Pular para o conteúdo principal

Três Guardas Municipais ministram Oficina de Pipas a cerca de cinco crianças.
Foto: Segurança Urbana/PBH

Guarda Municipal alerta para o uso de cerol em pipas

12/07/2017 | 15:58 | atualizado em 21/03/2018 | 14:42

A teoria e a prática foram reunidas durante a Oficina de Pipas, promovida pela Patrulha Escolar da Guarda Municipal de Belo Horizonte, na manhã desta quarta-feira, dia 12, no Point Barreiro, no Barreiro de Cima. Papel de seda, cola, varetas e linha foram o suficiente para que um grupo de 120 crianças de seis a onze anos fizesse uma verdadeira festa, se divertindo e aplicando as orientações que receberam dos guardas municipais, durante a palestra assistida no dia anterior, sobre o risco do uso do cerol e da linha chilena na brincadeira. Os papagaios feitos por elas foram, aos poucos, colorindo o céu da área gramada lateral à quadra utilizada na oficina, sendo empinados sem linhas cortantes e longe da rede elétrica. A atividade foi realizada com o apoio da Defesa Civil de Belo Horizonte.
 

De acordo com o subinspetor Hudson Candeias Gonçalves, coordenador da Patrulha Escolar, a aproximação do período de férias escolares e o fato de estarmos em uma estação marcada por ventos fortes tornam o mês de julho propício para que muitas crianças resolvam empinar pipas. “Por isso estamos fazendo este trabalho de conscientização, alertando-as que a brincadeira pode perder a graça e provocar verdadeiras tragédias, se houver uso do cerol ou da linha chilena. É crime e pode causar ferimentos graves e até mortes”, destaca.

 

Diversão segura
 

Para a garotada, a manhã serviu para aprender e, ao mesmo tempo, se divertir com segurança. Meninos e meninas fizeram questão de mostrar as pipas feitas por eles próprios, algumas com detalhes em formato de estrelas, flor ou pássaros, entre outras ilustrações. Para Daniela Costa, de sete anos, que fez um papagaio azul, um grande coração vermelho serviu para dar o toque feminino que ela queria. Tímida, ela preferiu ajudar os colegas a fazerem suas pipas, ao invés de soltar a sua. Já Ana Clara Silva, de oito anos, fez questão de empinar seu papagaio e mostrar que tinha aprendido bem a lição. “É a minha brincadeira preferida! Mas tem que ser sem cerol e sem linha chilena, porque mata”, explicou.  
 

Somente no último domingo, a Guarda Municipal apreendeu 70 latas envoltas em linha chilena, durante operação realizada no bairro Mangabeiras. Os agentes atenderam a uma denúncia e localizaram o grupo que soltava as pipas com as linhas cortantes em um campinho de futebol do local. A maioria dos envolvidos era adolescente e entregou as latas de forma pacífica, sendo o material apreendido e encaminhado para o depósito da Prefeitura.
 

Durante as próximas semanas a Guarda Municipal prosseguirá atuando na campanha contra o uso do cerol e da linha chilena, realizando palestras e fazendo abordagens educativas em praças, parques e vias públicas onde constatarem a presença de pessoas soltando pipas. A legislação estadual proíbe o uso de linhas com cerol ou linha chilena para empinar papagaios, ficando o responsável sujeito a pagamento de multa, que varia de 100 reais a 1,5 mil reais. Pode ser punido  também criminalmente nos casos em que causar vítimas de ferimentos ou de morte.