Pular para o conteúdo principal

Guarda Municipal em moto no meio do trafego da cidade realizando o ser trabalho.
Divulgação/PBH

BH em Pauta: Unidade Integrada realiza gestão do trânsito

06/10/2017 | 19:31 | atualizado em 06/10/2017 | 20:01

Garantir o cumprimento das leis de trânsito, coordenar o vai e vem de milhares de carros, ônibus e motocicletas, além de autuar os motoristas pelas infrações cometidas e agir rapidamente em casos de acidentes. Este é o desafio diário da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), com o trabalho exercido pelo grupamento de trânsito da Guarda Municipal de Belo Horizonte, por meio da atuação executada em parceria com a BHTrans e a Polícia Militar, nas ruas e avenidas da capital.

Gerente de atividades de trânsito da Guarda Municipal, João Marinho de Souza destaca a importância do trabalho conjunto desenvolvido entre a Guarda, a BHTrans e o Batalhão da Polícia Militar de Trânsito, que compõem a Unidade Integrada de Trânsito (UIT) para atender toda a cidade. “Nos horários de pico, cabe à Unidade planejar e distribuir os agentes das três corporações em pontos estratégicos da capital, sendo esta medida fundamental para viabilizar a fluidez nas vias da cidade”,  explica.

O grupamento de trânsito da Guarda Municipal conta com uma equipe de 232 agentes,  a qual cabe fiscalizar as infrações cometidas e garantir a fluidez nas vias públicas - sem deixar de atuar no policiamento ostensivo, sempre que necessário -, visando a proporcionar à sociedade mais segurança e agilidade nos deslocamentos pela cidade. As ações do grupo são realizadas com o apoio do Centro de Operações da Prefeitura de Belo Horizonte (COP-BH), onde são utilizadas câmeras de monitoramento para potencializar o trabalho em todos os  diferentes pontos da cidade.

Além dos profissionais do grupamento, atualmente outros 355 guardas municipais são credenciados para atuar no trânsito, tendo, para isso, passado por um curso de formação com carga horária de 140 horas/aula, onde adquiriram conhecimentos teóricos e práticos. Na formação, eles estudam o Código de Trânsito Brasileiro e recebem noções de transporte público, de abordagens no trânsito, fiscalização, controle do tráfego e responsabilidade no trânsito. 
 
Desafios

Belo Horizonte ocupa a quinta posição no ranking das cidades brasileiras com maior frota em circulação. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que, em 2016, a cidade já somava mais de 1,7 milhão de veículos. A pesquisa detalha que o aumento do número de veículos foi mais expressivo de 2010 a 2016. Nesse período, a cidade ganhou, em média,  73 mil novos carros a cada ano. 
 

Gráfico da evolução da Frota em BH. Em 2210 era de 1.340.071 e em 2016 passou para 1.783.961

FONTE: IBGE CIDADES

Ao conviver diariamente com motoristas e pedestres, o guarda municipal João Eller considera a pressa a principal vilã no trânsito. “A impaciência associada ao corre-corre são as causas mais comuns dos acidentes e congestionamentos. Fechar o cruzamento é um exemplo corriqueiro de desrespeito que prejudica muita gente. Não podemos esquecer também que muitos pedestres, na hora da pressa, ignoram a sinalização e se arriscam a atravessar fora da faixa”, complementa. 

Dados da inspetoria de estatísticas da Guarda Municipal, no entanto, apontam para uma redução no número de acidentes registrados pela corporação. No primeiro semestre de 2016 foram contabilizadas 94 atuações em acidentes de trânsito pelas ruas de BH, sendo que, no mesmo período de 2017, o número caiu para 57 registros.