Pular para o conteúdo principal

Foliã do bloco Canto da Alvorada, primeiro lugar, com fantasia de índio.
Foto: Junia Lanari

Canto da Alvorada é a vencedora do Carnaval 2018

16/02/2018 | 19:46 | atualizado em 26/02/2018 | 14:15

Sob fortes emoções a apuração dos resultados dos desfiles das Escolas de Samba e Blocos Caricatos do Carnaval de Belo Horizonte foi realizada na tarde desta sexta-feira, 16 de fevereiro, no Parque Municipal. Entre as escolas de samba, o primeiro lugar ficou com a Escola Canto do Alvorada que trouxe o enredo "Grupo Aruanda Embaixador da Cultura Brasileira"  (samba enredo do compositor Serginho BH). Este foi 16º título da escola que não desfilou ano passado, mas conquistou o primeiro lugar em 2016. 

 

Confira as fichas técnicas e o enredos da escola campeã e das demais escolas participantes neste link

 

A Belotur montou toda uma estrutura com palco, telão e tenda no intuito de deixar os foliões comemorarem os resultados. O parque foi tomado pela festa entre muitos sorrisos e choros. “Estamos muito felizes. A vitória mostra um trabalho de um ano inteiro com envolvimento de todos”, destaca o presidente da agremiação Carlos Damasceno. No desfile na Avenida Afonso Pena, o destaque ficou por conta da participação do próprio Grupo Aruanda em três momentos distintos do desfile. “Falar do Aruanda é mais que um enredo, é uma necessidade. É um compromisso da escola de resgatar o que há de melhor na dança folclórica”, explica Maria Elisa de Moraes, diretora de Harmonia e Carnaval. A escola desfilou com  650 componentes, 17 alas e quatro carros alegóricos.

 

O segundo lugar ficou a Escola Cidade Jardim. Uma das mais tradicionais escolas de samba de Belo Horizonte, que já faturou 20 títulos, sendo 19 consecutivos.  A escola trouxe o enredo ‘Cidade Jardim canta as flores’, criado pelo carnavalesco Paulo Balbino. Fez bonito na avenida e desceu com 800 componentes, três carros alegóricos e 12 alas.

 

Em terceiro lugar ficou Acadêmicos de Venda Nova, escola que venceu cinco das últimas dez disputas, inclusive a do ano passado. A agremiação  celebrou o reconhecimento do conjunto arquitetônico da Pampulha como Patrimônio Cultural da Humanidade, pela Unesco, com o enredo: Sou Pampulha, sou carnaval sou patrimônio da cultura mundial. Desfilou com 600 componentes, distribuídos em 16 alas, com quatro carros alegóricos.

 

Um empate técnico deixou Acadêmicos de Venda Nova e Estrela do Vale com a mesma pontuação: 159,6. O desempate foi no quesito Conjunto Harmônico, por dois décimos.

 

“Agradecemos a todas as escolas e blocos caricatos que fizeram bonito na avenida mostrando a força do Carnaval de Belo Horizonte”, destacou o presidente da Belotur Aluizer Malab.

 

O prêmio para o primeiro lugar das escolas de samba é de R$ 50 mil; para o segundo, R$ 25 mil; e para o terceiro, R$ 12,5 mil.

 

 

Blocos Caricatos

Um empate técnico classificou em primeiro lugar os blocos Bacharéis do Samba, Estivadores do Havaí e Mulatos do Samba. Conforme edital, a premiação será somada e dividida entre os três (R$ 25 mil mais R$ 12,5 mil  mais R$ 6, 250 mil).O troféu ficará guardado na sede da Belotur até que outros dois sejam confeccionados.

 

“Foram três anos sem conquistar títulos. Estamos muito contentes e digo que todos blocos que conquistaram o título conosco fizeram um belo trabalho”, comemora o presidente do Bacharéis do Samba, Fernando Junqueira. O bloco Bacharéis do Samba, que já conquistou o título de campeão do Carnaval em 2007 e 2008, foi para a avenida com o tema “Pintando o Sete”, abordando a simbologia da expressão, além de outras curiosidades sobre o numeral.

 

Estivadores do Havaí trouxe como enredo: “Ilusionismo, magia ou feitiço?”, abordando a tradição de espetáculos de mágica. O bloco foi para a avenida com 160 integrantes e 5 alegorias móveis, com um desfile repleto de truques de mágica. 

 

O Mulatos do Samba, que conquistou o primeiro lugar em 2017, apostou em um enredo sobre a necessidade de preservação da Amazônia, denunciando o desmatamento ilegal, as queimadas e o tráfico de animais.

 

 

Novidades

Uma das novidades para 2018 foi o aumento no valor da subvenção destinada aos grupos. As escolas de samba do Grupo A recebem R$ 75 mil; as do Grupo B, R$ 37,5 mil; e os blocos caricatos, R$ 37,5 mil. Os valores representam um aumento de 50% em relação ao investimento realizado em 2017.

 

A estrutura na avenida Afonso Pena também recebeu vários incrementos como  a instalação de um cronômetro visível na avenida, melhorias na estrutura de som e na iluminação do espaço e arquibancadas com mais conforto.

 

O regulamento de 2018 também inovou ao prever, desde já, a vigência a partir de 2019 de uma dinâmica de acesso e rebaixamento das escolas entre Grupo A e Grupo B, estimulando uma competição saudável que resulte na qualificação dos desfiles a cada ano. Outro aspecto importante, também previsto no regulamento, é a abertura de espaço para o surgimento de novas escolas de samba e blocos caricatos, um ingrediente com potencial para trazer inovação e renovação para o Carnaval.

 

 

Serviço

 

Escolas de Samba

1° Canto do Alvorada: 159,9

2°Cidade Jardim: 159,7

3°Acadêmicos de Venda Nova: 159,6

 

Blocos Caricatos

Empate:

Bacharéis do Samba

Estivadores do Havaí

Mulatos do Samba