Pular para o conteúdo principal

Foto da entrada da prefeitura. Tem uma árvore, um canteiro gramado na frente da biblioteca.
Foto: Divulgação

BH em cantos: Rede de Conhecimento

20/04/2017 | 19:10 | atualizado em 20/04/2017 | 19:15

Empréstimo gratuito de livros, apoio à pesquisa, atividades de promoção da leitura e encontros de formação. O público de Belo Horizonte tem à sua disposição um leque variado de opções quando o assunto é a leitura. Por meio da Fundação Municipal de Cultura, a Prefeitura mantém, atualmente, 21 bibliotecas públicas espalhadas por todas as regiões da cidade. Essa rede conta com mais de 150 mil títulos, todos disponíveis para leitura e empréstimos. Além disso, os espaços promovem diariamente atividades de incentivo à leitura, tais como oficinas, rodas de leitura, narrações de histórias, saraus, visitas guiadas, palestras e encontros com escritores.

Na coordenação dessa rede está a Biblioteca Pública Infantil e Juvenil de Belo Horizonte (BPIJBH). Referência nacional no atendimento de crianças, jovens e suas famílias, a instituição cumpre um papel múltiplo, que vai desde a formação de leitores, sua primeira vocação, a um importante espaço de pesquisa e formação de profissionais no campo da mediação da leitura. 

Em 2016, a biblioteca ganhou uma nova sede. Dentro do Centro de Referência da Juventude, a BPIJBH ficou mais confortável e acessível para a maioria da população. Ampliou em mais de 100% o número de atendimentos, além de ter diversificado e acolhido públicos até então à margem de serviços bibliotecários, como moradores de rua e pessoas em acolhimento institucional, especialmente jovens e adultos. 

Atualmente, o espaço conta com uma equipe interdisciplinar comprometida com a formação de leitores e de mediadores de leitura, com um amplo acervo, oferecendo à cidade serviços e atividades que valorizam a cultura da infância e da juventude, por meio da leitura e da escrita, também em diálogo com outras linguagens artísticas.
    
Para Simone Araújo, diretora de Ação Cultural Regionalizada e presidente interina da Fundação Municipal de Cultura, o maior objetivo da rede de bibliotecas é contribuir para a participação da população na cultura escrita. “Promovemos atividades e oferecemos serviços para que a leitura e a escrita possam fazer parte da vida de bebês, crianças, jovens e adultos. Trabalhamos para que todos possam ler e escrever em Belo Horizonte, compreendendo o que isto significa”, completa.

A Biblioteca Pública Infantil e Juvenil de Belo Horizonte é também um dos pilares da política de promoção e incentivo à leitura e literatura desenvolvida pela Fundação Municipal de Cultura na cidade. Com apoio de toda a rede, outras ações importantes vêm sendo desenvolvidas nos últimos anos. Em 2015, a FMC promoveu o Festival Literário Internacional de Belo Horizonte – FLI-BH. O evento contou com a participação de nomes de destaque do cenário literário nacional e internacional em uma programação de conferências, palestras, mesas de debates, oficinas, saraus, entre outras ações, reunindo mais de 50 mil pessoas.

Em 2016, aconteceu a 1ª Conferência Municipal de Leitura, Literatura, Livro e Bibliotecas. O objetivo do evento foi debater com a população o Plano Municipal da Leitura, Literatura, Livro e Bibliotecas, que vem sendo construído pela FMC e sociedade civil há dois anos. 

O Plano Municipal contempla as bibliotecas e iniciativas públicas e comunitárias neste campo, casas editoriais, escritores, ilustradores, livreiros, bibliotecários, tradutores, professores e mediadores de leitura, em conjunto com o poder público. Elaborado em trabalho coletivo por representantes do poder público e da sociedade civil durante três anos, o documento figura como meta do Plano Municipal de Cultura. Sua elaboração seguiu todas as orientações legais, cumpriu todo o processo recomendado pelo Ministério da Cultura e contou com expressiva participação da sociedade civil em toda essa trajetória.

A rede de bibliotecas desenvolve também o projeto “Ler, Brincar e Aprender em Família: um olhar para a primeira infância”. Realizado em parceria com o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente e com o Programa Itaú Social, o projeto contempla a melhoria dos espaços e serviços para a primeira infância (crianças de zero a seis anos) e suas famílias nas bibliotecas públicas da FMC e a criação de pequenos espaços de leitura em oito casas de acolhimento institucional que lidam com este público e em um CERSAMI – Centro de Referência da Saúde Mental da Infância. Realiza, ainda, atividades de formação no tema para profissionais que trabalham com a primeira infância.

Outra ação importante na área é a promoção anual de dois dos mais tradicionais prêmios literários do país: o “Cidade de Belo Horizonte”, realizado desde 1947 e o “João-de-Barro”, desde 1974. Ambos visam valorizar e fomentar a produção literária nacional com obras inéditas. Atualmente, o “Prêmio Cidade de Belo Horizonte” está com inscrições abertas até o dia 14 de junho. Serão premiadas obras nas categorias poesia e conto. O prêmio pago é o maior do país para textos inéditos: 50 mil reais para o vencedor de cada categoria.

A Biblioteca Pública Infantil e Juvenil de Belo Horizonte fica na Praça da Estação (s/n°), no Centro de Referência da Juventude. O funcionamento dela é de terça a sexta-feira, das 9h às 19h. Aos sábados, é das 9h às 14h. O telefone é (31) 3277-8658. Mais informações sobre a rede de bibliotecas da FMC no site www.bhfazcultura.pbh.gov.br
 

Veja também

Últimas Notícias

PBH garante segurança e mobilidade durante manifestações 

Prefeitura concentra esforços para garantir a segurança e a mobilidade da população nas manifestações desta sexta-feira

27/04/2017 | 19:53

I Encontro Municipal de Dança

O evento acontecerá no Teatro Francisco Nunes, e a entrada é gratuita. 

27/04/2017 | 18:09