Pular para o conteúdo principal

Mais de vinte jovens sentados em cerca de dez mesas e cerca de trinta em pé na parte interna do Centro de Referência da Juventude.
Foto: Ricardo Laf/PBH

Comitê Gestor do CRJ é finalista de prêmio da RMBH

10/11/2017 | 18:03 | atualizado em 10/11/2017 | 18:50

O Comitê Gestor do Centro de Referência da Juventude (CRJ) foi selecionado como finalista no Prêmio Cidadania Metropolitana – Sociedade Civil junto com outras 46 iniciativas. As dez iniciativas mais votadas receberão, da agência RMBH, prêmio de cidadania metropolitana/ Sociedade Civil. A escolha se dará por votação popular na internet, no período de 9 a 19 de novembro. Os vencedores serão conhecidos no dia 21 de novembro, durante a abertura da VI Conferência Metropolitana. 

 

 Vote aqui

 

Segundo a gerente executiva do CRJ, Samira Ávila, a indicação para concorrer a esta votação popular potencializa e fortalece essa prática de gestão compartilhada de equipamentos públicos. “Nosso entendimento é que política pública de juventude se faz com a juventude. Então é o Comitê Gestor que nos mantém neste caminho da construção coletiva e colaborativa dos processos do CRJ, garantindo a representatividade das juventudes em todos os processos”, declarou.

 

O Comitê Gestor do CRJ teve sua nomeação publicada no Diário Oficial do Município (DOM) no dia 10 de maio de 2017. Ele é composto por dois representantes do Executivo Municipal, dois do Executivo Estadual, três representantes de entidades e coletivos ligados às juventudes, além de um representante do Conselho Municipal da Juventude e um representante do Conselho Estadual da Juventude. O comitê tem como funções principais propor diretrizes voltadas para o desenvolvimento do CRJ, promover medidas destinadas à melhoria do espaço, além de auxiliar no desenvolvimento das políticas públicas para a juventude.

 

O Prêmio

O Prêmio Cidadania Metropolitana – Sociedade Civil foi criado pela Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), com o intuito de reconhecer iniciativas de entidades, universidades e movimentos sociais que contribuam para a consolidação de um pacto metropolitano de inclusão e de produção de um espaço mais integrado sob os aspectos social, econômico, cultural e de fortalecimento da cidadania metropolitana.