Pular para o conteúdo principal

Três pessoas sentadas em mesas escolares; à frente, adulto preenche formulário, de pé, uma etapa da eleição para gestores escolares.
Foto: Divulgação PBH

Comunidades escolares vão às urnas para escolher gestores

11/12/2017 | 14:58 | atualizado em 26/12/2017 | 10:16

A maioria das escolas municipais e escolas infantis da Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte iniciam esta semana cientes de quem serão os novos gestores a partir do ano que vem. Na última quinta-feira, dia 7 de dezembro, aconteceu o processo eleitoral de escolha de diretores e vices para o triênio 2018-2020 e na grande maioria das unidades a eleição termina no primeiro turno. Nesta segunda-feira, dia 11, está aberto o prazo para recurso contra o resultado das eleições e somente após esta análise será possível determinar o número de escolas que já conhecem seus novos gestores e em quantas será necessário realizar o segundo turno, que está previsto para o dia 14 de dezembro.

 

De acordo com o cronograma das eleições, o período até o fim do mês de dezembro será destinado para transição de gestão e entrega da prestação de contas dos atuais gestores. O mandato dos novos diretores terá início em 1º de janeiro de 2018 e terá duração de três anos. Durante as eleições, puderam votar servidores das escolas, alunos e pais. Jeanne Gomes da Silva, de 27 anos, é mãe de uma criança que frequenta a Umei Monte Azul e ressaltou a importância da participação da família no processo eleitoral.

 

“Acho muito importante a família participar da escolha da direção de uma escola. Tenho uma filha de dois anos aqui na Umei Monte Azul e já conheço bem as pessoas, são ótimas, mas quem vai assumir a direção tem uma responsabilidade grande. Sabemos quem estamos escolhendo e assim podemos acompanhar, participar mais e ‘cobrar’ aquilo que for necessário. É nossa responsabilidade também, pois estamos escolhendo a direção e coordenação”, afirma.

 

Jadir Ferreira da Costa, 41 anos, é estudante da Educação de Jovens e Adultos (EJA) na Escola Municipal Eleonora Pieruccetti e fez questão de votar no candidato de sua preferência. “Acho o máximo ter a oportunidade de poder escolher quem a gente gosta e acredita para dirigir a escola. A participação da comunidade é um quesito importante, porque se houver erro temos como apontar”, avalia.

 

As informações completas sobre o processo eleitoral, assim como o cronograma do pleito, constam da Portaria nº281/2017, que pode ser consultada no Diário Oficial do Município (DOM).

 

 

Recursos

O prazo para entrega de recursos contra o processo eleitoral segue até as 18 horas desta segunda-feira (11/12). Os interessados devem interpor os recursos por escrito e devidamente fundamentados perante a Comissão Eleitoral Central, à Rua Carangola – nº. 288, sala 309, bairro Santo Antônio. Os recursos serão julgados pela Comissão.

 

 

Processo eleitoral

O processo de votação foi organizado em cada uma das escolas municipais e Umeis de Belo Horizonte e envolveu toda a comunidade escolar. Puderam votar nos candidatos os pais ou responsáveis e os alunos maiores de 16 anos, desde que regularmente matriculados até 30 dias anteriores ao da eleição. A votação também foi aberta a todos os servidores em exercício na unidade. Todos os votantes tiveram direito a apenas um voto. A novidade no processo eleitoral deste ano foi a exigência de participação em formação prévia oferecida pela Smed. O curso foi realizado entre os dias 1º e 24 de novembro e estava dividido em cinco eixos temáticos, com opções de palestras e minicursos, ofertados nos três turnos ao longo das semanas, além de opções aos sábados. Os candidatos vencedores das eleições de cada unidade deverão comprovar frequência no curso para efetivar a posse nos cargos para os quais foram eleitos.