Pular para o conteúdo principal

Quarenta dançarinos com deficiência em performasse no palco do teatro marília

Espetáculo de dança marca “Setembro Verde” e emociona público no Teatro Marília

05/09/2018 | 18:23 | atualizado em 05/09/2018 | 18:23

Quarenta dançarinos com deficiência emocionaram a plateia do Festival de Dança Superando Barreiras, apresentado na noite desta terça-feira, dia 4/9, no Teatro Marília. O Superando Barreiras integra a programação oficial em Belo Horizonte do Setembro Verde, o mês da pessoa com deficiência.


O Festival é uma apresentação dos alunos do Superar, programa da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) que é realizado pela Secretaria Municipal de Esportes e Lazer e atende a cerca de 940 pessoas com deficiência – física, visual, intelectual, auditiva, múltipla e com autismo.


Com o tema “Diversidade, respeito às diferenças”, o espetáculo teve uma hora e meia de duração. Thiago Bruno, que tem deficiência intelectual e é aluno de natação e futsal do Superar, apresentou-se com violão e voz, cantando “Ave Maria” na abertura e “Que País é Este? ”, no encerramento.


Já a apresentação de dança teve nove números e comoveu o público. Muitos choraram de emoção, como Sueli Amâncio, mãe da dançarina Denise Cristina, de 27 anos, que tem Síndrome de Down e é aluna de dança e natação do Superar. “Foi muito emocionante ver a capacidade desses meninos no palco. Eles subiram lá e deram o melhor. Foi perfeito. Eu e a maior parte da plateia choramos do início ao fim, porque foi sensacional, comovente”, disse Sueli.


O secretário municipal de Esportes e Lazer, Elberto Furtado, conferiu o espetáculo no Teatro Marília e falou da importância do Superar como uma política pública. “Como não se emocionar? A apresentação foi linda. Como o próprio nome do espetáculo diz, os alunos deram mais um exemplo de superação. São exemplos de vida que nos alegram e dão uma lição a todos nós. Estou feliz por fazer parte de um programa social tão importante como o Superar, que gera inclusão e transforma vidas”, definiu.


O programa


O Superar oferece aulas de 16 modalidades esportivas e culturais, entre elas a dança. O objetivo é promover a inclusão social da pessoa com deficiência por meio do esporte e de atividades físicas e culturais.

O programa funciona em três centros de referência (CREPPD, Escola Municipal de Ensino Especial Frei Leopoldo e Clube Palmeiras) e seis núcleos – as escolas estaduais de ensino especial Amaro Neves, Sandra Risoleta e João Moreira Salles, além do Colégio Marconi e da Associação de Deficientes Visuais de Belo Horizonte e da Associação de Surdos.


Um dos requisitos para ingressar no Superar é ter idade superior a seis anos, além de apresentação de laudo de deficiência e a existência de vagas. Os contatos para o programa são pelo e-mail superar@pbh.gov.br e pelos telefones 3277- 4546 e 3277-7681.