Pular para o conteúdo principal

Cerca de 50 integrantes do Quilombo Manzo em um ambiente externo, com céu rosa
Foto: Ricardo Laf/PBH

Comunidades Quilombolas são declaradas patrimônio cultural

28/12/2017 | 18:31 | atualizado em 04/01/2018 | 14:06

O Conselho Deliberativo do Patrimônio Cultural de Belo Horizonte aprovou, por unanimidade, o registro das Comunidades Quilombolas de Belo Horizonte - Mangueiras, Luízes e Manzo Ngunzo Kaiango - como Patrimônio Cultural Imaterial da cidade.O evento aconteceu dia 13 de dezembro no Museu Histórico Abílio Barreto (av. Prudente de Morais, 202 - Cidade Jardim).O estudo das comunidades e de suas referências culturais foi coordenado pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura. 

 

Com o registro imaterial, as comunidades tradicionais de matriz africana e suas diversas manifestações culturais se tornaram patrimônio cultural do município. O dossiê de registro encontra-se na Diretoria de Patrimônio Cultural, Arquivo Público e Conjunto Moderno da Pampulha (Rua Prof. Estevão Pinto, 601, Serra) e está à disposição da toda a população.
 

Comunidade Quilombola de Mangueiras

A Comunidade Quilombola Mangueiras é situada na região Norte da capital mineira, em uma área conhecida como Ribeirão da Izidora 13, limítrofe ao município de Santa Luzia, e próxima ao bairro Aarão Reis, no quilômetro 13,5 da MG-20. A população atual de aproximadamente 65 pessoas, se distribui em 17 moradias, em uma área de 18 mil metros quadrados. Esse território foi propriedade de seus ancestrais, desde meados do século XIX, antes mesmo na formação de Belo Horizonte.
 

Comunidade Quilombola de Luizes 

A Comunidade Quilombola de Luízes fica na Vila Maria Luiza, onde atualmente encontra-se o bairro Grajaú. A história da comunidade e de seu território, obtido por meio de compra ou doação, remonta ao ano de 1895, período no qual se iniciava a construção de Belo Horizonte, evidenciando o entrelaçamento entre as histórias dos Luízes e do município. O Quilombo dos Luízes é formado atualmente por descendentes da quarta até a sétima geração do casal Maria Luiza Luiza (1886 - 1971) e Vitalino. No terreno de cerca de 2.300 metros quadrados existem 30 casas e vivem 80 moradores. 
 
 

Comunidade Quilombola de Manzo Ngunzo Kaiango 

A Comunidade Quilombola Manzo Ngunzo Kaiango está localizada na Região Leste da cidade de Belo Horizonte, no Bairro Santa Efigênia. O terreno foi adquirido por sua matriarca, Efigênia Maria da Conceição, 71 anos, no início dos anos 1970. A compra do terreno foi viabilizada a partir dos trabalhos espirituais feitos pelo Preto Velho Pai Benedito, mentor espiritual da matriarca.

Últimas Notícias

Obras sendo feitas nos córregos Olaria e Jatobá, na região do Barreiro Prefeitura inicia mais obras contra enchentes nos córregos Olaria e Jatobá

Serão investidos aproximadamente R$ 18 milhões neste empreendimento, com previsão de término no segundo semestre de 2021.

 

09/07/2020 | 16:48
Informações da Prefeitura sobre o Covid-19 Cidadão pode recorrer contra notificações da Fiscalização de forma digital

O procedimento virtual será adotado enquanto durarem as medidas temporárias de prevenção ao contágio e de enfrentamento ao Covid-19

09/07/2020 | 16:33