Pular para o conteúdo principal

Dez alunas com roupas de balé apresentam coreografia na quadra da escola.
Foto: Avanilton de Aguilar/PBH

BH em Pauta: Mostra celebra programa educacional da PBH

25/10/2017 | 15:55 | atualizado em 09/11/2017 | 12:52

Felipe Aurélio Mattos é um dos inúmeros bons exemplos de que o Programa Escola Integrada, da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), oferecia a possibilidade de um futuro melhor na vida das crianças participantes. O ex-aluno é, atualmente, monitor de esportes do programa na Escola Municipal Cora Coralina, no bairro Copacabana, em Venda Nova.
 

“Eu entrei nesta escola por causa de questões financeiras, pois minha mãe tinha que sair para trabalhar. O programa me abriu várias portas, impedindo que eu me envolvesse com o mundo das drogas. Desde 2015, sou monitor e posso mostrar para os alunos o quanto ele foi importante na minha vida”, afirma Felipe, que considera o programa fundamental para que os jovens não tomem um caminho errado na vida. “É fundamental para poder formar um ser humano. Hoje eu sei que é muito importante, pois a base de tudo inicia-se aqui na escola.”
 

A Escola Municipal Cora Coralina, que comemorou 31 anos de existência no dia 18 de outubro passado, promoveu, no último sábado, a IV Mostra do Programa Escola Integrada e a I Feira de Cultura e Ciências, ambas com o tema Meio Ambiente e Sustentabilidade. Ao longo do evento, foram sorteados vários brindes para a comunidade escolar, tudo produzido pelos alunos nas oficinas do Programa Escola Integrada.
 

O evento atraiu aproximadamente 400 pessoas da comunidade escolar e contou com a participação da banda de música da Cultura Racional, que tocou o Hino Nacional e várias músicas do repertório popular. Além do aniversário de 31 anos, a comemoração marcou também uma década do programa nas escolas municipais de Belo Horizonte.
 

A mostra e a feira foram marcadas por apresentações artísticas e esportivas dos alunos do programa, com vários números de dança, como balé e hip hop, apresentações de capoeira e jiu-jitsu, teatro e músicas de teor ecológico, como Planeta Água, de Guilherme Arantes. “Esta escola foi uma das quatro da região de Venda Nova escolhidas para implantação do programa e o principal critério foi a vulnerabilidade social da região”, explica a vice-diretora  da escola, Renata Godoy.
 

Maria Eduarda da Silva, de 14 anos, aluna do 2º ano do 3º Ciclo, defende o programa como um espaço de aprendizagem e produtividade: “A Escola Integrada é um espaço legal, onde aprendemos muita coisa, sobre meio ambiente, informática, jiu-jitsu e capoeira, e produzimos vários tipos de artesanato. O programa é também um espaço de lazer, com excursões, festas populares, entre outros.”
 

O Programa Escola Integrada está presente em todas as 173 escolas de Ensino Fundamental da Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte e contempla estudantes de seis a 14 anos. Em Venda Nova, o programa conta com adesão de 28 escolas.