Pular para o conteúdo principal

Crianças sentadas em meio circulo e fazendo alongamentos.
Fotos: Divulgação/PBH

BH em pauta: Programa Caminhar

29/06/2017 | 15:32 | atualizado em 21/09/2017 | 17:08

Iago Pereira dos Santos se entusiasmou com o aprendizado teórico e prático de posições de abdominal. Já Caio Wellington Pereira, de 9 anos, filho de mãe viúva que sustenta a família  com venda de sanduíche (cachorro quente), esbaldava,  orgulhoso, a alegria por ter adquirido o conhecimento e a prática de alongamento. Disse que estava ansioso para chegar em casa e ensinar os irmãos a exercitarem a atividade.
 

Letícia Matilde, auxiliar de apoio à inclusão, derramava-se de satisfação ao assistir três alunos com deficiência ficarem atentos em ouvir e praticar os ensinamentos dos instrutores. Ela conta que cada um deles tem deficiências distintas relacionadas às atividades motora, intelectual e cerebral. “Esse projeto contribui para aumentar a autoestima, estimular o aprendizado sobre conhecimento e equilíbrio do corpo”, explica.
 

A vice-diretora da escola, Desireé Renee Emmeles, destaca que a atividade desperta o aluno para a importância do esporte. “Fico satisfeita por olhar a alegria e a disposição deles em aprender como se pratica determinados exercícios, e o impacto saudável disso no corpo”, ressalta a dirigente escolar, que não esconde o entusiasmo com a perspectiva de o evento poder influir até em uma futura carreira de esportista dos alunos.
 

Bem humorada, a professora Eliane Cássia Soares ‘profetiza’ que, durante um bom tempo, ela terá de ouvir os alunos exibirem os conhecimentos e as práticas que adquiriram sobre exercícios físicos.

 

Delegação técnica

Lunamaris Neves e Ricardo Andrade, formados em educação física, além de Josué Luiz Barbosa, Naila de Carvalho Alves Spanhol, Joyce Elias Fernanda da Silva e Robson Antonio Benedito, estagiários de educação física, são os componentes do Programa Caminhar, que é desenvolvido pela Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (SMEL),  sob a coordenação da Cláudia Calhau, com apoio de João Rafael da Silva Caldeira.
 

Até o fim deste ano, essa delegação vai desenvolver atividades com cerca de seis mil alunos da rede municipal de ensino. João Rafael explica que o objetivo é sensibilizar os estudantes em relação à importância da atividade física para  a saúde e qualidade de vida.
 

O Programa Caminhar também é desenvolvido em pistas de nove regionais da cidade. Nesses locais, quinzenalmente, os profissionais e estagiários de educação física da SMEL ficam à disposição dos frequentadores para procedimentos de orientações e avaliações físicas.