Pular para o conteúdo principal

Homem de quimono ao lado de banner da IBJJF, Federação Internacional de Jiu-Jitsu Brasileiro
Foto: Divulgação/PBH

Instrutor da GMBH conquista 5º lugar em campeonato mundial de Jiu-jitsu

12/09/2018 | 16:09 | atualizado em 12/09/2018 | 16:09
 A recente conquista do 5º lugar no Campeonato Mundial de Jiu-jitsu Master, na modalidade peso pena, disputado em Las Vegas, nos Estados Unidos, em agosto deste ano, não alterou a rotina do agente Bruno Rodrigues de Oliveira, de 32 anos, da Guarda Municipal de Belo Horizonte (GMBH). Já de volta a Belo Horizonte, pela manhã, de segunda a sexta-feira, ele acorda, treina antes de ir para o trabalho, depois segue para a sede da Guarda Municipal, onde atua como instrutor de Jiu-jitsu para os colegas da corporação.

Atualmente Bruno é um dos seis instrutores do Projeto Jiu-jitsu na Guarda Municipal, idealizado pelo subinspetor Alex Morais dos Santos e que desde 2010 ensina a arte marcial japonesa dentro da instituição. Movidos pelo desejo de difundir entre os colegas os benefícios que o Jiu-jitsu proporciona ao corpo e à mente de seus adeptos, os instrutores se dedicam a repassar os ensinamentos para cerca de 600 outros guardas municipais, diariamente, no espaço que conquistaram dentro da sede.

Conhecida como uma luta de defesa pessoal, a prática do Jiu-jitsu tem contribuído, com a qualificação e preparação dos guardas municipais. A disciplina física e mental obtida por meio do esporte permite que os guardas alcancem melhor desempenho no exercício de suas funções como agentes de segurança. Os seis instrutores se revezam, oferecendo as aulas de segunda a sexta-feira, das 7 às 16 horas e, em dias alternados, também das 18h30 às 20 horas, a todos os guardas interessados, bem como a seus familiares.
 

Lutando de igual para igual

Na vida de Bruno, o esporte está presente em tempo integral. Após a jornada como instrutor na Guarda Municipal, o agente segue para uma academia de Jiu-jitsu onde também trabalha como instrutor, à noite. Ele conta que essa maratona foi interrompida somente no período de 18 a 24 de agosto, quando esteve em Las Vegas, para disputar o campeonato mundial. A conquista do 5º lugar, em meio a 53 participantes, por si só, já faz com que ele se sinta um vencedor.

“A experiência marcou a minha vida. Trata-se do principal campeonato de Jiu-jitsu da atualidade. No dia 22 de agosto, quando venci a primeira luta, tive a certeza de que não era inferior a ninguém. Senti que todos ali estavam lutando de igual para igual. Assim, obtive mais três vitórias, até ser eliminado na luta com aquele que acabou sendo o grande vencedor do campeonato”, conta, referindo a Diego Bispo, também brasileiro, mas que concorreu pelo Sudão e ficou com o primeiro lugar da categoria peso pena.

De volta a BH, Bruno diz que já faz planos para participar do próximo Campeonato Mundial de Jiu-jitsu Master, em 2019. E destaca que sempre se esforçou para conciliar seu papel de guarda municipal com a prática do esporte, desde que ingressou na GMBH, há 10 anos. “O Jiu-jitsu já fazia parte da minha vida desde que eu tinha 17anos. Mas na Guarda Municipal eu vi de fato como ele é importante para o desempenho do trabalho nas ruas. Por se tratar de uma técnica de defesa pessoal que se caracteriza, sobretudo pela disciplina, acho que todo profissional de segurança deveria praticar esse esporte”, conclui.
 

No Parque

Coordenador do Projeto Jiu-jitsu na Guarda Municipal, o subinspetor Morais explica que o interesse em participar das aulas, manifestado também por várias pessoas que não pertenciam à instituição, acabou resultando em outra iniciativa, o Jiu-jitsu no Parque, que completou três anos, recentemente.

O Jiu-jitsu no Parque acontece no Parque Municipal Américo Renê Gianetti, todo último domingo do mês, das 10 às 12 horas, e já está em sua 30ª edição. O evento reúne, em média, 200 participantes, atingindo a faixa etária de quatro a 80 anos, dependendo apenas do interesse do cidadão. “Basta vir de bermuda ou com uma calça mais larga e estar disposto a acompanhar a aula. Qualquer pessoa que passe por lá, na ocasião, pode participar”, reforça.
 

12/09/2018. De BH para o Mundo. Fotos: PBH/Divulgação