Pular para o conteúdo principal

Sete integrantes do grupo musical formado por pessoas em situação de rua.
Foto: Agdalice Araújo/PBH

BH em Pauta: Grupo musical reúne pessoas em situação de rua

19/10/2017 | 15:28 | atualizado em 07/11/2017 | 12:14

Pelé do Cavaco, no violão e cavaquinho; Natú, percussão e gaita; Juana Belarmino, caxixi; e o professor Anselmo Reis, teclado e voz. Surgido há pouco mais de dois meses, o grupo que ainda busca firmar um estilo se reúne todas as quartas-feiras, de manhã, no Centro de Referência para a População em Situação de Rua – Centro Pop Leste, onde são realizadas as oficinas de música.
 

O nome da banda foi definido pelos próprios integrantes: “Verdadeira Voz da Rua.” Exceto pelo professor do projeto, todos os demais integrantes do grupo musical são pessoas com trajetória de rua e usuários dos serviços socioassistenciais da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH).
 

A oficina, segundo o professor Anselmo Reis, nasceu da vontade de dar voz às pessoas com trajetória de rua, buscando a promoção de autonomia e autoestima delas. De acordo com ele, a confiança na capacidade de cada um e a construção coletiva são os tons certos para um conjunto bem afinado: “Quando a gente apresenta uma música, por exemplo, a gente faz o convite para que eles a construam junto com a gente. Quando a pessoa constrói junto, ela toma posse daquilo e experimenta o valor da responsabilidade”.
 

E, de batuque em batuque, os encontros da banda vão mudando os hábitos de vida de cada um. Osmair Silva, ou Natú, como é conhecido, utiliza os serviços do Centro Pop Leste e conta que as oficinas têm trazido alegria e mudado o dia a dia dele. “A opressão que a gente sente por causa das ruas é muito forte. Então, a gente chega aqui, pode fazer um batuque, cantar uma música, pode expressar uma ideia, a gente nem se lembra de que lá fora tem a droga, o vício”, relata.
 

O Centro de Referência para Pessoa em Situação de Rua, mais conhecido como Centro Pop Leste, é uma unidade municipal de atendimento diurno a mulheres e homens em situação de vida nas ruas. O espaço oferece oficinas educativas, rodas de conversa e atendimento técnico socioassistencial, além de ser um local para alimentação e higienização pessoal dos usuários.
 

Localizado no Bairro Floresta, a unidade tem uma média diária de 130 frequentadores, em período integral, de segunda a sexta-feira, e em horário reduzido nos fins de semana e feriados.

 

 

19/10/2017. Oficina de voz. Fotos: Agdalice Araujo/PBH