Pular para o conteúdo principal

Mulher manuseando sistema criado por ela em laboratório da Prodabel
Foto: Divulgação/PBH

Laboratório Aberto cria sistema que facilita passagem de ambulâncias e viaturas

19/02/2019 | 16:52 | atualizado em 24/05/2019 | 15:07
Quem dirige por Belo Horizonte certamente já passou pela situação de ter que liberar a via por conta de algum veículo com a sirene ligada, seja uma ambulância, carro do Corpo de Bombeiros ou viatura policial. Todos sabem que, naquele momento, é importante liberar a via o mais rápido possível. Afinal de contas, vidas podem estar em jogo. Pensando nisso, uma estudante de Belo Horizonte criou um sistema capaz de mudar esse cenário e contou com a ajuda da Empresa de Informática do Município de Belo Horizonte (Prodabel) para tirar a ideia do papel.  
 

Vitória Stephanie Moreira Caetano, 20 anos, é estudante de Ciência da Computação e estagiária na Prodabel. Utilizando o Laboratório Aberto, da Prodabel, ela criou um sistema que permite a comunicação entre veículos e os semáforos de Belo Horizonte. A tecnologia vai permitir que os carros que estiverem atendendo uma emergência tenham a passagem facilitada, com a redução do tempo de espera e a liberação mais rápida do fluxo da via em que eles se encontram. 

 

Para desenvolver o protótipo, a estagiária da Prodabel realizou testes no Laboratório. “O apoio da Prodabel foi fundamental para que esse protótipo fosse criado, não só dos colegas, mas também com a infraestrutura. Pude aprimorar até chegar ao modelo final”, afirmou Vitória. 

 

Laboratório Aberto

O laboratório foi inaugurado no ano passado e tem como objetivo oferecer um espaço para que as pessoas tenham a oportunidade de desenvolver suas habilidades e ideias. Na prática, ele funciona da seguinte forma: a pessoa, empresa ou parceiro apresenta uma possível solução para os desafios da cidade nas mais diversas áreas (saúde, educação, segurança, mobilidade urbana, entre outras). Após passar por uma avaliação, na qual é necessário preencher os requisitos previstos em um chamamento público, a ideia poderá ser aprimorada no prédio da Prodabel, e, quem sabe futuramente, ser implantada em Belo Horizonte ou qualquer outro município. É como se o prédio se transformasse em uma “pequena cidade”. Semáforos, câmeras, sensores de estacionamento e luminárias inteligentes são apenas alguns exemplos de objetos que serão testados no projeto. Além disso, há um espaço para que ocorra a prototipação de soluções, a produção de novas tecnologias e pesquisas. 

 

“O objetivo do laboratório é abrir a fibra óptica, conjunto de dados e toda infraestrutura tecnológica existente na cidade, em um ambiente controlado, para que as infinitas possibilidades de utilização dessas tecnologias possam ser trabalhadas. Como resultado, espera-se apoiar empreendimentos locais que demandem tal infraestrutura e utilizar esse cenário para pensarmos e criarmos soluções inovadoras para a gestão pública municipal”, afirmou Leandro Garcia, presidente da Prodabel. 

 

Os interessados em saber mais sobre a utilização do Laboratório Aberto da Prodabel podem entrar em contato pelo telefone (31) 3277-8451. 

 

19/02/2019. Laboratório Semáforo inteligente. Fotos: Divulgação/Prodabel

Ouça este conteúdo

Últimas Notícias

Caixas de frutas e legumes, como tomate, abobrinha e melancia, empinhadas. Prefeitura amplia Banco de Alimentos e mais instituições serão beneficiadas 

Instituições socioassistenciais interessadas em receber doações do Banco de Alimentos estão sendo cadastradas pela PBH.

17/06/2019 | 20:19
Mais de quarenta pessoas em fila do Teatro Marília, à noite Prefeitura de Belo Horizonte retoma projeto “Terça da Dança” no Teatro Marília

O projeto será realizado todas as terças de junho e julho, oferecendo espetáculos, intervenções e instalações artísticas de dança.

17/06/2019 | 18:57