Pular para o conteúdo principal

Premiação dos judocas do Programa Superar da PBH
Foto: Jussara Pereira/Arquivo Pessoal

Equipe de judô do Superar é vice-campeã de torneio nacional em São Paulo

criado em 21/03/2022 - atualizado em 22/03/2022 | 15:14

A equipe Superar/Adevivel se sagrou vice-campeã da Copa Loterias Caixa de Judô paralímpico ao conquistar duas medalhas de ouro e uma de prata. O torneio voltado à formação de judocas contou com a participação de 21 atletas e foi disputado no último sábado (19) no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo.

 

As medalhas de ouro foram obtidas pelo peso pesado Daniel Batista Santos (classe J2) e o peso leve Emerson Júnio Correia Aguiar (classe J1). O peso pesado Jean Pereira da Silva (classe J2) assegurou a medalha de prata.

 

Mantida pela Associação dos Deficientes Visuais de Belo Horizonte (Adevibel), a equipe tem o apoio do Superar, programa desenvolvido pela Prefeitura de Belo Horizonte por meio da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer.

 

Os treinamentos da equipe, inclusive, são realizados na sede do Superar, no bairro Carlos Prates, região Noroeste de Belo Horizonte. O programa da Prefeitura promove a inclusão social da pessoa com deficiência por meio do esporte.

 

Grand Prix

 

A Copa Loterias Caixa foi disputada paralelamente ao Grand Prix de Judô Paralímpico, competição na qual o time Superar/Adevibel também marcou presença no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo.

 

Nessa disputa, a primeira oficial de 2022, a equipe teve os seguintes classificados: Deane Silva de Almeida (2ª colocada), Diego de Jesus Silva (3º),  Regina Dornelas Costa (3ª), Márcio Gomes Vieira (5º), Tiago Fernandes Ramos (5º) e João Batista da Silva (7º).

 

O Grand Prix é considerado uma termômetro para a montagem da futura Seleção Brasileira para os Jogos Paralímpicos de Paris 2024. Um atleta do Superar, inclusive, está convocado para os treinos da Seleção. Trata-se de Diego de Jesus Silva.

 

O programa

 

Com 16 modalidades esportivas e ocupacionais, o Superar atendia, antes do início da pandemia, a cerca de 950 alunos com deficiência física, visual, intelectual, auditiva, múltipla e com autismo. O número vem sendo gradativamente normalizado após a retomada presencial das atividades.

 

As modalidades oferecidas são atletismo, basquetebol, bocha regular, bocha paralímpica, dança, futsal, goalball, judô, natação, patinação, rúgbi em cadeira de rodas, tênis de mesa, voleibol sentado, parataekwondo, funcional e percussão.

 

O programa conta com dois centros de referência, o Centro de Referência Esportiva para a Pessoa com Deficiência e a Escola Municipal de Ensino Especial Frei Leopoldo, além de mais cinco núcleos regionalizados - Escola Municipal Marconi, Clube Palmeiras, UFMG e Escolas de Ensino Especial Amaro Neves e Instituto São Rafael.