Pular para o conteúdo principal

Imagem do Centro de Referência da Cultura Popular
Foto: Ricardo Laf

Centro de Referência da Cultura Popular celebra 6 anos

11/12/2020 | 18:04 | atualizado em 11/12/2020 | 18:13

A Secretaria Municipal de Cultura e a Fundação Municipal de Cultura realizam uma programação especial de seis anos de aniversário do Centro de Referência da Cultura Popular e Tradicional Lagoa do Nado (CRCP), no próximo domingo (13), às 15h. A celebração, que será inteiramente virtual, é formada por edições inéditas de dois projetos tradicionais do equipamento cultural: Sarau da Resistência e  Festejos na Lagoa.

Na programação do Sarau, participam convidados especiais como as artistas Nívea Sabino e Eneida Baraúna; já como parte do Festejos da Lagoa, serão apresentadas uma visita virtual guiada pela exposição Maracatu Chico Rei, a cerimônia afro-indígena Pisada de Caboclo e uma performance da Banda da Guarda Civil Municipal de Belo Horizonte. Todas as atividades foram  gravadas no espaço  seguindo todos os protocolos sanitários de prevenção ao contágio pela Covid-19  da Prefeitura de Belo Horizonte.  A transmissão será realizada por meio do canal do  YouTube da Fundação Municipal de Cultura.

Secretária Municipal de Cultura e presidenta interina da Fundação Municipal de Cultura, Fabíola Moulin celebra a data e a oportunidade de oferecer ao público uma programação inédita do CRCP. “O Centro de Referência é um equipamento cultural de grande importância para a cidade e que integra nossas políticas públicas voltadas para a salvaguarda do patrimônio imaterial de Belo Horizonte. Esse espaço acolhe as diversas manifestações da cultura popular, realizando atividades que promovem o fomento, a discussão e a promoção dos modos de vida desses coletivos.”

No Sarau da Cultura Popular, Eneida Baraúna e Nívea Sabino apresentarão suas produções e de demais artistas da cena da poesia literária belo-horizontina, de forma a ecoar as vozes sempre presentes neste espaço.

O Festejos na Lagoa, evento realizado desde março de 2018, valoriza a tradição, firmando vínculos com grupos e com a comunidade do entorno do Centro de Referência. Na programação, uma visita virtual, guiada pelo curador Marcial Ávila, apresentará a exposição “Maracatu Chico Rei: elo entre o erudito e o popular por meio da música”. Estandartes, figurinos, instrumentos musicais, partituras e outros elementos apresentam ao público o poema sinfônico afro-brasileiro “Maracatu Chico Rei”, composto em 1933 por Francisco Mignone e inspirado na lenda de Chico Rei.

Ainda no Festejos na Lagoa, estarão presentes convidados como Pai Ricardo Moura, que fará a cerimônia da Pisada de Caboclo, celebração afro-indígena; e  a  apresentação da Banda da Guarda Civil Municipal de Belo Horizonte, que performará trechos de músicas do universo da cultura popular.