Pular para o conteúdo principal

Treze funcionários da PBH posando para foto durante reunião do grupo de trabalho e Promoção da Saúde - Pampulha.
Foto: Andréa Moreira/PBH

BH em Pauta: Grupo de Trabalho promove saúde na Pampulha

01/11/2017 | 16:06 | atualizado em 01/11/2017 | 16:32

Formado por 16 profissionais que atuam nas unidades de saúde da Pampulha, o Grupo de Trabalho de Promoção da Saúde - Pampulha foi criado com o objetivo de construir conhecimentos para o enfrentamento de situações de violência no âmbito dos serviços de saúde localizados na região, bem como o de buscar a correta utilização dos dispositivos institucionalizados de proteção às vítimas.



A violência é um fenômeno que tem adentrado as unidades de saúde na cidade. Muitas vezes, o profissional da área enfrenta dificuldades no acolhimento e no correto direcionamento dos casos que chegam à unidade, envolvendo-se em situações de conflito com usuários. São casos de pacientes e pessoas que passaram por violência psicológica e moral, física, tentativa de autoextermínio, trabalho infantil, negligência com crianças, idosos, deficientes ou portadores de sofrimento mental, entre outros episódios.



Para articular as ações de promoção da saúde na rede SUS-BH, a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) fomenta a discussão das questões que envolvem o dia a dia dos profissionais de saúde e usuários em um contexto mais amplo. Na Pampulha, foi apontada a necessidade de um aprofundamento na temática da violência que faz parte do cotidiano dos profissionais de saúde. Assim, surgido em junho de 2017, o grupo Pampulha é composto por quatro gerentes de centro de saúde, três profissionais das unidades de saúde e dois representantes da gerência de Educação em Saúde, além da diretora e mais seis referências técnicas da Diretoria Regional de Saúde Pampulha.



O grupo Pampulha, que se reúne mensalmente para discussão de textos, estudo de casos, produção de conhecimento e rodas de conversa sobre a temática da violência e suas implicações, é acompanhado por Paulo César Machado, que coordena o Grupo de Trabalho de Promoção da Saúde, da Secretaria de Saúde.



Já aconteceram quatro encontros para discussão dos seguintes temas: roda de conversa sobre violência, com a presença da professora Elza Machado de Melo, da Faculdade de Medicina da UFMG; o que é violência e ampliação do olhar sobre a violência; tipos de violência que chegam aos serviços de saúde atualmente; e prevenção da violência.


 
Os temas para os próximos encontros são as possibilidades de enfrentamento à violência e os processos, protocolos e diretrizes institucionais referentes ao problema da violência. Os participantes têm o compromisso de serem multiplicadores dos temas discutidos junto às equipes em nível local.

 

Curitiba

Os resultados da experiência do grupo Pampulha estão registrados no trabalho “Construção de saberes no enfrentamento da violência: uma experiência do SUS-BH”, que será apresentado no 14º Congresso Brasileiro de Medicina de Família e Comunidade, no período de 2 a 5 de novembro, na cidade de Curitiba (PR).


 
Diretora Regional de Saúde na Pampulha, Elisane Rodrigues destaca que é preciso fomentar a aproximação e o aprofundamento de profissionais e gestores da saúde sobre a temática da violência. “A experiência em foco possibilita um novo olhar construído de forma coletiva sobre o fenômeno da violência. Com isso pretendemos aprimorar a abordagem dos casos e situações cotidianas.”



Paulo César Machado acrescenta que os avanços continuam: “O grupo Pampulha já é um sucesso, pois está abordando um fenômeno social de altíssima relevância, que é a violência.”


 

01/11/2017. Grupo de trabalho de prevenção contra violência na saúde. Fotos: Andréa Moreira/PBH