Pular para o conteúdo principal

Instrutor da aula para cerca de nove pessoas.
Foto: Divulgação PBH

BH em Pauta: Educação Ambiental

24/10/2017 | 14:58 | atualizado em 07/11/2017 | 12:22

Com o objetivo de fazer com que a população incorpore cada vez mais os valores socioambientais básicos e necessários para melhorar a vida em sociedade, a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), por meio de equipes de educação ambiental da Superintendência de Limpeza Urbana (SLU), vêm investindo na capacitação e na disseminação de informações através de palestras, cursos e do fortalecimento das ações de mobilização nas ruas de Belo Horizonte.


“As questões socioambientais são imprescindíveis para a vida em sociedade. Não tem como separar o homem do ambiente em que ele vive”, reforça Diogo Cesar Pereira, sociólogo e integrante do departamento de políticas sociais e mobilização da SLU. Diogo explica que há uma efervescência na sociedade demandando ações estruturadas de educação ambiental, o que é convergente aos princípios de capacitação e mobilização da SLU em torno da temática. Não por acaso, a instituição – que é referência em gestão de resíduos – vem ofertando cada vez mais cursos e participando de palestras envolvendo vários setores da sociedade.


No mês passado, por exemplo, dentro do projeto SLU Conexão Educativa, a SLU iniciou a oferta de oficinas com os temas Implantação de Coleta Seletiva em Instituições, Consumo Sustentável e Compostagem de Resíduos Orgânicos Domiciliares. Ester Eustáquio de Lima, do Colégio Logosófico da Cidade Nova BH, participou da palestra Coleta Seletiva nas Instituições. Para ela, o momento foi excelente para esclarecer principalmente sobre as responsabilidades do cidadão sobre o correto descarte dos resíduos.


Já para Isabela Izidoro, que trabalha com o Projeto Manuelzão na UFMG, participar das palestras foi importante como forma de enriquecer os conhecimentos e fortalecer o trabalho de campo. O Projeto Manuelzão atua com a medicina preventiva e social como forma de promover a qualidade de vida das pessoas assistidas pelo projeto. A melhoria das condições ambientais é uma das principais ações do projeto.


De acordo com Diogo, a educação ambiental e as ações de mobilização têm um papel transformador. “O desafio é enorme, no entanto, temos alguns indícios que já mostram resultados positivos nas nossas ações. A educação ambiental potencializa as ações de mobilização”, afirma ele, completando que, de fato, o interesse por coleta seletiva e outros temas de educação ambiental vem crescendo muito em meio à população. Diogo acrescenta que o processo de elaboração do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, lançado no início do ano em BH, também vem contribuindo para que os temas ambientais se tornem mais familiares.


Moda sustentável

Ainda dentro de uma ação de educação ambiental, a SLU participou na semana passada de um debate sobre o documentário multinacional “The True Cost (O verdadeiro custo, na tradução para o português)”, exibido no museu Inimá de Paula. O objetivo foi esclarecer sobre os cuidados ambientais com o descarte de materiais têxteis. O evento faz parte do projeto Cine Ambiente em Foco, uma realização mensal da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, sempre com a temática sustentabilidade e questões socioambientais.


O documentário retrata as condições de trabalho das pessoas nas produções têxteis em países subdesenvolvidos, as consequências e os danos do consumismo exagerado nos dias de hoje, como o esgotamento de recursos naturais, o uso de pesticidas e sementes modificadas geneticamente para manter a produção de algodão em alta, a poluição do meio ambiente e os problemas de saúde decorrentes dessa poluição.


Para Diogo, que também participou da palestra pela SLU, o evento foi uma oportunidade de convidar os participantes a refletirem sobre o consumo exagerado e inconsciente. “Qual é o seu padrão de consumo? O que você está consumindo e qual o impacto que isso vai gerar na sociedade e no meio ambiente?”, questiona ele, completando que a expectativa é mesmo fazer com que as pessoas, cada vez mais bem informadas, possam incorporar melhor os conceitos e absorver um novo comportamento.

 

 

24/10/2017. Projeto conexão SLU educativo. Fotos: SLU/Divulgação