Pular para o conteúdo principal

Casal de novivos da quadrilha junina Forró de Minas se apresentando.
Foto: Divulgação

BH em Pauta: Quadrilha de região Oeste busca bicampeonato

07/07/2017 | 15:14 | atualizado em 07/07/2017 | 15:18
O Forró de Minas é um dos 36 grupos de quadrilha participantes do concurso municipal dos grupos de Acesso e Especial da 39ª edição do Arraial de Belo Horizonte. A competição mobiliza quase dois mil componentes, em uma disputa marcada por coreografias e figurinos que encantam o público na capital mineira.
 

Os ensaios do Forró de Minas começaram ainda em fevereiro, com atividades intensas e horários adaptados às circunstâncias da maior parte dos integrantes. Para conciliar trabalho, estudo e paixão pelo grupo, os encontros ocorriam das 22h às 3h, como relata o presidente Mauro de Oliveira Melo, que tem um salão de beleza e precisa se desdobrar para manter o sonho junino vivo.
 

Mauro, de 33 anos, diz que o que move as pessoas do movimento junino é, de fato, a devoção pela dança e pela tradição: “O que faz a gente realizar tudo isso é a paixão e o prazer. Até porque apostamos tudo o que temos.” Além de presidente e de atuar como noivo do Forró de Minas, Mauro é, desde 2007, o responsável pela criação dos figurinos masculino e feminino, feitos por ele e o esposo. Apesar da dedicação de corpo e alma, Mauro destaca que a participação da comunidade é fundamental para viabilizar a quadrilha.
 

Campeão do grupo Especial em 2009 e do grupo de Acesso em 2014, o Forró de Minas conta com uma equipe de 58 pessoas, entre dançarinos, equipe de apoio e direção. A cada ano, para que a apresentação seja impecável e competitiva, o grupo faz um trabalho de pesquisa para definir o tema ou homenagem que vai fazer no concurso. O desafio, conta o presidente, é manter as contas do grupo em dia.
 


“A nossa arrecadação financeira é praticamente toda feita por meio de ações particulares. Fazemos apresentações e eventos para arrecadar fundos, como bingos, feijoadas e rifas; por isso, nós falamos que mexemos com quadrilha o ano inteiro. Depois que acabamos as apresentações, continuamos trabalhando para arrecadar. Então, o esforço de cada um é ainda maior para manter a tradição”, relata Mauro.
 

Região Oeste
 

Desde 1999, o Forró de Minas, originário da região Oeste de Belo Horizonte, exibe-se pelo interior de Minas Gerais e por outras capitais do Brasil, como Fortaleza, São Paulo e Rio de Janeiro, entre outras.
Seis dos 36 grupos de quadrilha que disputaram os concursos do Arraial 2017 são da região Oeste da cidade. Além do Forró de Minas, há o Beija Flor de Minas, o Pé de Serra, o Perna Bamba, o Pipoca Doce e o Paixão Junina.
 

 

Programação
 

Nestes sábado e domingo (8 e 9 de julho), 13 quadrilhas vão disputar o título do concurso do Grupo Especial. O valor da premiação é de R$ 14 mil para o primeiro lugar, R$ 12 mil para o segundo, R$ 10 mil para o terceiro e R$ 8 mil para o quarto. Os quatro piores colocados no Grupo Especial são rebaixados e poderão disputar o concurso de quadrilhas em 2018 somente pelo Grupo de Acesso.
 


A quadrilha vencedora do Grupo de Acesso foi o Arraial do Kossaco, grupo do bairro Aparecida fundado em 27 de maio de 1998. Como prêmio, o Kossaco levou o valor de R$ 12 mil. O vice-campeão foi o Núcleo Folclórico Mineiro Forró Alegre dos Cata-Latas (prêmio: R$ 10 mil). Em terceiro lugar, a quadrilha Pipoca Doce (R$ 8 mil), e a quarta quadrilha premiada foi o Grêmio Recreativo Cangaço Mineiro (R$ 6 mil).


Os quesitos avaliados pelo corpo de jurados são:

a) Conjunto, ou seja, o "todo" da apresentação, a forma geral e integrada de apresentação como Grupo de Quadrilha Junina, o alinhamento, a espontaneidade, criatividade, empolgação, vibração, agilidade e vigor dos participantes;
b) Coreografia, que compreende a execução dos passos, passos tradicionais juninos, ocupação uniforme do espaço e ritmo da música e da dança;
c) Caracterização adequada à festa junina mineira e de acordo com o estilo e a criação do grupo de quadrilha. Foi levada em consideração a originalidade e a criatividade dos materiais utilizados na confecção do figurino, valorizando a harmonia das cores e o conjunto.
d) Marcador, sua desenvoltura durante a apresentação, entrosamento com o grupo e com o público, firmeza e convicção na marcação dos passos, criatividade;
e) Casal de Noivos: animação, simpatia, harmonia do casal, entrosamento do casal entre si, com a quadrilha e com o público.


Além do concurso municipal, haverá ainda o concurso estadual de quadrilhas juninas na Praça da Estação, que recebe também dois shows de peso no fim de semana: a dupla Rick e Ricardo, no sábado, e Michel Teló, no domingo. Confira a programação:



CONCURSO MUNICIPAL DE QUADRILHAS JUNINAS – GRUPO ESPECIAL

Dia 8 de julho
19h - Balancê Mineiro
19h30 - Pé Rachado
20h - Feijão Queimado
20h30 - Fogo de Palha
21h - São Mateus
21h30 - Pé de Serra
22h - Sangê de Minas

Dia 9 de julho
17h30 - Fulô de Laranjeira
18h - Sol Nascente
18h30 - Arriba Saia
19h - Forró de Minas
19h30 - Sem Nome
20h - São Gererê


CONCURSO ESTADUAL DE QUADRILHAS JUNINAS – PRAÇA DA ESTAÇÃO

Dia 8 de julho
15h30 - Arrastapé (Teófilo Otoni)
16h - Pé Rapado (Vespasiano)
16h30 - Pé Roxo (Nova Lima)
17h - Buscapé (Brumadinho)
17h30 -Fala Uai (Uberlândia)
18h - Santa Terezinha (Muriaé)
18h30 - Nova Geração (Sabará)

Dia 9 de julho
14h - Pequizá (Montes Claros)
14h30 - Pinga Fogo (Betim)
15h - Perecolândia (Itabira)
15h30 - Pueirinha (Sete Lagoas)
16h - Big Boys (Jequitinhonha)
16h30 - Chic Chic (Contagem)


SHOWS - PRAÇA DA ESTAÇÃO

Rick e Ricardo: 8 de julho, a partir das 23h
Michel Teló: dia 9 de julho, domingo, a partir das 21h

*Todas as atrações têm entrada gratuita

Confira a programação completa no site do Arraial de Belo Horizonte
 

 

07/07/2017. Paixão que sustenta-Apresentação. Fotos: Divulgação/Forró de Minas