Pular para o conteúdo principal

Imagem amarela com textos: Nova linha 740 (Tupi-Mirante) e Nova linha 826 (Montes Claros/R. São Rômulo) A partir de 2 de maio de 2018 (quarta-feira)

Duas novas linhas da rede de vilas e favelas começam a operar no dia 2 de maio

30/04/2018 | 14:25 | atualizado em 13/06/2018 | 16:33

A BHTrans informa que a partir do dia 2/5, quarta-feira, começam a circular duas novas linhas da rede de vilas e favelas: 826 (Montes Claros/Rua São Rômulo) e 740 (Tupi/Mirante). Elas atendem a solicitações de moradores das regiões e melhoram o acesso ao transporte coletivo.
 

A linha 826 fará integração com as linhas 808, 813 e 815 e terá o seguinte itinerário: Rua Quinhentos e Vinte e Seis (ponto final), Rua Quinhentos e Vinte e Dois (Rua Novo Céu), Rua Quinhentos e Vinte (Rua Paraíso), Travessa do Depósito, Rua Padre Argemiro Moreira (à direita), Rua São Rômulo, Rua São Teófilo, Rua Padre Argemiro Moreira, Travessa do Depósito, Rua Quinhentos e Vinte (Rua Paraíso), Rua Quinhentos e Vinte e Dois (Rua Novo Céu), Rua Quinhentos e Vinte e Seis.
 

Clique veja o folheto
 

A 740 fará integração com as linhas 711 e 1509. Itinerário: Rua Flor de Mamão (ponto final – Praça Mirante), Rua Flor de Cacau (à direita), Rua Marieta Clemente Diniz, Rua Eulália Engrácia de Almeida (à direita), Rua Dolores Duran, Rua Nelson Hungria, Rua Furquim Werneck, Rua Maria Helena Rocha, Rua Flor de Liz, Rua Flor de Pêssego, Rua Flor do Campo (retorno), Rua Flor de Pêssego, Rua Flor de Liz, Rua Maria Helena Rocha, Rua Furquim Werneck, Rua Nelson Hungria, Rua Dolores Duran, Rua Eulália Engrácia de Almeida, Rua Marieta Clemente Diniz, Rua Vicente Clemente Rocha, Rua Amélia Clementina Rocha, Rua Flor de Maio.
 

Clique veja o folheto
 

Folhetos estão sendo distribuídos às comunidades envolvidas pelas concessionárias operadoras e pela Assessoria e Mobilização Social da BHTRANS.

 

HISTÓRICO

As obras de melhorias da infraestrutura em vilas e favelas, com abertura, alargamento e pavimentação de vias, realizadas entre 1994 e 1996, possibilitaram a BHTrans implantar o Programa de Melhorias da Mobilidade de Vilas e Favelas. Esse programa era uma antiga demanda dos moradores através das Comissões Regionais de Transportes e Trânsito (CRTT).
 

A primeira linha implantada dentro do Programa foi a 319, em maio de 1996, para atender as comunidades da Vila Cemig e do Conjunto Esperança e transportava seus moradores até o ponto final da linha 1115. A integração tarifária entre essas duas linhas se dava pelo bilhete de papel. O usuário, ao embarcar no ônibus da 319, pagava a tarifa da linha 1115 e recebia um bilhete de papel que lhe dava o direito de embarcar no outro ônibus sem pagar outra tarifa.
 

Em dezembro de 1998, foi implantada a linha 201 para atender o Aglomerado do Morro das Pedras e fazer sua ligação com as vias arteriais lindeiras (Avenida Silva Lobo e Avenida Raja Gabaglia) e com os pontos finais das linhas que atendem os bairros localizados no seu entorno. Foi adotada uma outra política tarifária: era cobrada na linha 201 uma tarifa reduzida, equivalente a 27% do custo da tarifa dominante, e quando esse usuário fizesse o uso de outra linha pagava uma tarifa cheia.
 

Em 2000, foram implantadas outras cinco linhas do sistema das vilas e favelas, que adotaram a mesma política tarifária da linha 201.
 

A política tarifária sofreu alteração novamente em outubro de 2004, com a implantação do Sistema de Bilhetagem Eletrônica, que permitiu que o usuário portador do cartão eletrônico das linhas de Vilas e Favelas, ao usar outra linha regular do sistema convencional, pagasse uma tarifa única no valor da tarifa dominante do sistema. Atualmente, a tarifa das 15 linhas da rede de vilas e favelas é R$ 0,90.