Pular para o conteúdo principal

secretário municipal adjunto de Planejamento Orçamento e Gestão , Jean Mattos, palestra no grupo de estudos “Faces da Inovação”.

Experiências inovadoras da PBH são apresentadas a estudantes da UFMG

20/09/2018 | 13:50 | atualizado em 20/09/2018 | 14:15

O secretário municipal adjunto de Planejamento Orçamento e Gestão e subsecretário de Modernização da Gestão, Jean Mattos, foi o convidado deste mês para palestrar no grupo de estudos “Faces da Inovação”, formado por estudantes e professores da Faculdade de Ciências Econômicas da UFMG. Com o tema "Experiências Inovadoras na Gestão Pública", o secretário adjunto fez uma contextualização do trabalho que vem sendo realizado pelo Município para consolidá-lo como uma cidade inteligente.


De acordo com Mattos, atualmente a administração municipal se pauta em duas premissas: governar para quem precisa e melhorar a qualidade dos serviços já prestados. Para alcançar tais metas, foi criada uma carteira com 46 projetos estratégicos, sendo a eficiência um fator em comum em todos eles.


“Para melhorar o que já existe, temos trabalhado em tecnologia de gestão e nos sistemas de gerenciamento. O objetivo é otimizar processos para gastarmos menos e melhor e, assim, propiciar mais qualidade de vida às pessoas. Melhorar o atendimento no posto de saúde, a marcação de consultas, os meios para matricular os filhos, a infraestrutura da escola, o asfalto, a limpeza e a segurança da cidade”, relatou Jean.


Um dos projetos estratégicos destacados pelo secretário adjunto em sua apresentação foi o programa Cidade Inteligente. A proposta é conectar o cidadão aos serviços e recursos municipais por meio de políticas públicas mais efetivas e de qualidade. Para isso, o programa está organizado em cinco eixos temáticos. São eles: 


1- Governança e serviços ao cidadão;

2- Desenvolvimento econômico e urbanismo;

3- Cultura tecnológica e inclusão digital; 

4- Mobilidade e Segurança;

5- Meio ambiente, sustentabilidade e cidadania.


“Temos atuado para aumentar a nossa capacidade de resposta frente aos problemas da cidade para que o cidadão não precise mais nos demandar. Quando falamos em transformação digital do serviço público, em Smart Cities, estamos propondo uma cidade dotada de mecanismos tecnológicos, com capacidade de gestão e de análise para tomada de decisão, antecipando uma possível solicitação vinda do cidadão. Com esse formato de planejamento, conseguimos monitorar a cidade e otimizar o trabalho de zeladoria. Hoje, por exemplo, parte do sistema de iluminação pública possui uma tecnologia que sinaliza ao órgão competente quando uma lâmpada apresentou um defeito e precisa de reparos”, explica o secretário adjunto.


Outro projeto estratégico apresentado durante o encontro foi o “Melhoria do Ambiente de Negócios” (MAN). Ele tem por objetivo melhorar o relacionamento dos empreendedores com o Município nos serviços voltados à formalização, ao funcionamento, manutenção e expansão de empreendimentos locais. Para isso, a Prefeitura vem trabalhando para a unificação de suas portas de entrada por meio de uma plataforma digital única e integrada, bem como a eliminação de exigências desproporcionais, como a comprovação, pelo solicitante, de documentos emitidos pelo próprio Poder Público municipal.


Além disso, há um trabalho para redução de prazos de emissão de alvarás e licenciamentos e articulação dos órgãos para receber e dar informações de forma padronizada.