Pular para o conteúdo principal

Cerca de vinte pessoas, todas com capacete de proteção, conhecem as obras do Vila Vila Santa Lúcia, apresentadas por três técnicos da Urbel, também protegidos, durante o dia
Foto: Divulgação Urbel

Futuros engenheiros conhecem Programa Vila Viva Santa Lúcia

26/05/2017 | 19:49 | atualizado em 22/06/2017 | 09:04

Durante visita de campo, no dia 22 de maio, segunda-feira, mais de cem alunos do curso de engenharia civil e ambiental da Fumec tiveram a oportunidade de conhecer de perto diversas obras do Programa Vila Viva, no Aglomerado Santa Lúcia. A atividade foi proposta pelo professor Luis Fernando Farad, especializado em Mecânica dos Solos e Geotecnia Ambiental, e contou com o acompanhamento de técnicos da Companhia Urbanizadora e de Habitação de Belo Horizonte (Urbel).

 

De acordo com o professor, o Aglomerado apresenta um conjunto completo de obras e ações destinadas à melhoria da qualidade de vida dos moradores, o que faz dele um objeto de estudo multidisciplinar. “Esse programa no Santa Lúcia apresenta uma variedade de situações, que englobam todas as áreas da Universidade, como: Exatas, Humanas e Econômicas. Seja por meio das edificações, do trabalho humanizado ou de questões jurídicas”, avaliou.

 

Para apresentar o Vila Viva aos alunos, a programação contou com caminhadas pelas principais intervenções urbanísticas, como a Via do Bicão, que terá 600 metros de extensão para interligar as avenidas Artur Bernardes e Nossa Senhora do Carmo. Além disso, os estudantes visitaram as unidades habitacionais construídas no Aglomerado para o reassentamento de famílias.

 

Segundo o engenheiro civil da Urbel, Sérgio Avelino,o processo de remoção dos moradores que se encontravam em trechos de obras despertou o interesse dos alunos. “Nós aproveitamos para explicar que na vila não é simplesmente chegar, retirar as pessoas e ir construindo. Muitas vezes, é preciso interromper as obras e aguardar uma decisão judicial sobre uma moradia que já estava no local,” explicou.

 

O estudante Marcellos Versiani fez o percurso duas vezes. “Sem dúvida, o que mais me chamou a atenção foi o procedimento utilizado para a remoção das famílias, que facilita a concretização das obras do Vila Viva. Acredito que essa é a grande diferença: o trabalho social que é feito respeitando as pessoas. Só assim é possível construir prédios, muros de contenção, ruas e becos”, disse.

 

Assim como os futuros engenheiros da Fumec, professores e estudantes de diversas instituições de ensino do Brasil e do Exterior já conheceram o Programa Vila Viva em vilas e aglomerados da cidade.

 

Na próxima segunda-feira, dia 29, os técnicos da Urbel receberão a comitiva do Programa de Fortalecimento do Orçamento Participativo da Rússia, um projeto de intercâmbio de conhecimentos entre os dois países. Dentre as atividades previstas, a comitiva visitará obras do Orçamento Participativo, no Aglomerado Morro das Pedras.