Pular para o conteúdo principal

Equipamentos culturais municipais participam da 20ª Semana Nacional de Museus
Foto: Nathália Turcheti

Equipamentos culturais municipais participam da 20ª Semana Nacional de Museus

criado em 12/05/2022 - atualizado em 12/05/2022 | 14:07

Museus e centros de referência públicos municipais geridos pela Secretaria Municipal de Cultura e a Fundação Municipal de Cultura participam, em 2022, da 20ª Semana Nacional de Museus. Promovido pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), com diversas atividades em museus de todo o país, neste ano o evento busca chamar a comunidade para discutir e trocar experiências sobre o tema: O Poder dos Museus. Em Belo Horizonte, a programação será totalmente gratuita, e acontece de 16 a 22 de maio, com visitas mediadas, seminário, minicurso, entre outras atrações. A programação completa está disponível no Portal Belo Horizonte.

A temática da 20ª Semana Nacional de Museus traz a proposta de pensar como o poder dos museus se faz na relação com seus acervos, programações e em diálogo com seus públicos, sendo  que os museus podem refletir acerca da memória, mas também atuar no presente e prospectar futuros. Para Fabíola Moulin, secretária Municipal de Cultura e presidenta interina da Fundação Municipal de Cultura, a Semana Nacional de Museus é uma oportunidade de fortalecer os vínculos dos brasileiros com as instituições museais de todo o país. “A participação dos museus públicos municipais na Semana Nacional dos Museus, que já é uma tradição, contribui para estreitar a relação entre estes equipamentos culturais e o público para refletir sobre a importância dos museus na produção de conhecimento a partir das urgências que surgem nos tempos atuais”, destaca a secretária.

Entre os destaques da programação está o seminário "Conhecer para valorizar: o poder museal em construção e a conservação têxtil”, que será realizado, nos dias 16 e 17 de maio, no Museu Histórico Abílio Barreto. O evento, produzido juntamente com a Prof. Dra. Soraya Coppola, da Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais e coordenadora do grupo de pesquisa STUDIOLO, apresenta ações de pesquisa e atividades práticas realizadas para a preservação do acervo têxtil do Museu Histórico Abílio Barreto. A atividade possui vagas limitadas, e os interessados devem se inscrever com envio de e-mail para o contato mhab.fmc@pbh.gov.br.

As visitas mediadas também serão atrações disponíveis durante o evento, mediante agendamento prévio. A atividade será oferecida no Museu Histórico Abílio Barreto (MHAB), no Museu da Imagem e do Som de Belo Horizonte (MIS BH) e no Centro de Referência da Cultura Popular e Tradicional Lagoa do Nado (CRCP). O Museu da Moda (MUMO), além de oferecer as visitas guiadas, também lança, no dia 18, a Mostra Fuxicossistema, e oferece a Oficina de Fuxicos e Vivências, no dia 20, em diálogo com a nova exposição.

O Projeto Pampulha Território Museus, realizado pela Secretaria Municipal de Cultura e pela Fundação Municipal de Cultura, em parceria com o Instituto Periférico, também oferece o conjunto de atividades “Reflexões sobre Acessibilidade” nos museus da Pampulha. O Museu de Arte da Pampulha (MAP), o Museu Casa Kubitschek e a Casa do Baile - Centro de Referência de Arquitetura, Urbanismo e Design lançam dispositivos acessíveis que permitirão experiências de mediação sensoriais para pessoas cegas ou com baixa visão, mediante agendamento prévio.

Já de 23 a 25 de maio, um minicurso propõe um mergulho nos processos dos museus da Pampulha em relação às ações que promovem a acessibilidade cultural com ênfase nas pessoas com deficiências. A atividade é em formato virtual, e as inscrições podem ser feitas pelo Sympla. A programação do minicurso apresenta discussões a respeito das ações de acessibilidade cultural e mediação sensorial que os educativos da Casa do Baile, do Museu de Arte da Pampulha e do Museu Casa Kubitschek vêm pesquisando e experimentando ao longo dos últimos dez anos e que se reconfiguram a partir de 2022. O convite é para uma conversa horizontal e aberta para a contribuição do público presente. Estarão presentes nas mesas da atividade “Reflexões sobre Acessibilidade”, parceiros na execução dos materiais acessíveis, audiodescrição e vídeo em libras, além dos gestores e educadores dos museus. Tecendo uma segunda camada de reflexão, os especialistas Bell Machado e Viviane Sarraf farão o trabalho de conexão das reflexões com o cenário brasileiro, bem como o levantamento de questões que levem o público a refletir sobre suas práticas e contexto.