Pular para o conteúdo principal

16ª edição da Coluna Literária traz dicas de acessibilidade na literatura infantil
Foto: PBH/ Arte

Edição da Coluna Literária traz dicas de acessibilidade na literatura infantil

criado em 31/08/2022 - atualizado em 31/08/2022 | 19:10

A Prefeitura de Belo Horizonte lança, nesta quarta-feira (31), a 16ª edição da Coluna Literária, que traz como tema a acessibilidade na literatura infantil. Nesta edição será possível ler resenhas de obras que integram o acervo acessível para crianças na Rede de Bibliotecas da Fundação Municipal de Cultura, além do perfil literário da escritora Elizete Lisboa. A publicação é uma iniciativa da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura que tem a proposta de incentivar a leitura e pode ser conferida na íntegra no blog do Portal Belo Horizonte.

O tema da edição reforça o compromisso da Rede de Bibliotecas da Fundação Municipal de Cultura com a promoção de direitos das pessoas com deficiência, contemplando a democratização do acesso à leitura, aos livros e às bibliotecas. Para isso, foram escolhidos dois livros que fazem parte do acervo acessível de literatura para as crianças presentes nas bibliotecas, além de destacar também outros projetos de inclusão social, como os trabalhos desenvolvidos pela "Fundação Dorina Nowill para cegos" e a "Mais diferenças", dedicados à acessibilidade e garantia dos direitos das pessoas com deficiência.   

Os livros resenhados na edição são: "Firirim, Finfim", de Elizete Lisboa, ilustrado por Ana Raquel, ed. Paulinas; e "Capitão Mariano, o Rei do Oceano", escrito por Maurício Veneza e ilustrado por Roney Bunn. As duas obras são impressas em tinta e braille com ilustrações em relevo, sendo livros acessíveis que podem ser lidos por todas as crianças.

Já o perfil literário é da escritora mineira Elizete Lisboa, nascida na cidade de Coluna em 1951, que, atualmente, vive em Belo Horizonte. Formada em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG, Elizete, também professora por mais de 30 anos, tem sua trajetória profissional atrelada à literatura infantil e ao incentivo à leitura, sendo também ativista pelos direitos das pessoas com deficiência visual. Tem publicados, dentre outros, livros pelas editoras Lê (BH) e Paulinas (SP), como: “Benquerer bem amar”, ilustrado por Maria José Boaventura; “Quatro patinhas no muro”, ilustrado por Walter Lara; “Firirim, finfim”, ilustrado por Ana Raquel, todos publicados pela editora Paulinas, entre outras publicações.

A Diretora de Promoção dos Direitos Culturais da Fundação Municipal de Cultura, Bárbara Bof, destaca que a Coluna Literária é um convite para leitores de toda a cidade conhecerem o acervo acessível disponível na Rede de Bibliotecas da Fundação Municipal de Cultura. "A oferta de livros acessíveis possibilita o encontro com a literatura, a fabulação e a beleza das histórias, favorecendo também o diálogo sobre o exercício da alteridade na perspectiva da compreensão e do respeito às diferenças, garantindo direitos historicamente conquistados pelas pessoas com deficiência. Também é importante destacar o trabalho da Biblioteca Pública Infantil e Juvenil (BPIJ-BH) onde são ofertadas ações de mediação de leitura que permitem a participação de todas as pessoas em igualdade de condições," explica.

 

Sobre a Coluna Literária

A Coluna Literária é uma atividade do projeto Promoção da Leitura, da Gerência de Bibliotecas Promoção da Leitura e da Escrita, que integra a Diretoria de Promoção dos Direitos Culturais da Fundação Municipal de Cultura. A iniciativa foi criada com o intuito de aproximar leitores e leitoras da ação de promoção e incentivo à leitura e à escrita realizada pela rede de bibliotecas públicas municipais da FMC.

 

Rede de Bibliotecas

A Rede de Bibliotecas da Fundação Municipal de Cultura é composta por 22 bibliotecas que atuam de forma integrada, com unidades em todas as regionais da cidade. São 17 bibliotecas instaladas nos Centros Culturais, além das unidades do Centro de Referência da Cultura Popular e Tradicional Lagoa do Nado, do Museu da Moda (MUMO), do Cine Santa Tereza, da Escola Livre de Artes e a Biblioteca Pública Infantil e Juvenil de Belo Horizonte (BPIJ-BH). Juntas, elas receberam em 2019 e 2020 mais de 18 mil títulos em seu acervo e garantem o acesso gratuito a 46.350 títulos e 115.780 exemplares, entre livros, gibis, folhetos, artigos, dissertações, monografias, teses, periódicos, CD-ROMs, DVDs, catálogos e outros itens.

As bibliotecas encontram-se abertas ao público. As unidades dos Centros Culturais funcionam de terça a sexta-feira, das 9h às 18h, e aos sábados, das 9h às 17h. A biblioteca do Centro de Referência da Cultura Popular e Tradicional Lagoa do Nado funciona de terça-feira a sábado, das 9h às 17h, e no último domingo do mês, das 10h às 16h.

A Biblioteca Pública Infantil e Juvenil de Belo Horizonte (BPIJ-BH) funciona de terça a sexta-feira, das 10h às 18h, e aos sábados, das 10h às 14h, a biblioteca do Museu da Moda de Belo Horizonte funciona de quarta-feira a sábado, das 11h às 18h, e a biblioteca do Cine Santa Tereza funciona de quarta a sexta-feira, das 10h às 19h. Não é necessário agendamento prévio para as visitas. O público pode também pesquisar o acervo das bibliotecas e fazer a reserva de livros e publicações através do catálogo on-line.