segue para Brasília com documentos secretos a serem entregues a um político. Do Rio a Belo Horizonte, recorda dois amores. Em Brasília não consegue fazer chegar os documentos a seu destino. É espancado e morre. Classificação indicativa: 16 anos

*Sessão comentada por Rubens Gomes Leite e pelo curador da mostra Victor Guimarães

 

14/12 – SEXTA-FEIRA, ÀS 19H30

A Entrevista (Helena Solberg | Brasil | 1967 | 19 min)

Uma crítica aos valores sociais de mulheres da classe média alta do Rio de Janeiro.

Garota de Ipanema (Leon Hirszman | Brasil |Musical | 1967 | 89 min)

Márcia é uma típica garota de Ipanema. Toma banho de mar, vai à festas, frequenta rodas intelectuais, gosta de Bossa-Nova, estuda na PUC e namora. Depois de se desligar de Pedro Paulo, tem um flerte com o compositor Chico Buarque e uma aventura com um fotógrafo casado, sempre amparada pelo amigo Zeca. Incerta quanto a seu futuro, angustiada em sua busca pela felicidade, ela representa uma maneira de ser da classe média.

*Sessão comentada por Carla Italiano

 

15/12 – SÁBADO, ÀS 19H

Um clássico, dois em casa, nenhum jogo fora (Djalma Limongi Batista| Brasil|1968|Drama|30 min)

Um rapaz de classe média baixa, desempregado, acorda tarde e sai de casa. Perambula por São Paulo e, à noite, encontra um parceiro na Galeria Metrópole.

Blablablá (Andrea Tonacci| Brasil | 1968 | 33 min)

Um ditador num momento de uma grave crise nacional, confrontado na cidade e no campo por revoltas e guerrilha, na busca de uma paz ilusória, faz um longo pronunciamento pela televisão.

Classificação: 14 anos.

*Sessão comentada por Luís Fernando Moura

 

16/12 – DOMINGO, ÀS 17H

Meteorango Kid, o Herói Intergalático (André Luiz Oliveira | Brasil | Comédia |1969 | 85 min)

As aventuras de Lula, um estudante universitário, no dia do seu aniversário. De forma absolutamente despojada, anárquica e irreverente, mostra sem rodeios o perfil de um jovem desesperado, representante de uma geração oprimida pela ditadura militar e pela moral retrógrada de uma sociedade passiva e hipócrita. Classificação indicativa: 16 anos.

*Sessão comentada por Ana Luísa Coimbra

 

16/12 – DOMINGO, ÀS 19H

Meio-Dia (Helena Solberg | Brasil | 1969 | Ficção | 10 min)

Alunos revoltados em sala de aula, tendo como contexto o período da ditadura e a música de Caetano Veloso, “É Proibido Proibir”.

Desesperato (Sérgio Bernardes | Brasil | 1968 | Drama | 100 min)

Estória de um escritor que sai para pesquisar a literatura nas "zonas negras" do terceiro mundo. Na sua volta encontra uma estrutura arcaica que não pode suportar. Sai de casa rompendo essa estrutura.

*Sessão comentada por Maria Trika

 

19/12 – QUARTA-FEIRA, ÀS 19H30

Antes, o Verão (Gerson Tavares | Brasil | Drama| 1968 | 80 min)

Um homem na faixa dos 40 anos constrói uma casa de veraneio em Cabo Frio, no Rio de Janeiro. Casado com uma bela mulher, pai de dois filhos e bem sucedido na carreira, a casa é um símbolo de suas conquistas pessoais. Mas na medida em que o vento, o sal e a areia ameaçam invadir as brechas da casa, seu casamento começa a ruir. E como um mau agouro, um misterioso assassinato ocorre nas redondezas. Classificação: 14 anos

*Sessão comentada por Victor Guimarães

 

20/12 – QUINTA-FEIRA, ÀS 19H30

O Bravo Guerreiro (Gustavo Dahl | Brasil | Drama |1969 | 99 min)

Jovem deputado da oposição decide mudar para o partido da situação achando que só no poder conseguirá fazer alguma coisa pela causa pública. Um cabo eleitoral adverte-o que pelegos tentam tomar o sindicato tendo por motivo projeto de lei de sua autoria. O deputado vai à Assembléia Geral do sindicato e faz um discurso narrando a sua história política, concluindo que não é mais indicado para defender os sindicalizados. Classificação indicativa: 18 anos.

*Sessão comentada por Vinícius Andrade

 

21/12 – SEXTA-FEIRA, ÀS 19H

Jardim das Espumas (Luiz Rosemberg Filho | Brasil | Ficção Científica | 1970 | 120 min)

Um planeta extremamente pobre, dominado pela irracionalidade e opressão, recebe a visita de um emissário dos planetas ricos, interessado em acordos econômicos. Nem tudo, porém, é o que parece. Classificação indicativa: 18 anos.

*Sessão comentada por Letícia Marotta

Ouça este conteúdo

Últimas Notícias

PBH realiza reconstrução da rede de drenagem na avenida dos Andradas

Reconstrução da rede de drenagem na avenida dos Andradas gera economia e mais segurança à população.

16/01/2019 | 19:44
Fachada do BH Resolve, durante o dia. Sala Mineira do Empreendedor, no BH Resolve, vai oferecer serviços da Fecomércio

Desde 15/1, a Fecomércio MG vai oferecer seus serviços na Sala Mineira do Empreendedor, no BH Resolve.

15/01/2019 | 19:50