Pular para o conteúdo principal

Chef Dona Carmem Virgínia é atração especial do Conversa ao Pé do Fogão
Foto: Chico Barros/Divulgação

Chef Dona Carmem Virgínia é atração especial do Conversa ao Pé do Fogão

criado em 23/03/2022 - atualizado em 23/03/2022 | 17:55

No próximo dia 31 de março, acontece uma edição especial do Conversa ao Pé do Fogão do Centro Cultural Usina de Cultura. O evento, presencial e gratuito, traz o tema Culturas Populares, com atrações que dialogam com a gastronomia, a memória e a ancestralidade. Convidada para um bate-papo, a gastrônoma, pesquisadora e escritora Dona Carmem Virgínia (PE) falará sobre sua trajetória, referências na culinária afro-brasileira e contará histórias afetivas ligadas à cozinha. No mesmo dia e local, haverá o espetáculo Mata Rasteira, do Grupo Caras Pintadas (BH), e a ação formativa “Laboratório sem receita”, com a artista Luisa Macedo (BH). O acesso ao evento é livre a partir das 19h, sujeito à lotação do espaço. A iniciativa segue os protocolos de prevenção à covid-19 vigentes em Belo Horizonte.

Toda a programação é realizada pelo Circuito Municipal de Cultura em parceria com os Centros Culturais em Rede. O Circuito Municipal de Cultura é realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura, em parceria com o Centro de Intercâmbio e Referência Cultural (CIRC).

De acordo com Bárbara Bof, diretora de Promoção dos Direitos Culturais da Fundação Municipal de Cultura, “o Conversa ao Pé de Fogão surgiu como uma ação de memória e patrimônio cultural, na qual a oralidade assumia o papel principal. No decorrer das edições, a iniciativa passou a conectar também artistas e poetas do território, tornando-se um espaço de articulação de histórias, expressões e manifestações artísticas em torno do fogão à lenha, entendendo a importância da cozinha e da boa prosa nos processos de troca e fortalecimento cultural”.

Em um bate-papo recheado de histórias de comida e afeto, o público poderá conhecer mais sobre a trajetória de Dona Carmem Virgínia (PE). A gastrônoma, pesquisadora, escritora e mulher embaixadora do turismo na cidade do Recife cresceu dentro das cozinhas da família, sempre incentivada pela avó, merendeira em escola, e pelas tias, cozinheiras de mão cheia, a seguir o ofício das mulheres da família. Dona Carmem destaca que “falar de comida é tão importante quanto fazer comida. O sorriso que as palavras causam é algo tão significativo que nos faz acreditar que a comida é, antes de qualquer coisa, um ato de amar. Seja tomando decisões ou comendo, não podemos nos esquecer que a mesa é sagrada. O Conversa ao Pé do Fogão é um convite para todos sentarem comigo ao redor de um papo que vai deixar as pessoas melhores do que quando chegaram. Será um grande momento de comida, afeto e alegria”.

Dona Carmem, mulher negra, encontrou sua missão como cozinheira dentro da religiosidade de Matriz Africana. Atualmente, se divide entre a carreira artística em programas de televisão e a de chef em seu próprio restaurante no Recife.

Mata Rasteira

A história de luta pela liberdade da população afro-brasileira é o tema do Mata Rasteira, do grupo Caras Pintadas (BH). A peça utiliza como fundamentos a musicalidade e corporeidade da capoeira, além da contação de histórias dos Griots africanos para narrar a odisseia de Nlongi, um menino nascido em Angola, na África. Sequestrado por corsários portugueses é trazido como escravizado para o Brasil, onde participa de importantes movimentos de resistência cultural e guerreira do povo negro em sua ânsia pela liberdade. A peça é inspirada no romance “Mata Rasteira – A origem da Resistência”, de Abner Laurindo,  é produzida e idealizada pelo grupo Caras Pintadas formado por Rodrigo Negão (concepção e atuação), Gabriel Coupe (direção e dramaturgia), Anderson Martins e Alexis Abraham.

As atrações, gratuitas e com classificação livre, acontecem a partir das 19h. A entrada é aberta ao público, não é necessário retirada antecipada de ingressos (sujeito à lotação do espaço).

Laboratório sem receita

Também integra a programação, a atividade Laboratório sem receita, ação formativa com a artista Luisa Macedo (BH), em que os participantes são convidados a cozinhar usando ingredientes que resgatam alguma memória afetiva. Os preparos serão criados pelo grupo junto da artista, sem o uso de receitas prévias - cada participante traz um conjunto de histórias e ingredientes únicos. Assim, o cardápio do dia só é conhecido ao final da formação.  Esta atividade será exclusivamente destinada a participantes selecionados entre o público atendido pelo Centro Cultural Usina de Cultura, já previamente convidados.

O Centro Cultural Usina de Cultura

Construído em 1984, o galpão, localizado na regional Nordeste, passou a ser um espaço de arte, cultura e convivência. E todo esse tamanho foi a inspiração para a escolha do nome, que remete à capacidade e à potência de se produzir energia. O Centro Cultural proporciona a seus frequentadores o contato com a literatura, a música, o teatro, a dança, o circo e as artes plásticas e visuais. Além disso, possui uma academia a céu aberto, uma horta comunitária e um fogão a lenha, disponível para a população enquanto espaço de aprendizado e troca de experiências.

Sobre o Circuito Municipal de Cultura

Lançado em dezembro de 2019, o Circuito Municipal de Cultura é um projeto estratégico da Prefeitura de Belo Horizonte, e mantém, nesta nova etapa, iniciada em julho de 2021, o compromisso de oferecer programação cultural de qualidade, com atrações gratuitas e para todas as faixas etárias. O Circuito já realizou 556 apresentações, alcançando um público de mais de 677 mil pessoas, e contou com a participação de mais de 2.900 trabalhadores, entre artistas, mestres da cultura popular, produtores e técnicos, reforçando seu importante papel de fomento, principalmente no período da pandemia de covid-19.

Circuito nas redes

 

YouTube da Fundação Municipal de Cultura.

Instagram do Circuito Municipal de Cultura.

Facebook do Circuito Municipal de Cultura.

Site do Circuito Municipal de Cultura.

SERVIÇO

Conversa ao Pé do Fogão – bate-papo com Dona Carmem Virgínia

Data: 31 de março

Horário: 19h

Entrada: evento presencial gratuito

Classificação: livre

Local: Centro Cultural Usina de Cultura | R. Dom Cabral, 765 - Ipiranga

Ingressos: por ordem de chegada, sujeito à lotação

Espetáculo Mata Rasteira

Data: 31 de março

Horário: 20h

Entrada: evento presencial gratuito

Classificação: livre

Local: Centro Cultural Usina de Cultura | R. Dom Cabral, 765 - Ipiranga

Ingressos: por ordem de chegada, sujeito à lotação