Pular para o conteúdo principal

Mesa de abertura da V Conferência Municipal dos Direitos das Pessoas Idosas, com nove integrantes; à frente, mais de 30 pessoas sentadas, assistindo o evento.
Foto: Stênio Lima/PBH

Conferência Municipal do Idoso debate os desafios do envelhecer no século XXI

20/03/2019 | 19:29 | atualizado em 29/03/2019 | 16:56

A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania, promoveu, nos dias 19 e 20 de março, a V Conferência Municipal dos Direitos das Pessoas Idosas. As atividades foram realizadas na Universidade Federal de Minas Gerais e reuniram cerca de 400 pessoas nos dois dias de eventos.

 

Com o tema “Os Desafios de Envelhecer no século XXI e o Papel das Políticas Públicas”, a Conferência prestou contas e avaliou as ações e atividades já realizadas pelo poder público. O evento buscou, ainda, discutir medidas que atuem na garantia de direitos para população idosa no município nas áreas da Saúde, Assistência Social, Previdência, Moradia, Transporte, Cultura, Esporte e Lazer. Durante a Conferência foram eleitos os 10 delegados e 10 suplentes que irão representar o município na Conferência Estadual, marcada para os dias 7 e 8 de agosto deste ano.

 

Secretária municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania, Maíra Colares ressalta a importância das pessoas idosas para a construção de Cidadania na sociedade e atuação da Prefeitura na garantia de um envelhecimento digno. “Devemos às pessoas idosas a nossa humanidade, pois foram pessoas que construíram as bases para estarmos aqui e hoje vemos um cenário muito desfavorável para essa população. Temos discutido políticas públicas que forneçam e garantam os direitos dos idosos sem violência, sem assédio, e também garantindo o direito de convivência às suas famílias, porque tirar o idoso do convívio familiar não deve ser a nossa única opção,” conclui.

 

Thiago Costa Alves, subsecretário de Direito e Cidadania explica a importância da Conferência como um instrumento democrático para a construção das políticas públicas para a população idosa. “Todos que participaram têm fundamental importância neste processo. Precisamos pensar na responsabilidade do processo de Conferência, no que foi construído aqui e no que vamos encaminhar, em forma de documento, e que vai guiar as discussões das políticas do município”, afirma.

 

Participação Popular

Presidente do Conselho Municipal do Idoso e coordenador do Centro de Referência da Pessoa Idosa, Leandro Faria Campos ressaltou o papel da gestão no crescimento de investimentos e ações efetivas em benefício da população idosa de Belo Horizonte. “Não é possível construir políticas públicas sem uma escuta ativa e participativa. Então, gostaria de demonstrar a satisfação e reconhecimento pelo trabalho da Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania nos espaços técnicos e nos espaços de discussão”, afirma.

 

O senhor Luiz Rosa, de 72 anos, participou ativamente dos dois dias de Conferência. Depois de discussões e debates, ele, que foi eleito delegado no eixo de moradia, destaca a possibilidade de aprendizado e trocas intergeracionais e construção de projetos que melhorem a qualidade de vida do idoso em Belo Horizonte. “A expectativa é que a gente tenha moradia digna, e que ainda melhore mais o transporte e também a saúde, para que tenhamos um serviço de qualidade para nossa população idosa”, pontua.

 

Conferência da Pessoa Idosa

 


Últimas Notícias

Informativo sobre o Cornavírus em Belo Horizonte PBH publica homologação de resultado e pagamento a empreendedores culturais

Empreendedores culturais, de todas as regionais da cidade, receberão os recursos referentes aos projetos aprovados nesta edição.
 

01/06/2020 | 17:05
Grupo Galpão em "Eramos em bando" Grupo Galpão e Cine Cipó são algumas atrações do Circuito em Casa de junho

Entre os destaques da programação de junho ao longo desta semana está o Grupo Galpão, de 4 a 7 de junho.

01/06/2020 | 16:05