Pular para o conteúdo principal

Mulher de vestido e turbante brncos no meio do palco, ao redor dela, homens de roupas brancas e amarelas dançam de maneira coordenada.
Foto: Paula Amaral

Espetáculo no Raul Belém Machado mostra as manifestações culturais brasileiras

30/10/2019 | 21:04 | atualizado em 31/10/2019 | 09:06

O Espaço Cênico Yoshifumi Yagi/Teatro Raul Belém Machado (rua Jauá, 80 - Alípio de Melo) apresenta na sexta-feira, 1º de novembro, às 20h, o espetáculo “Brasil Poranga”, do Grupo Aruanda. A montagem faz um passeio por algumas das mais tradicionais manifestações culturais do Brasil. A peça foi selecionada por meio do edital CenaPlural 2019, lançado pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura. A entrada é gratuita mediante a retirada de senha com uma hora de antecedência.

 

O espetáculo apresenta as influências e características de cada região brasileira começando pelo Bailado Gaúcho, passando por Caboclinhas de Alagoas, Carimbó, Boi e terminando com uma das mais importantes manifestações da cultura mineira: a Festa de Nossa Senhora do Rosário. Cada dança tem figurinos e adereços específicos. A peça promete deixar a plateia surpresa e admirada pela profusão de cores, ritmos e desenhos coreográficos que fazem do folclore brasileiro um dos mais ricos e exuberantes.

 

O Grupo Folclórico Aruanda é uma entidade de caráter cultural cujos principais objetivos são a pesquisa, a preservação e a divulgação das danças e folguedos populares, através de sua projeção para a linguagem cênica. Fundado em 1960, pelo sociólogo, pesquisador e coreógrafo Paulo César Valle, o Aruanda, acumulou aproximadamente 100 danças com seus respectivos trajes, adereços e músicas. Informações para o público pelo telefone (31) 3277-6437.

 

 

CenaPlural

O CenaPlural foi criado pela Prefeitura de Belo Horizonte com o objetivo de fortalecer e potencializar a produção artística nos espaços públicos, promover uma programação cultural diversa e qualificada para a população belo-horizontina, além de premiar e difundir o trabalho de artistas, coletivos e grupos locais. Os grupos selecionados vêm se apresentando desde setembro nos teatros Francisco Nunes, Marília e Raul Belém Machado, além dos centros culturais da Fundação Municipal de Cultura, ou integrando a programação de projetos especiais como o “Terça da Dança” e o “Música de Domingo”.