Pular para o conteúdo principal

Alunos do Superar participam de competição de bocha nesta sexta-feira, dia 21

20/09/2018 | 21:19 | atualizado em 20/09/2018 | 21:19

Dezessete atletas com deficiência intelectual do programa Superar participam do  Festival  de Bocha Regular nesta sexta-feira, dia 21, das 13 às 16 horas, no Clube Palmeiras (rua Grão Pará, 589, bairro Santa Efigênia), região Leste da cidade.
 

Desenvolvido pela Prefeitura de Horizonte (PBH), por meio da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (Smel), o Superar promove a inclusão social da pessoa com deficiência por meio do esporte. O programa atende a 940 alunos com deficiência em 16 modalidades esportivas.
 

Os atletas participantes do Festival de Bocha Regular frequentam aulas dessa modalidade no Clube Palmeiras e na Escola  Estadual Sandra Risoleta, na Vila Oeste, regional Oeste.
 

Segundo o coordenador das aulas de bocha e professor Jairo Gontijo Maia, esta modalidade foi criada e regulamentada para atletas com deficiência intelectual, pelo comitê internacional intitulado Olimpíadas Especiais (Special Olympic – SO). Na Irlanda, um aluno do programa da PBH já conquistou a medalha de ouro em competição de âmbito mundial.
 

Nessa modalidade esportiva, o atleta tem como objetivo encostar o maior número de bolas azuis e vermelhas na bola alvo, de cor branca. O esporte é praticado em  quadra  lisa e plana como o piso de um ginásio em madeira ou sintético. A área é delimitada por linhas, com uma dimensão de 12,5m x 6m.
 

“A prática desse esporte possibilita melhorias na concentração, coordenação motora, equilíbrio e na força muscular. Também contribui para o processo de socialização do atleta”, salienta o professor, que também coordena as aulas de bocha  paralímpica, frequentada pelos alunos com deficiência física, que utilizam cadeiras de rodas.

 

O programa

O Superar atende a alunos com deficiência física, visual, intelectual, auditiva, múltipla e com autismo. A meta de chegar a 850 atletas até o fim do ano já foi superada – são 940, atualmente.
 

O programa conta com dois centros de referência (CREPPD e Escola Municipal de Ensino Especial Frei Leopoldo) e sete núcleos regionalizados - Colégio Marconi, Clube Palmeiras e escolas estaduais de ensino especial Amaro Neves, Sandra Risoleta e João Moreira Salles, além da Associação de Deficientes Visuais de Belo Horizonte e da Associação de Surdos.
 

Ao todo, 16 modalidades são oferecidas: atletismo, basquetebol, bocha regular, bocha paralímpica, dança, futsal, goalball, judô, natação, patinação, rúgbi em cadeira de rodas, tênis de mesa, voleibol sentado, parataekwondo, funcional e percussão.
 

Um dos requisitos para ingressar no Superar é ter idade superior a seis anos, além de apresentação de laudo de deficiência e a existência de vagas. Os contatos para se ingressar no programa são pelo e-mail superar@pbh.gov.br e pelos telefones 3277- 4546 e 3277-7681.