Pular para o conteúdo principal

Mulher manuseando sistema criado por ela em laboratório da Prodabel
Foto: Divulgação/PBH

Laboratório Aberto cria sistema que facilita passagem de ambulâncias e viaturas

19/02/2019 | 16:52 | atualizado em 24/05/2019 | 15:07
Quem dirige por Belo Horizonte certamente já passou pela situação de ter que liberar a via por conta de algum veículo com a sirene ligada, seja uma ambulância, carro do Corpo de Bombeiros ou viatura policial. Todos sabem que, naquele momento, é importante liberar a via o mais rápido possível. Afinal de contas, vidas podem estar em jogo. Pensando nisso, uma estudante de Belo Horizonte criou um sistema capaz de mudar esse cenário e contou com a ajuda da Empresa de Informática do Município de Belo Horizonte (Prodabel) para tirar a ideia do papel.  
 

Vitória Stephanie Moreira Caetano, 20 anos, é estudante de Ciência da Computação e estagiária na Prodabel. Utilizando o Laboratório Aberto, da Prodabel, ela criou um sistema que permite a comunicação entre veículos e os semáforos de Belo Horizonte. A tecnologia vai permitir que os carros que estiverem atendendo uma emergência tenham a passagem facilitada, com a redução do tempo de espera e a liberação mais rápida do fluxo da via em que eles se encontram. 

 

Para desenvolver o protótipo, a estagiária da Prodabel realizou testes no Laboratório. “O apoio da Prodabel foi fundamental para que esse protótipo fosse criado, não só dos colegas, mas também com a infraestrutura. Pude aprimorar até chegar ao modelo final”, afirmou Vitória. 

 

Laboratório Aberto

O laboratório foi inaugurado no ano passado e tem como objetivo oferecer um espaço para que as pessoas tenham a oportunidade de desenvolver suas habilidades e ideias. Na prática, ele funciona da seguinte forma: a pessoa, empresa ou parceiro apresenta uma possível solução para os desafios da cidade nas mais diversas áreas (saúde, educação, segurança, mobilidade urbana, entre outras). Após passar por uma avaliação, na qual é necessário preencher os requisitos previstos em um chamamento público, a ideia poderá ser aprimorada no prédio da Prodabel, e, quem sabe futuramente, ser implantada em Belo Horizonte ou qualquer outro município. É como se o prédio se transformasse em uma “pequena cidade”. Semáforos, câmeras, sensores de estacionamento e luminárias inteligentes são apenas alguns exemplos de objetos que serão testados no projeto. Além disso, há um espaço para que ocorra a prototipação de soluções, a produção de novas tecnologias e pesquisas. 

 

“O objetivo do laboratório é abrir a fibra óptica, conjunto de dados e toda infraestrutura tecnológica existente na cidade, em um ambiente controlado, para que as infinitas possibilidades de utilização dessas tecnologias possam ser trabalhadas. Como resultado, espera-se apoiar empreendimentos locais que demandem tal infraestrutura e utilizar esse cenário para pensarmos e criarmos soluções inovadoras para a gestão pública municipal”, afirmou Leandro Garcia, presidente da Prodabel. 

 

Os interessados em saber mais sobre a utilização do Laboratório Aberto da Prodabel podem entrar em contato pelo telefone (31) 3277-8451. 

 

19/02/2019. Laboratório Semáforo inteligente. Fotos: Divulgação/Prodabel


Últimas Notícias

Equipe de Vôlei sem Limites, acompanhada de dois membros da equipe técnica, em quadra poliesportiva. Equipe de vôlei composta por pessoas com deficiência disputa Campeonato

Campeonato Brasileiro será disputado, em São Paulo, por equipe de vôlei composta por pessoas com deficiência, com apoio da Prefeitura. 

17/09/2019 | 20:22
Rapaz conversa com mulher, ambos sentados, com um computador ao meio, em imagem desfocada. À frente, com foco, carteira de trabaho. Sine Belo Horizonte oferece 53 vagas na quarta-feira, dia 18/9

Estarão disponíveis 34 vagas para pessoas com experiência e 18 pessoas com deficiência. 

17/09/2019 | 18:48