Pular para o conteúdo principal

Interior do Museu da Moda, com vitrais nas cores azul e vermelho em sala com escada.
Foto: Adão de Souza/PBH

Conheça o Museu da Moda

25/01/2018 | 15:53 | atualizado em 09/02/2018 | 14:56
Em diversos pontos de Belo Horizonte, os sinais de pedestres mostram a imagem de um prédio histórico no lugar dos símbolos tradicionais. A iniciativa faz parte do projeto “Cidade Revelada – Interpretação e Sinalização do Patrimônio Histórico”, realizado pela Secretaria Municipal de Cultura em parceria com a BHTrans.

No Cidade Revelada, a Prefeitura instalou novas máscaras nos semáforos de Belo Horizonte para destacar os principais patrimônios culturais da cidade. A ideia é chamar a atenção para os valores históricos e arquitetônicos desses ícones, instigando a população a lançar um novo olhar sobre a cidade.

O projeto sinaliza vários prédios históricos da capital mineira. Um deles é o Museu da Moda, no semáforo do cruzamento da rua da Bahia com avenida Augusto de Lima. Importante patrimônio da cidade, o Museu da Moda encanta tanto pelas luzes de seu interior, filtradas pelo vitral vermelho e azul, quanto pela iluminação externa, vista pela rua ou pela sacada do Edifício Malletta durante a noite. Com uma escada em madeira escura, portas tijolo e uma bela torre com relógio, o prédio foi construído em forma de castelinho.

Já foi o endereço da Câmara Municipal, Museu de Mineralogia e da Força Expedicionária Brasileira, entre outras instituições. E, embora seja confundido muitas vezes com uma igreja, o Castelinho nunca funcionou como uma instituição religiosa O arquiteto que o projetou, Francisco Isidro Monteiro, decidiu subverter o uso da construção gótica, destinando-a para a utilização pública. Geralmente, os prédios públicos seguiam o estilo neoclássico, como a maioria dos edifícios de BH.

Construído em 1911 e inaugurado em 1914, menos de vinte anos depois da fundação da cidade, o edifício permitia ter uma visão panorâmica de Belo Horizonte. Tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG), em de 1975, o Castelinho da Bahia foi restaurado, se transformou em Centro de Cultura de Belo Horizonte em 1997 e, desde 2012, abriga o Centro de Referência da Moda, que abriga debates, estudos, desfiles, exposições, seminários e cursos sobre o tema.

Em dezembro de 2016, passou por outra transformação e se tornou o primeiro museu público dedicado exclusivamente à moda no Brasil: o Museu da Moda de Belo Horizonte, com a proposta de ser uma referência em memória e pesquisa de moda, indumentária e comportamento de várias épocas. O espaço conta com dois locais para exposição e um teatro com capacidade para 77 pessoas.


 
Placas e totens

Museu da Moda é um dos prédios históricos homenageados no projeto que incentiva a valorização do patrimônio da capital mineira construção, famílias e visitantes ilustres que por ali passaram, entre outros dados. O visitante também pode acessar informações mais detalhadas do bem cultural e histórico através de um QRCode. Foram instalados totens com orientações indicativas, mapas e percursos de caminhadas nas proximidades do corredor da Rua da Bahia, com o objetivo de facilitar a localização destes bens pelos visitantes.
 
 

25/01/2018. Museu da Moda. Fotos: Adão de Souza/PBH