Pular para o conteúdo principal

BH em Pauta: Programa Vida Ativa

16/08/2017 | 20:01 | atualizado em 04/09/2017 | 14:23
Quem ainda pensa que a vida na terceira idade se resume a realização de afazeres domésticos e convívios com netos vai mudar de opinião após um bate-papo com os participantes do programa Vida Ativa, desenvolvido pela Prefeitura de Belo Horizonte em 40 núcleos da cidade. Toda semana, eles saem de casa para participar de atividades diversas, como ginástica, dança, passeios e até discussões sobre temas sociais.

Integrantes do grupo de ginástica de um dos núcleos do Vida Ativa, no Centro Cultural Venda Nova, localizado no bairro Novo Letícia, endossam que os objetivos do programa - de oferecer condições que melhorem a qualidade de vida, a saúde física e mental e a convivência social dos idosos - estão plenamente alcançados. 
 
A costureira Inez Figueredo, de 65 anos, moradora do bairro Paraúna, diz que o programa faz parte da historia da vida dela há 20 anos. ”Graças a esse programa, não sei o que é depressão e minha saúde melhorou. Tanto é, que ando 35 minutos sem me sentir cansada.” Maria Aparecida Oliveira, mãe de oito filhos, afirma que o programa foi um alento na vida dela após o falecimento do marido, há 15 anos: “Faço tudo que tenho direito nesse programa: dança, ginástica, passeio. Sempre estou conquistando novas amigas.”

Veteranas no programa, Inez e Maria Aparecida dizem que se preocupam muito em acolher bem os novatos. Marilza de Almeida Silvia Oliveira, 60, moradora do bairro Lagoinha, é uma que foi bem recepcionada pela dupla e, agora, as amigas fazem ginástica juntas. “Descobri o Vida Ativa depois de aposentada. Considero como um presente que ganhei, pois posso cuidar da minha saúde com as aulas de ginástica, conhecer pessoas e fazer amigos.”
 
Giselle Alves é professora de ginástica do Vida Ativa há 17 anos. Ela se sente orgulhosa de contribuir para a melhoria da saúde e autoestima dos alunos – representados 95% por mulheres. Ressalta que os exercícios raticados nas aulas são direcionados para a terceira idade e focam, principalmente, a melhoria da capacidade física e o reflexo cerebral.

A professora destaca a importância da especificidade desses exercícios para o perfil das alunas. “Quem está na terceira idade e não tem condições de contratar um personal trainner para se exercitar, dificilmente encontrará uma academia com grupo de aulas de ginástica voltadas exclusivamente para essa faixa de idade, tal como ocorre em todos os núcleos do Vida Ativa.”



Passeios e confraternização

A realização da agenda de passeios oferece oportunidade aos alunos do programa de adquirir mais conhecimentos sobre a cidade e de participar de diversas atividades culturais. Desde junho último, grupos de alunos visitam o Cine Teatro Brasil Vallourec para conhecer os investimentos de revitalização do espaço que foi frequentado por muitos deles em sessões de cinema nos tempos de juventude. Na próxima visita, a agenda inclui a apresentação da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais.

No mês de dezembro, sobram alegria e alto astral no encontro de confraternização realizado para o público de quatro mil pessoas assistidas pelo Vida Ativa em núcleos da terceira idade e Instituições de Longa Permanência.

O Vida Ativa é executado pela Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (SMEL) por meio de equipes de estagiários e profissionais de Educação Física. Cintia dos Santos, gerente do programa, informa que são aceitas apenas inscrições de pessoas com idade acima de 50 anos. Os contatos para inscrição podem ser feitos pelo email vidaativa@pbh.gov.br ou pelo telefone (31) 3246-5071.
 

16/08/2017. Vida Ativa para terceira idade. Fotos: VilmaTomaz/PBH