Pular para o conteúdo principal

Arte da Prefeitura de Belo Horizonte para informações sobre o Coronavírus
Foto: Arte PBH

Decreto amplia benefício fiscal a empreendimentos que tiveram o alvará suspenso

13/05/2020 | 07:04 | atualizado em 22/05/2020 | 18:13

Contribuintes responsáveis por eventos em propriedades e logradouros públicos, feiras, atividades de circo e parques de diversão poderão requerer parcelamento extraordinário para a quitação de créditos tributários e não tributários devidos a Belo Horizonte.

 

Esse grupo faz parte dos empreendimentos que tiveram o Alvará de Localização e Funcionamento (ALF) suspensos em razão da pandemia da Covid-19.

           

O benefício está previsto no Decreto 17.355/2020, publicado na edição desta quarta-feira, dia 13, do Diário Oficial do Município (DOM) e poderá ser requerido no prazo de 90 dias.

 

Outros estabelecimentos comerciais que também tiveram o ALF suspenso desde 20 de março – tais como bares, restaurantes, academias e clubes de lazer – já puderam aderir ao parcelamento, graças ao Decreto 17.308, de 19 de março

 

No entanto, os empreendimentos atingidos pelo Decreto 17.355/2020 só tiveram os alvarás suspensos a partir de 9 de abril.

 

Dessa forma, era necessário um novo decreto para incluí-los no benefício fiscal, implementado pela Prefeitura de Belo Horizonte para minimizar os impactos financeiros da Covid-19 em estabelecimentos e empreendimentos da capital. 
 


Últimas Notícias

Informativo sobre o Coronavírus em Belo Horizonte Baixa de construção pode ser obtida utilizando drone e por meio digital

A Prefeitura construiu um procedimento para que a baixa de construção possa ser feita por fotos e vídeos obtidos por drone.

29/05/2020 | 17:37
Prestação de contas na Câmara Municipal de Belo Horizonte PBH intensifica ações na Saúde e Políticas Sociais, mesmo com queda nas receitas

Dados demonstram que o Município arrecadou R$ 4,7 bilhões de janeiro a abril, cerca de 34% do total previsto para o ano – R$ 13,7 bilhões.

29/05/2020 | 12:05