Pular para o conteúdo principal

A foto mostra atores vestidos de palhaço em uma apresentação ao ar livre. Eles seguram instrumentos musicais e é possível ver pessoas acompanhando a apresentação.
Foto: Mariane Botelho

FIT convoca cidadãos de Belo Horizonte a fazerem parte da abertura do festival

22/08/2018 | 19:36 | atualizado em 05/11/2018 | 09:34

A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura, e o Instituto Periférico abrem inscrições para cidadãos da sociedade civil participarem de duas residências artísticas que resultarão nos espetáculos de abertura da 14ª edição do FIT-BH 2018: Batucada (Teresina-PI), concebido pelo prestigiado coreógrafo Marcelo Evelin (Teresina/PI), e Looping: Bahia Overdub (Salvador-BA), idealizado pelos artistas Felipe de Assis, Leonardo França e Rita Aquino. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas de 23 de agosto a 2 de setembro, por meio de preenchimento do formulário online disponível no site oficial do festival (www.fitbh.com.br).

Com reconhecimento nacional e internacional, os espetáculos da cena baiana e piauiense são recriados em cada cidade que os acolhe a partir de uma construção coletiva com artistas e não artistas. Tanto Batucada, com sua paisagem sonora de batuques em panelas e latas, como Looping, que une sonoridades e coreografias das festas do largo de Salvador, convidam o público a uma experiência de arranjos e encontros entre corpos, arte e política no espaço urbano.

As residências artísticas serão realizadas no período anterior ao festival e vão envolver cerca de 200 pessoas entre artistas, estudantes, ativistas e interessados de forma geral, com ou sem experiência em arte contemporânea. O trabalho resultará em duas obras que integram parte da programação de abertura do festival no dia 13 de setembro.

A 14ª edição do FIT está sendo construída, pela primeira vez, por uma equipe curatorial selecionada por meio de edital público. A programação do festival é norteada pelo conceito de “corpos-dialetos”, proposta pela jornalista e crítica Luciana Romagnolli, pela atriz e pesquisadora Soraya Martins e pela atriz, diretora e dramaturga Grace Passô.

Segundo a curadora Soraya Martins, “com esses dois trabalhos, convidamos a cidade não só a receber, mas a fazer junto a abertura do FIT. E a aproximar esses corpos, vivências e singularidades para experimentar, esteticamente, algumas potências da mobilização social. Assim, abrimos caminho para uma programação que se propõe a ampliar o imaginário sobre o teatro brasileiro e internacional”.


Sobre as residências 

• Batucada

A residência Batucada, concebida pelo coreógrafo e pesquisador Marcelo Evelin (Teresina-PI), convoca cidadãos, artistas e ativistas com ou sem experiência em arte contemporânea, com idade a partir de 18 anos, que queiram batucar em panelas e latas, trazendo seus corpos para a luta social e para atividades performativas. Após a primeira seleção dos inscritos, será realizada uma audição no dia 9 de setembro (domingo).

Batucada foi concebida originalmente em 2014 para o Kunsten Festival desArts/Bélgica, um dos principais festivais da Europa. Cinquenta performers cidadãos - selecionados a partir de uma convocatória pública - se misturam e se transformam uns nos outros, numa batucada atravessada e suspensa em que os corpos tornam-se instrumentos para as estruturas rítmicas e impulsionam a cadência de uma coreografia da qual o público também faz parte. Transitando entre a festa e o protesto, esse acontecimento, tal qual um ritual, expõe tanto uma coletividade quase tribal quanto as subjetividades dos indivíduos. O batucar em objetos cotidianos contagia, desmancha fronteiras entre espectador e artista e provoca reflexões sobre a pulsão do homem na sociedade contemporânea.

Público-alvo: cidadãos, artistas e ativistas com ou sem nenhuma experiência em arte contemporânea, de qualquer gênero, grupo étnico ou classe social - a partir de 18 anos.

Materiais: pede-se aos participantes que levem objetos cotidianos para fim cênico e sonoro. Os objetos devem ser de alumínio e/ou outros metais (não esmaltados), de formas variadas, entre cinco e oito unidades de cada tipo por pessoa - a maioria deve possuir cabo ou algo que facilite para serem batucados. Ex: frigideiras, leiteiras, formas em geral, pratos fundos, cuscuzeiras, pegadores, raladores com cabo, cafeteiras, penicos, bacias pequenas ou médias.

Marcelo Evelin é coreógrafo, pesquisador e intérprete, vive e trabalha entre Amsterdã e Teresina. Em 1996, fundou sua empresa EvelinDemolition Inc. em Amsterdã e criou uma série de quatro peças, a tetralogia "Deus de Quatro". Desde 1999, Evelin tem ensinado regularmente na Escola Mime em Amsterdã, onde ele também cria peças e orienta os alunos em seus próprios processos criativos. Ele ministrou oficinas, fez palestras sobre seu trabalho, e orientou residências ao redor do mundo, na Europa, nas Américas, África e Ásia.

• Looping: Overdub Bahia

A residência Looping, concepção e criação de Felipe de Assis, Leonardo França e Rita Aquino (Salvador-BA), propõe uma atividade de criação, envolvendo artistas locais, estudantes de artes cênicas e interessados de forma geral, a partir dos procedimentos de repetição e acumulação desenvolvidos no processo de construção do espetáculo concebido em Salvador/BA. Serão realizadas cinco residências de cinco horas cada, com 30 diferentes pessoas por encontro, totalizando cerca de 150 pessoas para a performance na abertura do festival. Na proposta serão realizadas práticas de sensibilização e expansão da escuta, laboratório de criação colaborativa e composição de movimentos e sonoridades.

Looping constitui um estudo do tempo: repetição e acumulação. Movimentos de tensão e distensão da cultura, através de procedimentos que organizam sonoridades, corpos e espaços. Assim como nas ruas, o que está em jogo são arranjos coletivos através de uma participação estético-política. Dança e política - as festas de largo de Salvador e suas contradições são a paisagem predominante do espetáculo, que emerge do encontro entre pensamento sonoro e pensamento coreográfico.

Público-alvo: artistas e estudantes interessados em dança, teatro, música e performance. Não é exigida qualquer especialização ou domínio técnico, sendo dessa forma aberto tanto a coletivos e grupos da área quanto à comunidade do festival e cidade - maiores de 18 anos.

Looping: Bahia Overdub é uma criação colaborativa de Felipe de Assis, Leonardo França e Rita Aquino. Suas práticas interdisciplinares articulam criação, produção, pesquisa, formação e curadoria em diferentes contextos de atuação. Indicado ao Prêmio Bravo! na categoria Melhor Espetáculo de Dança e considerado pelo jornal O Globo um dos dez melhores espetáculos de dança no Rio de Janeiro em 2016. Looping: Bahia Overdub participou de importantes festivais e eventos, como Festival Panorama (RJ), Bienal Sesc de Dança (SP), Porto Alegre em Cena (RS), Cena Contemporânea (DF), IC Encontro de Artes, Festival Internacional Vivadanca, FILTE, A Dança Ocupa o Porto (BA) e Plataforma LODO (Buenos Aires, Argentina). 


FIT-BH 2018

Desde a sua criação em 1994, o FIT-BH conquistou espaço no calendário cultural de Belo Horizonte. Durante 24 anos e 13 edições, o festival recebeu companhias e artistas de 42 países e ofereceu ao público belo-horizontino 365 espetáculos com linguagens e formatos diferentes, que ocuparam diversos teatros, espaços públicos e alternativos da capital. Desse total, 115 obras foram apresentadas por grupos e coletivos de Minas Gerais.


Serviço

FIT-BH 2018 convoca Cidadãos para participação na abertura do Festival
(Batucada e Looping - Bahia Overdub)
Inscrição: 23 de agosto a 2 de setembro
Resultado: 7 de setembro
Formulário disponível no site: www.fitbh.com.br
Informações sobre o cronograma das residências disponibilizadas nos formulários de inscrição e no site oficial do festival.