Pular para o conteúdo principal

Painel de boas vindas ao XVI Seminario Socioambiental da Escola Municipal Anne Frankcom os dizeres: Sejam Bem-Vindos ao XVI Seminário da Escola Muncipal Anne Frank
Foto: Andréa Moreira/PBH

E.M. Anne Frank promove Seminário Socioambiental

06/07/2017 | 11:16 | atualizado em 06/07/2017 | 17:32

A cada ano, a Escola Municipal Anne Frank (EMAFK), localizada no bairro Confisco, na região da Pampulha, realiza seminários em que os temas são escolhidos a partir da sugestão de professores, coordenação pedagógica e comunidade. No período de 8 a 10 de junho, aconteceu o XVI Seminário Sócio Ambiental com o tema "Escola Transformadora e o Trabalho com a Diversidade" que teve a participação de 200 pessoas ao longo dos três dias.

 

Palestras, painel de debates e explanações foram algumas das estratégias utilizadas para expor o cenário de uma escola que atua na formação de cidadãos capazes de transformar a realidade em que vivem. “O desafio da Escola no Trabalho com a Diversidade” foi o tema desenvolvido pelos convidados nas mesas de debates que trataram de questões importantes para o cotidiano escolar, como por exemplo, a Inclusão Social apresentada por Walter Ernesto Ude Marques e Eliane Vilassante; Pedagogia Ecossistêmica por Clarissa Pereira; Educação das Relações Étnico-raciais por Mara Evaristo; O trabalho com os estudantes com deficiência por Maria Cristina Braga Abreu e Patrícia Cunha.

 

Além das mesas de debates, houve também palestras com parceiros da EMAFK como Akauito Teixeira que falou sobre "A Importância da Empatia na Educação". Antônio Lovato da Fundação Ashoka, Maria do Socorro Lages e Maria do Pilar Lacerda realizaram palestra sobre "Escolas Transformadoras e Comunidades Ativadoras". Rosane Gorgozinho dissertou sobre o assunto "O Trabalho em Rede na Diversidade Cultural"  e, por fim, Mayara de Carvalho que tratou da questão da "Comunicação Não Violenta".

 

Coordenadora pedagógica, Andréa Cristina Ferreira de Almeida apresentou a metodologia, os projetos e as rotinas da escola, mostrando um pouco da produção dos estudantes e da comunidade no desenvolvimento destes projetos. Alguns dos projetos são o Rede Confisco pela Paz, Show da Paz, Semana do Livro Aberto, construção do Coletor de água de chuva, entre outros. Alguns projetos contam com a parceria de outras instituições e de pessoas da própria comunidade. A maior parte destes projetos procura melhorar a auto-estima dos estudantes, valorizando a questão de se pertencer àquele bairro, mesmo com todos os desafios. “Nossos projetos valorizam e trabalham a auto-estima. É preciso conhecer, acreditar e valorizar. E quem é daqui, precisa agir dessa forma”, ressaltou a coordenadora.

 

O seminário teve como objetivos: promover a Cultura de Paz; valorizar a participação da comunidade escolar e local; refletir sobre a diversidade no interior da escola e  buscar formas de trabalhá-la; promover uma interlocução da escola Anne Frank e as comunidades ativadoras do Programa Escolas Transformadoras; avaliar a caminhada educacional da EMAFK no trabalho com a diversidade e pensar ações que possam superar problemas existentes no tocante à diversidade. Nesta 16ª edição, o Seminário Socioambiental também foi uma das estratégias de formação para efetivação da Cultura de Paz e da prática de uma escola transformadora, título recebido pela EMAFK em 2015 por meio da Fundação Ashoka.

 

Uma história construída em parceria com a comunidade

 

Em 2017, a E.M. Anne Frank completa 26 anos de efetivo trabalho prestado à comunidade do bairro Confisco. Em sua caminhada, a  escola sempre procurou manter uma parceria contínua com a comunidade em suas conquistas no campo social e constante diálogo para pensar a educação. “Acreditamos em uma escola que promove a aprendizagem a partir de uma compreensão mais ampla do processo educativo”, disse a diretora Sandra Mara Vicente.

 

Para a diretora, o seminário alcançou seu objetivo: “A proposta do seminário era oferecer aos professores uma formação que fortaleça o trabalho pedagógico já desenvolvido e apontar novos caminhos para a superação dos problemas, buscando fazer da EMAFK um espaço real de transformação social e fortalecimento de valores como diálogo, tolerância e solidariedade.”

 

Para a Gerente Regional de Educação na Pampulha, Alessandra Luisa Teixeira, o trabalho pedagógico desenvolvido na EMAFK promove, de fato, a formação integral dos(as) estudantes: “Possibilita o desenvolvimento intelectual, emocional e político, formando assim, um(a) cidadão(ã) consciente de sua responsabilidade na transformação social.”

Antonio Lovato, da Fundação Ashoka, diretora Sandra Mara, Maria do Pilar Lacerda, de Comunidades Ativadoras e Lucilaura Simoes, vice diretora. .
Antonio Lovato, da Fundação Ashoka, diretora Sandra Mara, Maria do Pilar Lacerda, de Comunidades Ativadoras e Lucilaura Simoes, vice diretora. .
Maria do Pilar Lacerda ministra palestra no XVI Seminario Socioambiental da E.M. Anne Frank.
Maria do Pilar Lacerda ministra palestra no XVI Seminario Socioambiental da E.M. Anne Frank.
A coordenadora pedagógica Andréa Almeida apresenta os projetos da escola.
A coordenadora pedagógica Andréa Almeida apresenta os projetos da escola.
Cinco palestrantes na mesa de abertura do XVI Seminario Socioambiental da Escola Anne Frank.
Cinco palestrantes na mesa de abertura do XVI Seminario Socioambiental da Escola Anne Frank.
A palestrante Clarissa Queiroz fala sobre Pedagogia Ecossistêmica.
A palestrante Clarissa Queiroz fala sobre Pedagogia Ecossistêmica.
A palestrante Mara Catarina Evaristo fala sobre Educação nas Relações Étnico-raciais.
A palestrante Mara Catarina Evaristo fala sobre Educação nas Relações Étnico-raciais.
A diretora Sandra Mara Vicente dá as boas vindas aos participantes do seminário.
A diretora Sandra Mara Vicente dá as boas vindas aos participantes do seminário.