Pular para o conteúdo principal

Mulheres negras bebendo em um bar
Foto: Divulgação PBH

Circuito Municipal de Cultura recebe mostra de cinema

09/12/2020 | 16:47 | atualizado em 10/12/2020 | 10:27

Um dos destaques do Circuito Municipal de Cultura em dezembro é a “Mostra Diálogos pela Equidade”, cuja segunda edição acontece entre sexta-feira, dia 11, e domingo, dia 13. O evento traz uma programação virtual e gratuita de filmes e debates, além de uma performance sobre o cotidiano de desafios e lutas de uma diversidade de mulheres. A iniciativa é realizada pela Secretaria de Cultura, Fundação Municipal de Cultura e Secretaria de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania, em parceria com o Centro de Intercâmbio e Referência Cultural (CIRC).

O objetivo da Mostra é contribuir com a promoção do acesso aos direitos das mulheres, somando esforços à construção da participação política, ao enfrentamento da violência, ao empoderamento feminino, à inclusão e aos avanços na cidadania. A programação será transmitida pelas redes do Circuito e da Fundação Municipal de Cultura, com ingressos gratuitos. Os filmes podem ser assistidos na plataforma Vimeo; no caso dos debates, será o YouTube. Os filmes ficarão disponíveis para exibição por 48h e os ingressos poderão ser retirados até duas horas antes do fim deste período.

A “Mostra Diálogos Pela Equidade” surgiu em 2019, envolvendo o Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres (25 de novembro) e o Dia Internacional dos Direitos Humanos (10 de dezembro). Na ocasião, os esforços integraram uma campanha internacional fomentada pela Organização das Nações Unidas (ONU) Mulheres, que foi chamada de "16 dias de ativismo pelo fim da violência  contra as mulheres". A primeira edição contou com filmes e debates no MIS Cine Santa Tereza.

 

Programação

A “II Mostra Diálogos pela Equidade” começa na sexta-feira, dia 11, às 18h, com a exibição do filme “Semente: Mulheres Pretas no Poder” (2020), que retrata as eleições de 2018. Após a execução de Marielle Franco, as eleições contaram com uma forte presença de mulheres negras no Brasil, com candidaturas em todos os estados.

Após a exibição, às 20h, haverá um debate ao vivo com as diretoras Éthel Oliveira e Júlia Mariano, além da cineasta paulistana Julia Katharine (diretora do curta “Tea For Two”, de 2018), Aline Vila Real (diretora de Promoção das Artes da FMC) e Viviane Coelho Moreira (diretora de Políticas para Mulheres).

No sábado, dia 12, a Mostra traz três filmes, exibidos às 18h. O primeiro é “Tea for Two” (2018), da paulista Julia Katharine - primeiro filme dirigido por uma mulher trans a entrar no circuito comercial de cinema no Brasil. O curta apresenta a história de um triângulo amoroso entre três mulheres, sendo que uma é interpretada pela própria diretora.

O segundo é “Até o Fim”, dirigido pelos mineiros Ary Rosa e Glenda Nicácio, que marca a estreia da influenciadora digital Maíra Azevedo, a Tia Má, no cinema. Na trama, quatro irmãs se reencontram após 15 anos para esperar a iminente morte da mãe. Fechando o trio, “Minha História é Outra” (2019), de Mariana Campos, cuja narrativa apoia-se nas histórias de Niázia e Leilane para falar sobre o amor entre mulheres negras.

Ainda no sábado, dia 12, às 20h, a Mostra abre espaço para o teatro com a performance “O amor é tudo aquilo que dissemos que não era”, de Sabrina Rauta, que foi trazida pelo Circuito à programação. Trata-se de uma livre adaptação do romance “Bem-vindos ao paraíso”, da escritora jamaicana Nicole Dennis-Benn. Através de uma cena-experimento on-line que traz o contexto sobre o amor entre duas mulheres, a artista mineira apresenta uma visão artística carregada de sarcasmo e contornada pelas questões atuais.

No domingo, dia 13, às 18h, a programação começa com a exibição do curta-metragem “Carne” (2019), de Camila Kater, que apresenta relatos de cinco mulheres sobre suas experiências em relação ao corpo, misturando documentário e animação. No mesmo horário, também será exibido o filme “Precisamos falar de assédio”, dirigido por Paula Sacchetta, que traz 27 relatos de mulheres de São Paulo e Rio de Janeiro, de idades entre 15 e 84 anos, contando sobre situações de violência que já sofreram. Encerrando a Mostra, as duas diretoras participam de um debate que será transmitido ao vivo, com a participação de Joel Dias (diretor de Políticas para a População LGBT / SMASAC PBH) e Margareth Ribeiro de Araújo (socióloga, mestre em Ciência Políticas e consteladora sistêmica).

 

Sobre o Circuito Municipal de Cultura

O Circuito Municipal de Cultura foi lançado em dezembro de 2019, junto às comemorações do aniversário de Belo Horizonte. Desde então, movimentou a programação da cidade com apresentações como a de Jorge Ben Jor, na Praça da Estação, e Rincon Sapiência e Tamara Franklin, no Viaduto Santa Tereza, ambos na Zona Cultural Praça da Estação. Foram planejadas mais de 150 atrações artísticas e formativas, locais, estaduais e nacionais, durante 12 meses, contemplando diversas linguagens e o público de diferentes faixas etárias.

Com a pandemia da Covid 19, o projeto realizou o “Circuito em Casa”, com o intuito de dar vazão à programação que já estava prevista para acontecer durante o ano e fortalecer os esforços da Prefeitura de manter o distanciamento social, bem como de apoiar a cena artística de Belo Horizonte durante o isolamento.

 

Nas redes

YouTube da Fundação Municipal de Cultura
Facebook do Circuito Municipal de Cultura
Instagram do Circuito Municipal de Cultura
Site do Circuito Municipal de Cultura: