Pular para o conteúdo principal

Quatro alunos de escola municipal caminham no Parque Vila Pinho durante o dia; ao lado, funcionário recolhe lixo; atrás, cidadãos também fazem caminhada.
Foto: Kátia Gaspar/PBH

BH em Pauta: Plante uma ideia

26/09/2017 | 15:51 | atualizado em 28/09/2017 | 20:12
Na linguagem coloquial do rap, a advertência: “Fica atento aí para as matas não queimar / Da natureza precisamos e é nela que estamos”, diz um trecho da música “Rap da Natureza”, composto pelas crianças Franciele Souza, Maria Eduarda de Aguiar, Sarah Vitória da Silva e Guilherme Evangelista. A canção ditou o ritmo e inspirou os voluntários do mutirão de limpeza do Parque Carlos de Faria Tavares, o Parque da Vila Pinho (Avenida Perimetral, 800 – Vila Pinho).

A proposta é incentivar a comunidade a se apropriar cada vez mais do parque como um bem a ser mantido e desfrutado por todos. A partir do cuidado com o local, há o chamado para frequentarem, usarem os espaços de convivência, exercitarem-se na pista de caminhada e a participarem das atividades existentes no local, como o projeto Academia da Cidade e os encontros dos grupos operativos, promovidos pelo Centro de Saúde.

O mutirão no dia 22 de setembro envolveu profissionais da saúde, integrantes da Academia da Cidade, alunos das escolas e moradores do entorno. A agente de saúde Laura Oliveira conta que a participação de toda a equipe do Centro de Saúde Vila Pinho foi fundamental para o sucesso do primeiro dia de ação. “Toda a equipe da unidade junto com as demais esferas de parques, escolas, Centro Cultural e Regional em prol de um só propósito: apropriar-se e fazer bom uso do que é da comunidade.”

Os pequenos também se empenharam em contribuir. Ryan Leandro Martins, de 10 anos, aluno da Escola Municipal da Vila Pinho, não mediu esforços para recolher todo o lixo que encontrou, mas não deixou de dar um recado: “Se os moradores e frequentadores fizerem a parte deles, limpando e não espalhando pelo chão o que é para jogar nas lixeiras, o parque vai ficar muito mais bonito.”

A segunda parte do mutirão vai ser realizada no dia 29, sexta-feira, das 13h às 17h. Após a limpeza, o parque também ficará ainda mais verde. Em clima de festa, serão plantadas novas árvores e promovidas atividades culturais com apresentação do grupo de canto “Estrela da Manhã”, do Centro de Saúde Vila Pinho. A equipe da unidade também vai oferecer orientações sobre saúde geral e bucal e medição de pressão arterial.


Atrativos


Com área aproximada de 78,8 mil m², o parque abriga nascentes que abastecem o córrego Vila Pinho, oferece opções de lazer como playground, aparelhos de ginástica, recantos com mesas de jogos, quadras de peteca e vôlei, campo de futebol e pista de skate, Academia da Cidade e pista de caminhada.

A vegetação característica de cerrado é composta por espécies como embiruçus, barbatimãos, pequis, pau-d'elos, ipês-verdes, muricis, faveiros, ipês-tabaco, jacarandás-caviúna, lobeiras e paus-santos. O espaço fica aberto de terça-feira a domingo, das 8h às 18h.


Desenhos e poesias


O concurso cultural “A Vida no Parque” vem envolvendo crianças e jovens da comunidade. As crianças desenharão sobre o tema “Porque eu gosto do Parque da Vila Pinho”. Quem tem mais de 17 anos deverá fazer uma poesia com o tema “A Vida, o Parque e a Vila”. As inscrições são feitas no Centro de Saúde Vila Pinho (Rua Coletora, 916) e na Academia da Cidade do Parque.

O mutirão e o concurso são iniciativas do Centro de Saúde, em parceria com as escolas municipais Ciac Lucas Monteiro Machado e da Vila Pinho. A enfermeira Jaiane Bernardes conta que a ideia de realizar essas atividades no parque tem o propósito de fazer com que as pessoas aumentem a sensação de pertencimento ao espaço, que é publico. “Um parque deste deve ser utilizado para atividades da comunidade, por isso estimulamos a participação, cuidado e zelo. E nada mais apropriado que envolver funcionários da saúde, alunos das escolas e moradores da região nesse movimento”, ressalta Jaiane.
 

26/09/2017. Plante uma ideia. Fotos: Katia Gaspar/PBH