Pular para o conteúdo principal

Apresentação da Famíla Velasquez
Foto: PBH/Divulgação

Circo tradicional e contemporâneo se misturam em mostra on-line

criado em 12/05/2021 - atualizado em 12/05/2021 | 14:09

Patrimônio afetivo da humanidade, o circo é uma linguagem artística repleta de magias e desafios, perpetuada pela herança familiar, que sintetiza o melhor das potencialidades humanas. Na Mostra Circo Circuito, que acontece até o próximo dia 16, de forma totalmente on-line e gratuita, serão apresentadas as várias facetas do circo tradicional e contemporâneo. A programação inclui duas séries de pílulas audiovisuais, que trazem apresentações de palhaçaria e números de equilíbrio, bambolê, entre outros, além de espetáculos de malabarismo, música e improviso. Entre os nomes, estão grupos e artistas de Minas Gerais, como o Circo Castelli e a Família Velasquez, e também atrações de São Paulo, como Cia do Quintal e Pedro Sartori do Vale. 

 

Todas as atrações da Mostra Circo Circuito foram gravadas sem a presença de público e seguindo todos os protocolos sanitários de combate e prevenção à Covid-19 em Belo Horizonte. O Circuito Municipal de Cultura é realizado pela Secretaria Municipal de Cultura (SMC) e pela Fundação Municipal de Cultura (FMC), em parceria com o Centro de Intercâmbio e Referência Cultural (CIRC). 

 

Circo de Lona é o nome da série de pílulas audiovisuais criada para o Circo Circuito com o objetivo de valorizar a memória e a perpetuação do circo tradicional, importante patrimônio imaterial da cultura brasileira. Por meio de histórias e imagens diversas que ocupam o imaginário de quem já esteve debaixo da lona, os episódios apresentam artistas de diferentes vertentes, que narram sua relação com o circo, explicam e demonstram suas técnicas. Nesta quarta-feira, dia 12, é a vez de Patrick Silva e Kelvyn Koppe, do Circo Castelli, de Contagem (MG), no Globo da Morte; e, no dia 13, o circo Família Velasquez, do Barreiro, em Belo Horizonte, no adágio (poses acrobáticas criadas por duplas de artistas). 

 

A outra série de vídeos chama-se P.I.A. (Palhaços Isolados Anônimos) e surgiu da vontade comum de cinco palhaços mineiros em continuar na ativa durante o isolamento social, utilizando a linguagem do audiovisual. O projeto une os palhaços Popó, Olegário, Brisa, Valery e Titetê em criações sobre o contexto da pandemia que abusam de criatividade, humor, reflexões, absurdos e extravagâncias. As atrações da Mostra Circo Circuito serão exibidas pelo canal no YouTube da Fundação Municipal de Cultura, e pelo site e Facebook do Circuito Municipal de Cultura. 

 

Espetáculos 

 

A programação da Mostra Circo Circuito conta com espetáculos que trazem diferentes olhares sobre a arte circense. O circo contemporâneo é bem representado pelo belo-horizontino Pedro Sartori do Vale, especialista em acrobacia e mastro chinês, que apresentou o vídeo “Fliking Around”, no dia 11. O trabalho compila registros de saltos do artista durante os bastidores de suas viagens pelo mundo para a apresentação de espetáculos. No dia 13, a paulistana Iara Gueller, especialista em lira, apresenta seu espetáculo solo de dança aérea, intitulado “Deslira”. Neste número, apresentado em vídeo, o corpo se desenvolve no espaço junto a um aparelho formado por uma corda e uma lira. 

 

A palhaçaria também tem espaço garantido. No dia 14, a Trupe Lona Preta (SP) apresenta “Sincronia Musical”, número criado a partir de anos de experiências com o circo tradicional. O vídeo mostra as desventuras de três palhaços músicos que se encontram virtualmente para tentar a proeza de superar os desafios técnicos da atualidade e tocar juntos. No dia 16, vai ao ar o vídeo do espetáculo “Aplausos e Vaias”, do Palhaço Mendonça, personagem do artista circense e músico Filipe Bregantim (SP), integrante da Cia. La Mínima. Palhaço excêntrico, carismático e cheio de habilidade, Mendonça arruma sua parafernália para realizar o espetáculo. Manipulando diversos objetos, como chapéus, caçapas e bolinhas, demonstra desenvoltura circense em um típico espetáculo de rua, agora transportado para o audiovisual. 

 

Completando a programação, uma das maiores potências em improvisação no Brasil, a Cia do Quintal (SP) apresenta o “Quintal Improvisa”, no dia 15, às 16h. No espetáculo, que acontece ao vivo pelo YouTube da Fundação Municipal de Cultura, os artistas simulam a apresentação de um programa de TV, criado na hora. Para tanto, contam com a ajuda do público para inventar músicas e situações divertidas. Serão escolhidas previamente, pelo Instagram do Circuito Municipal de Cultura, quatro pessoas para participar do espetáculo. Por ser totalmente improvisado, cada apresentação é única e não poderá se repetir. No dia 16, a Mostra traz o curta-metragem “Malabarismo Possível”, da Cia do Relativo, grupo de São Paulo que explora as novas tendências do malabarismo e da manipulação de objetos. No curta, o grupo aborda recursos audiovisuais e os integra à criação cênica a partir da simbiose entre os equipamentos e os corpos de quatro artistas. 

 

Para a diretora de Promoção das Artes da Fundação Municipal de Cultura, Aline Vila Real, a Mostra Circo Circuito reflete a potência multi-facetada da arte circense. “A arte circense apresenta saberes populares fundamentais para a nossa constituição enquanto sociedade cultural e o Circo Circuito é uma programação que visa valorizar a memória e a perpetuação do circo em suas mais diversas expressões, com destaque para o circo tradicional, importante patrimônio imaterial da cultura brasileira, com os trabalhos do Circo Castelli, de Contagem, e da Família Velasquez, do Barreiro, em Belo Horizonte”, afirma. 

 

Valorização dos artistas de circo 

 

A Mostra Circo Circuito, programação do Circuito Municipal de Cultura, além de reafirmar a importância da arte circense para a formação cultural brasileira, é uma iniciativa que fortalece artistas e trabalhadores da cultura, se somando a uma série de ações adotadas pela Prefeitura de Belo Horizonte para apoiar as comunidades circenses tradicionais e artistas de rua que atuam na nossa cidade e Região Metropolitana, diante dos graves impactos sofridos por esses artistas diante da pandemia da Covid-19, assim como grande parte do setor cultural. 

 

O circo está entre as linguagens artísticas contempladas nos editais da Lei Municipal de Incentivo à Cultura e no edital CenaPlural, realizado pela Fundação Municipal de Cultura, com projetos de artistas circenses aprovados nas edições de 2020. Através de articulação da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura, os artistas de circo foram alguns dos profissionais inseridos no programa Banco de Alimentos, da Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania, que desde março de 2020 já distribuiu mais de cinco toneladas de alimentos não perecíveis e hortifrutigranjeiros a circenses que estão na cidade.

 

A cultura do circo ainda esteve presente na programação do Circuito Municipal de Cultura em outras programações realizadas desde 2020, com a exibição de espetáculos como Cia Pia Fraus - Gigantes do Ar; Circo de Família com a Cia Circunstância; Showzaça - Show de Palhaças; e Bendita Benedita, entre outros.