Pular para o conteúdo principal

Complexo Público Veterinário apresenta modelo implantado em BH para a Prefeitura
Foto: Divulgação/PBH

Complexo Público Veterinário apresenta modelo implantado em BH para a Prefeitura

criado em 25/10/2022 - atualizado em 25/10/2022 | 18:16

O Complexo Público Veterinário recebeu a visita técnica de representantes da Prefeitura de Itabira. O município do interior do estado tem interesse em oferecer os serviços gratuitos de atendimento veterinário à população de baixa renda, e veio conhecer como funciona o serviço ofertado pela da Prefeitura de Belo Horizonte.

Composta pelo Centro Médico Veterinário Odete Ferreira Martins, pelo Instituto Médico Veterinário Legal de Belo Horizonte e pelo Grupo de Resgate Animal, a unidade tem como proposta o atendimento gratuito de animais de famílias que residem na cidade e não têm condições de pagar tratamentos veterinários. Ela atende, em média, 600 animais por mês, realizando atendimentos de urgência, exames de imagem e laboratoriais, cirurgias de baixa, média e alta complexidade e internação. Além disso, o equipamento apresenta o primeiro Instituto Médico Veterinário Legal do país, que atua no acompanhamento e investigação de casos de maus tratos contra animais. 

Participaram da visita técnica o gerente de Defesa dos Animais da PBH, Leonardo Maciel, o secretário Municipal de Meio Ambiente de Itabira, Denes Martins da Costa Lott, e representantes da Secretaria de Saúde da cidade. Eles foram recebidos pela diretoria do Complexo e tiraram dúvidas sobre a oferta do serviço, o modelo de gestão e o processo de instalação do equipamento. 

De acordo com Leonardo Maciel, a iniciativa de repetir, em outros municípios, o modelo desenvolvido em BH, vem para multiplicar e fortalecer a causa animal, criando possibilidades de garantia aos direitos e à qualidade de vida da fauna doméstica. "As visitas técnicas demandadas por representantes de municípios vizinhos atestam o sucesso do trabalho desempenhado em Belo Horizonte e a necessidade de inclusão dos animais em políticas públicas de proteção e cuidado, bem como de se colocar o manejo de fauna e tratamento de animais disponível às pessoas que não têm outros recursos para arcar com essa despesa”, aponta. 

A unidade possui ambulância veterinária utilizada para a transferência de animais e atendimento em instituições parceiras. Cães e gatos que apresentam quadros mais graves e necessitam de tratamento específico podem ser atendidos, sem custo, em outras instituições, como no Centro Universitário de Belo Horizonte (Uni-BH). 

O Complexo funciona de segunda à sexta-feira, das 8h às 17h, mantendo no período da noite apenas a internação de animais e eventuais atendimentos de emergência. Os documentos necessários para ingresso do usuário são Carteira de Identidade (RG), CPF e comprovante de residência em Belo Horizonte, além de inscrição no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) ou declaração de pobreza.