Pular para o conteúdo principal

Carrinho de mão se transforma em vaso de flores
Foto: Edanise Reis/PBH

BH em Pauta: Decoração Reciclada

criado em 14/06/2017 - atualizado em 01/09/2017 | 15:53

Antes vazios e danificados, vasos de plantas estão sendo reaproveitados e transformados em novos objetos de decoração nos parques da Regional Oeste de Belo Horizonte. Viabilizadas pela criatividade de servidores da Prefeitura que integram a equipe da Fundação de Parques Municipais (FPM), as melhorias no paisagismo dos espaços tiveram início com o “Cousteauzinho”, como é carinhosamente chamado o primeiro boneco de vasos no Parque Jacques Cousteau. 



"Em uma visita ao Parque Vale Verde alguns anos atrás, notei que um boneco feito a partir de vasos virou a atração dos visitantes de lá. Achei interessante e decidi propor uma ideia semelhante para os nossos parques. A equipe topou na hora e fizemos o ‘Cousteauzinho’”, conta Edanise Reis, chefe de departamento sudoeste da FPM, referindo-se ao boneco de vasos que se tornou uma mascote no local. 

35266700536_24610ab0ba_m.jpg
‘Cousteauzinho’ Foto: Edanise Reis/PBH
Materiais reciclados ajudam a compor a beleza dos parques de BH.


A partir do sucesso do “Cousteauzinho”, outros materiais foram reciclados para composição dos jardins das áreas do departamento sudoeste. A mobilização dos funcionários contagiou até alguns frequentadores do parque, que também ajudaram na produção de bonecos decorativos e jardineiras. 


Paola Andrade é moradora do bairro Betânia e usa o parque para fazer exercícios. Ela já sente os efeitos da ação no parque: “Faço os exercícios da minha fisioterapia aqui, porque a beleza do espaço ameniza a minha frustração com uma atividade que eu não gosto tanto, mas é necessária para minha reabilitação. Agora, com um paisagismo ainda mais bonito, é uma motivação a mais me exercitar aqui”, comenta ela. 



Parques como Aggeo Pio Sobrinho e o do Bairro Havaí também receberam pequenas jardineiras produzidas com carrinhos de mão que não estavam sendo utilizados. Bastou apenas limpar e pintar para que ficassem de “cara nova” e prontos para serem usados.  



Edanise explica que o Parque Jacques Cousteau foi o ponto de partida para a produção dos itens, por ser o local no qual é feito o controle dos materiais e a sede do departamento. Atualmente, o parque já conta com dois carrinhos-jardim de flores e um de plantas suculentas, além de um jardim vertical de tijolos com diversas bromélias plantadas. Este último também já está presente no Parque Roberto Burle Marx, também conhecido como Parque das Águas, na região do Barreiro.



Outros parques

14/06/2017. Recicláveis-FPM. Fotos: Edanise Reis/PBH



As melhorias no paisagismo chamam a atenção da população. Em todos os fins de semana, no parque Jacques Cousteau, uma fila de crianças se forma para brincar e tirar fotos na “Chimbica”, apelido dado a uma Tobata (pequeno trator), que há mais de 30 anos estava sem utilidade e foi revitalizada com pintura nova e uma jardineira implantada no interior. Ana Gabriela, mãe de Pedro Silva, de 9 anos, aprovou a ideia: “O Pedro nunca tinha visto um trator ao vivo. Agora, ele mostra para os amiguinhos a foto que tirou aqui e fica explicando que esse só serve para enfeitar o parque, porque não funciona mais.” 



Com o sucesso da iniciativa, a proposta, agora, é inserir os carrinhos-jardins, bonecos e outros objetos feitos a partir de material reaproveitado em todos os parques do departamento sudoeste. 



“Reaproveitar materiais é uma das ações que vai ao encontro dos objetivos do desenvolvimento sustentável. Cabe a nós buscar alternativas eficazes, criativas e de baixo custo para utilizar esse conceito de forma a revitalizar nossos espaços, gerando maior aproximação com os usuários e frequentadores dos parques”, afirma Sérgio Augusto Domingues, presidente da FPM.